Ecodanças: reflexões sobre práticas artísticas afro-indígenas como pesquisa

Autores

DOI:

https://doi.org/10.36025/arj.v9i2.28917

Palavras-chave:

Dança, Ecodanças, Pesquisa, Aquilombúnquers

Resumo

Este artigo busca compartilhar determinados apontamentos sobre a pesquisa-arte elaborada no campo dos Estudos em Dança. Para tanto, traça-se um percurso que tem como foco as práticas artísticas de ascendência africana ou indígena. Parte-se da seguinte problemática: “por que estabelecer no contexto dos debates da prática como pesquisa um recorte de caráter étnico-racial?”. Supõe-se que as práticas artísticas produzidas por subjetividades racialmente minoritárias são sínteses de uma experiência histórica e de uma qualidade de saber vinculadas às vivências coletivas de resistências em contextos de guerra. Parte-se da ideia de guerra como uma condição histórica implementada pelo colonialismo no campo da vida social que fomenta destruição e morte. Como consequência, apresenta-se a categoria ecodanças como um conjunto de práticas artísticas pretas e indígenas que produzem políticas de vida e compartilha-se o sentido atribuído à ideia de aquilombúnquers. Espera-se colaborar com os debates estruturados no campo da prática como pesquisa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Victor Hugo Neves de Oliveira, Universidade Federal da Paraíba (UFPB)

Artista e pesquisador das Artes da Cena. Professor do Departamento de Artes Cênicas e do Mestrado Profissional em Artes (PROF-Artes/UFPB) na Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Professor colaborador do Programa de Pós-Graduação em Performances Culturais da Universidade Federal de Goiás (UFG) e do Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Atualmente, é bolsista de pós-doutorado do Instituto de Estudos Avançados da Universidade de São Paulo (USP) no Programa Eixos Temáticos, onde colabora com a estruturação de políticas públicas voltadas para o setor da Cultura e da Arte.

Liana da Silva Cunha, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)

Afro-gaúcha, arruaceira, funkeira, contraditória e artista da dança. Filha, irmã, tia, do choro fácil e riso também. Integrante do grupo Fragmento Urbano de dança (Guaianases, São Paulo, SP); Mestranda em Teatro pela Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC, na linha de pesquisa Linguagens Cênicas, Corpo e Subjetividades. Bacharela em Dança pela Universidade Federal de Santa Maria – UFSM. Técnica de Palco, pela SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco. 

Referências

ACSELRAD, M. Dançando contra o estado: análise descoreográfica das forças em movimento entre os caboclinhos de Goiana/Pernambuco. Revista Ñanduty, [S. l.], v. 5, n. 6, p. 146–166, 2017. Disponível em: https://ojs.ufgd.edu.br/index.php/nanduty/article/view/6878. Acesso em: 22 abr. 2022.

ARROYO, Miguel G. Currículo, território em disputa. Petrópolis: Editora Vozes, 2012.

CARREIRA, André. Fazer teatro é pensar teatro. Revista Conceição. Campinas, SP, v. 1, n. 1, p. 2-13, jul./dez. 2012. Disponível em: https://www.publionline.iar.unicamp.br/index.php/ppgac/article/view/47. Acesso em: 22 abr. 2022.

CUNHA, Liana da Silva. Reflexões sobre a ideia de aquilombúnquers (cadernos pessoais). [s.n.]. São Paulo, 2022.

CUNHA, Liana da Silva. O corpo negro em fronteiras porosas: Entre os saberes das danças e dos cuidados que emergem no caos. Anais do XI Congresso da ABRACE. Associação Brasileira de Pesquisa e Pós-Graduação em Artes Cênicas, 2021.

DANTAS, Mônica. Escolhas metodológicas no âmbito da pesquisa em dança. Anais do V Congresso da ABRACE. Associação Brasileira de Pesquisa e Pós-Graduação em Artes Cênicas, 2008.

DAVIS, Angela. Mulheres, cultura e política. São Paulo: Boitempo, 2017.

LAGROU, Els. Existiria uma arte das sociedades contra o Estado?. Revista de Antropologia, São Paulo, USP, v. 54, 2011. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/ra/article/view/39645/43142. Acesso em 22 abr. 2022.

FERNANDES, Ciane. Pesquisa Somático-Performativa: Sintonia, Sensibilidade, Integração. ARJ – Art Research Journal: Revista de Pesquisa em Artes, v. 1, n. 2, p. 76-95, 1 maio 2014. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/artresearchjournal/article/view/5262. Acesso em: 22 abr. 2022.

FERNANDES, Ciane. Em busca da escrita com dança: algumas abordagens metodológicas de pesquisa com prática artística. Dança: Revista do Programa de Pós-Graduação em Dança, v. 2, n. 2, 2013. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/revistadanca/article/view/9752. Acesso em: 22 abr. 2022.

