Jacutinga

o bairro rural, o Espaço Social Alimentar e as relações de trabalho e parentesco

  • Vítor Dittz Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri
Palavras-chave: Antropologia social; Espaço Comestível; Sistema Alimentar; Permanências; Mudanças.

Resumo


O presente artigo é uma etnografia de um bairro rural formado por pequenas unidades familiares com produção destinada a subsistência. A Jacutinga está situada no município do Serro—Minas Gerais. Ao longo da pesquisa analisei o Espaço Social Alimentar (POULAIN e PROENÇA, 2003) dos moradores, sobretudo o Espaço do Comestível e o Sistema Alimentar local. As mudanças e permanências na alimentação e sua dinâmica de produção e consumo foram analisadas no período que se estende de 1970 a 2018. Procedimentos metodológicos como entrevista semiestruturada recorrente, observação participante e conversas informais auxiliaram no desenvolvimento desse estudo. As relações sociais e as de trabalho, assim como as sociabilidades entorno do processo de obtenção e de produção dos gêneros alimentícios foram contempladas ao longo da análise.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

  • BRANDÃO, Carlos Rodrigues. Plantar, colher, comer: um estudo sobre o campesinato goiano. Rio de Janeiro: Graal, 1978.

  • BRANDÃO, Carlos Rodrigues. Os caipiras de São Paulo. São Paulo: Ed Brasiliense, 1983.

  • BRANDÃO, Carlos Rodrigues. A partilha da vida. Taubaté: GEIC, Cabral,1995.

  • CANDIDO, Antônio. Os parceiros do Rio Bonito. São Paulo: Livraria Duas Cidades, 1979.

  • MACIEL, Maria. Eunice. Identidade cultural e alimentação. IN: CANESQUI, A. M.; GARCIA, R. W. D. Antropologia e nutrição: um diálogo possível. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2005

  • MARTINS, José de Souza. A sociabilidade do homem simples. 3 ed. São Paulo: Contexto, 2015.

  • MAUSS, Marcel. Sociologia e antropologia. Tradução: paulo Neves. São Paulo: Cosac Naify, 2015.

  • POULAIN, Jean-Pierre; PROENÇA, Rossana Pacheco da Costa. O espaço social alimentar: um instrumento para o estudo dos modelos alimentares. Revista de Nutrição, v.16. n.3, p.245-256, 2003.

  • POULAIN, Jean-Pierre. Sociologias da alimentação: os comedores e o espaço social alimentar. Florianópolis: UFSC, 2004, 311 p.

  • QUEIROZ, Maria Isaura Pereira. Bairros rurais. Paulistas. São Paulo: Livraria Duas Cidades,1973.

  • QUEIROZ, Maria. Isaura Pereira. O campesinato brasileiro. Petrópolis: Vozes, 1976.

  • SANTOS, Milton. Pensando o espaço do homem. 4 ed. São Paulo: HUCITEC, 1997.

  • WOORTMANN, Ellen F. O sítio camponês. In: Anuário Antropológico 81. Brasília/Rio de Janeiro: EdUnB/Tempo Brasileiro, 1983.

  • WOORTMANN, Ellen. Memória Alimentar: prescrições e proscrições. In: WOORTMANN, Ellen & CAVIGNAC, Julie (orgs.) Ensaios sobre Antropologia da alimentação: saberes, dinâmicas e patrimônio. Natal: EDUFRN. 2016 p.55-88.

Publicado
07-08-2021
Como Citar
DITTZ, V. Jacutinga. Equatorial – Revista do Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social, v. 8, n. 15, p. 1-26, 7 ago. 2021.