Biblioteca universitária: leitura inclusiva através do audiocordel

  • Raimundo Muniz de Oliveira
Palavras-chave: Literatura de cordel, Biblioteca Central Zila Mamede, Audiocordel.

Resumo


A promoção à leitura, meio pelo qual se pode absorver o conhecimento registrado, é algo que deve ser analisado com atenção por instituições educacionais e culturais, pois é a partir dela que o indivíduo pode-se desenvolver. Na biblioteca, proporcionar oportunidades de acesso às informações é tarefa de um bibliotecário, que, ciente da importância da leitura, e da necessidade de iniciativas que estimulem esta prática, está sempre buscando mecanismo para intensificar o uso do acervo existente. Em ocasião da XXI Semana de Ciência,Tecnologia e Cultura – CIENTEC, com o tema central “Luz: despertando olhares, acendendo ideias”, a Biblioteca Central Zila Mamede (BCZM) lança o projeto “Ler ilumina sua mente” com o intuito de incentivar o uso das informações que estão distribuídas em seu acervo. Uma das iniciativas foi a disponibilização do acervo de literatura de cordel, por considerá-lo um suporte que divulga a arte, a ciência e as tradições populares; ajuda na disseminação de informações e estimula o prazer pela leitura, além de levar informações relevantes a usuários diversificados. O objetivo é divulgar e estimular o uso do cordel, através do audiocordel, entre os usuários portadores de alguma deficiência visual. Para tanto, foi utilizado o DSpeech, um software que permite a leitura em voz alta de qualquer texto, assim, maximizando a leitura do cordel, transformando-o, ainda mais, em um instrumento valioso de inclusão. Espera-se que o uso do DSpeech possa despertar o interesse dos usuários com deficiência visual, ou mesmo os videntes, a essa fonte de informação. Desta forma, o acesso ao conhecimento e, especificamente, à leitura, torna-se verdadeiramente universal.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
15-12-2015
Como Citar
OLIVEIRA, R. M. DE. Biblioteca universitária: leitura inclusiva através do audiocordel. BiblioCanto, v. 1, n. 1, p. 02-15, 15 dez. 2015.
Seção
Artigos