GONZALES, Lélia. Racismo e sexismo na cultura brasileira. Revista Ciências Sociais Hoje. Anpocs. IV Encontro Anual da Associação Brasileira de Pós-Graduação e Pesquisa nas Ciências Sociais, p. 223 – 244, outubro 1984.

HASEMAN, Brad. Manifesto pela Pesquisa Performativa. In: Seminário de Pesquisas em Andamento PPGAC/USP, 5., 2015, São Paulo. Escola de Comunicações e Artes, 2015.

HOOKS, Bell. Olhares negros: Raça e representação. Tradução Stephanie Borges. São Paulo: Elefante, 2019.

MALDONADO-TORRES, Nelson. Analítica da colonialidade e da decolonialidade: algumas dimensões básicas. In.: BERNARDINO-COSTA, Joaze et al. (Orgs.). Decolonialidade e pensamento afrodiaspórico. Belo Horizonte: Editora Autêntica, 2020.

NASCIMENTO, Abdias do. O genocídio do negro brasileiro: Processo de um Racismo Mascarado. São Paulo: Perspectivas, 2016.

NASCIMENTO, Roberta Marques do. A performance poética do ator-MC. 2012. 150 f. Dissertação (Mestrado). Programa de Estudos Pós-Graduados em Comunicação e Semiótica, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2012.

NOGUEIRA, Sidnei. Intolerância religiosa. São Paulo: Editora Jandaíra, 2020.

OLIVEIRA, Victor Hugo Neves de. Anotações sobre ecodanças ou como resistir ao fim do mundo (cadernos pessoais). [s.n.]. João Pessoa, 2022.

OLIVEIRA, Victor Hugo Neves de. Dança e racismo: apontamentos críticos sobre o ensino de história da dança. Revista Brasileira de Estudos da Presença, [S. l.], v. 12, n. 1, p. 1–25, 2022. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/presenca/article/view/113529. Acesso em: 22 abr. 2022.

OLIVEIRA, Victor Hugo Neves de. “Batuque na cozinha, sinhá não quer”: em defesa do conceito de teatro preto. Moringa - Artes do Espetáculo, [S. l.], v. 12, n. 1, 2021. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/moringa/article/view/59994. Acesso em: 22 abr. 2022.

OLIVEIRA, Victor Hugo Neves de. O cão celebra com o rabo, mas morde com a boca: pistas iniciais para a produção de uma dança preta. Revista Rascunhos - Caminhos da Pesquisa em Artes Cênicas, v. 7, n. 1, 17 jun. 2020.

OLIVEIRA, Victor Hugo Neves de; PINHEIRO, Osvaldo; MAWÉ, Ingrid Sateré. Ecoengajamento na dança: sabedorias ancestrais indígenas como fenômeno de resistência ao PL 490. Conceição/Conception, [S. l.], v. 10, n. 00, p. e021015, 2021. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/conce/article/view/8667234. Acesso em: 16 maio 2022.

SILVA, Luciane Ramos. A dança dos outros: Imaginações diaspóricas para interpelar o mundo. Moringa - Artes do Espetáculo, [S. l.], v. 10, n. 2, 2019. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/moringa/article/view/49823. Acesso em: 22 abr. 2022.

SILVA, Rachel Cabral da; ABRANCHES JR., Nilton. A naturalização do racismo e a espacialidade dos corpos pretos no Brasil. In.: OLIVEIRA, Victor Hugo Neves de. Revista Coletiva FUNDAJ, [s. l.], Dossiê 28 | Racismo | Mai. Jun. Jul. Ago. 2020.

SOUZA, Neusa Santos. Tornar-se Negro: as vicissitudes da identidade do negro brasileiro em ascensão social. Rio de Janeiro: Graal, 1983.

TERRA, Livia Maria. Negro suspeito, negro bandido: um estudo sobre o discurso policial. Dissertação de Mestrado em Sociologia – Universidade Estadual Paulista. Araraquara, SP: [s/n], 2010.

TOURINHO, Lígia Losada. Dramaturgias do Corpo: Protocolos de criação das Artes da Cena. Tese de Doutorado em Artes – Universidade Estadual de Campinas. Campinas, SP, [s.n.], 2009.

WILLIAM, Rodney. Apropriação Cultural. São Paulo: Editora Jandaíra, 2020.

Downloads

Publicado

01-12-2022

Como Citar

OLIVEIRA, V. H. N. de; CUNHA, L. da S. Ecodanças: reflexões sobre práticas artísticas afro-indígenas como pesquisa. ARJ – Art Research Journal: Revista de Pesquisa em Artes, [S. l.], v. 9, n. 2, 2022. DOI: 10.36025/arj.v9i2.28917. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/artresearchjournal/article/view/28917. Acesso em: 8 fev. 2023.

Edição

Seção

Dossiê: Dramaturgias e Epistemologias Insurgentes na Dança