Dança e Saúde Mental: ações de potência

  • Renato Ferracini Universidade Estadual de Campinas LUME - UNICAMP PPGADC - UNICAMP
  • Bruna Martins Reis PPGADC - UNICAMP
Palavras-chave: Dança, Fronteira, Experiência, Processo criativo, Processo de subjetivação

Resumo

Este artigo pretende fazer uma reflexão sobre um modo de intervenção artística no campo da Saúde Mental, a partir de uma experiência prática realizada em serviços de Saúde destinados ao tratamento de portadores de transtornos mentais graves. Em uma  abordagem que se constrói na fronteira entre dança e clínica, considera-se ambas as práticas como provocadoras de experiências e dispositivos para a criação de estratégias de invenção de si e de modos de existência. Neste trajeto nos propomos pensar a experiência da dança como disparadora de processos de subjetivação que podem desencadear na criação de outros planos de vida.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Renato Ferracini, Universidade Estadual de Campinas LUME - UNICAMP PPGADC - UNICAMP

Renato Ferracini é Ator-pesquisador do LUME, Professor da Pós-Graduação em Artes da Cena - IA - UNICAMP e Doutor em Multimeios também pela UNICAMP. Atuou como  professor convidado - na USP, UFPB (especialização), FURB (especialização), Universidade de Évora (Portugal) e Universidade Nova de Lisboa (Portugal). Possui quatro livros publicados, sendo o último "Ensaios de Atuação" (Perspectiva e FAPESP - 2013). É editor chefe da Revista ILINX (Revista do LUME) e possui artigos publicados nos principais periódicos de teatro. Apresentou espetáculos e ministrou workshops, palestras, debates, masterclasses, demonstrações técnicas e pesquisas de campo sobre suas pesquisas e o trabalho desenvolvido no LUME em muitas cidades do Brasil e em outros 22 diferentes países.

Bruna Martins Reis, PPGADC - UNICAMP
Dançarina e psicóloga, mestra em Saúde Coletiva e estudante de doutorado no Instituto de Artes da Universidade Estadual de Campinas – SP/ Brasil, onde desenvolve o projeto de pesquisa intitulado “Corpo Fronteira: dança e clínica em estados de criação” sob a orientação de Cassiano Sidow Quilici.

Referências

BOURRIAUD, N. Formas de vida: a arte moderna e a invenção de si. Martins Fontes, São Paulo, 2011.

DELEUZE, G. Conversações. [Trad.]. Peter Pál Pelbart. Editora 34. Rio de Janeiro, 1992.

DELEUZE, G. & PARNET, C. Diálogos. Editora Escuta. São Paulo, 1998.

DELEUZE, G e GUATARI, F. Mil Platôs: Capitalismo e Esquizofrenia.Vol. 3. [Trad.] Aurélio Guerra Neto, Ana Lucia de Oliveira, Lúcia Cláudia Leão e Suely Rolnik. Editora 34. Rio de Janeiro, 1996.

DELEUZE, G. GUATTARI, F. O que é Filosofia? Editora 34. Rio de Janeiro, 1992.

DIÉGUEZ, L. Cenários expandidos. (Re)presentacões, teatralidades e performatividades. Revista Urdimento, Florianópolis, v.15, p. 135-147, 2011.

DIÉGUEZ, L. Um teatro sem teatro: a teatralidade como campo expandido. Revista Sala Preta, V.14, n.01, 2014.

FERNANDES,S. Experiências do real no teatro. Revista Sala Preta, V.13, n.2, 2013.

FERRACINI, R. Ensaios de atuação. Editora Perspectiva: FAPESP. São Paulo, 2013.

FERRACINI, F & RABELO, A. F. Recriar Sempre. Art Research Journal. V.1, n.2, 2014.

FOUCAULT, M. Tecnologias de si. Verve. São Paulo, n.6, p. 321-360, 2004.

GIL, J. A Imagem-Nua e as Pequenas Percepções. Lisboa. Relógio D’Água Editora, 2005.

MILLER, J. Qual é o corpo que dança? Dança e educação somática para adultos e crianças. Summus editorial. São Paulo, 2012.

MOEHLECKE, V. & FONSECA, T. M. Da dança e do Devir: a dança no regime do sutil. Revista do Departamento de Psicologia,UFF, v.17, n.1, Niterói jan./jun. 2005.

PASSOS, E. Os dispositivos clínico-políticos e as redes no contemporâneo. EntreLinhas do Conselho Regional de Psicologia CRP-07, Porto Alegre, p. 8-9, Ano 2000.

PELBART, P. P. A Nau do Tempo Rei: 7 Ensaios sobre o Tempo da Loucura. Imago. Rio de janeiro, 1993.

QUILICI, C. S. Campo Expandido: Arte como ato Filosófico. Revista Sala Preta, v.14, n. 2, 2014.

ROLNIK, S. Uma terapêutica para tempos desprovidos de poesia. Catálogo da exposição Ligia Clark: da obra ao acontecimento. Somos o molde a você cabe o sopro. Curadoria de Suely Rolnik e Corinne Diserens, pelo Musée de Beaux – Arts de Nantes, França (08 out. A 31 dez 2005), e Pinacoteca do Estado de São Paulo, Brasil (25 jan. A 26 mar. 2006).

Publicado
17-05-2016
Como Citar
FERRACINI, R.; REIS, B. M. Dança e Saúde Mental: ações de potência. ARJ – Art Research Journal / Revista de Pesquisa em Artes, v. 3, n. 1, p. 129-141, 17 maio 2016.
Seção
Dossiê: Teatro em campo expandido