A visualização da informação nos observatórios de informação das Federações da Indústria do Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21680/2447-0198.2024v8n1ID34745

Palavras-chave:

ciência da informação, observatórios de informação, federações da indústria, visualização da informação, divulgação de dados abertos

Resumo

A pesquisa apresenta uma análise dos observatórios da informação ligados às Federações da Indústria do Brasil, responsáveis por fornecer informações expressivas e efetivas para a tomada de decisões no setor industrial. Teve o intento de analisar as estruturas de visualização de informação desses observatórios, investigando como utilizam conceitos, técnicas e tecnologias em visualização de informações para criar seus painéis interativos e divulgar dados em dashboards. O estudo possui caráter de observação exploratória, com abordagem qualitativa e elementos quantitativos para aprofundar a análise e validar hipóteses. Baseia-se em análise bibliográfica e documental, utilizando materiais dos observatórios acessados durante o processo específico de observação. Possui como objetos de investigação os observatórios das Federações da Indústria de sete estados brasileiros (Ceará, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Paraná, Pernambuco e Santa Catarina), que mantêm processos informacionais consolidados. Os resultados englobam uma revisão bibliográfica significativa sobre os observatórios de informação e a disciplina de Visualização da Informação, além da identificação de boas práticas em técnicas de visualização de informações utilizadas pelos observatórios analisados. Apresenta também uma proposta de modelo para a visualização de informações em ambientes virtuais de observatórios de informação. Conclui-se que a integração entre os observatórios, aliada a investimentos em capacitação e tecnologia, são elementos-chave para o desenvolvimento dessas instituições. Além disso, o modelo conceitual proposto oferece uma estrutura que orienta a implementação e o aprimoramento das práticas de visualização, buscando melhorar a comunicação e a interpretação dos dados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Julio Augusto Enders de Albuquerque, Universidade Federal de Alagoas

Trainee - Sebrae Alagoas: Analista de Negócios, Unidade de Gestão Estratégica. Mestre em Ciência da Informação (PPGCI-UFAL); Tecnólogo em Gastronomia (Nassau - 2016); Bacharel em Administração (UFAL - 2019); MBA em Gestão de Negócios e Inteligência Competitiva (UNIT - 2018); Especialista em Gestão de Pessoas: carreiras, liderança e coaching (PUCRS - 2021); Especialista em Docência na Educação Profissional (IFAL - 2022)

Ibsen Mateus Bittencourt, Universidade Federal de Alagoas

Doutor em Administração de Empresas (Mackenzie-SP), Mestre Educação Brasileira na linha de Tecnologia da Informação e Comunicação TIC (UFAL), Bacharel em Administração de Empresas (UFAL) e Bacharel em Turismo (CESMAC). É Professor Adjunto IV da Universidade Federal de Alagoas - UFAL e Pesquisador do Núcleo de Excelência em Tecnologias Sociais - NEES/UFAL/CNPq

Jovino Pinto Filho, Universidade Federal de Alagoas

Mestre em Administração Pública pela Universidade Federal de Alagoas (2022). Especialista em Gestão Pública pela Universidade Federal de Sergipe (2016). Especialista em Administração Estratégica pela Estácio-FASE (2016). Bacharel em Administração pela Universidade Federal de Sergipe (2011). Atualmente exerce o cargo de Administrador na Universidade Federal de Alagoas – UFAL e atua como Pesquisador no Núcleo de Excelência em Tecnologias Sociais- NEES

Luciana Peixoto Santa Rita, Universidade Federal de Alagoas

Doutora em Administração pela Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade - USP e Pós-doutora em Economia, área de Política Industrial no ISEG na Universidade de Lisboa. Professora Titular da Universidade Federal de Alagoas. Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Administração Pública em Rede Nacional (PROFIAP). Professora do Programa de Pós-Graduação em Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia para Inovação (PROFNIT- 2018-2022) e do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação. Avaliadora do Ministério da Educação, CAPES e do ARCO-SUL desde 2006

Referências

AHMED, F; ROBINSON, S.; TAKO, A. A. Using the structured analysis and design technique (SADT) in simulation conceptual modeling. In: WINTER SIMULATION CONFERENCE, 2014, Savannah, GA. Proceedings […] Savannah, GA: IEEE, 2014. p. 1038- 1049. DOI: http://dx.doi.org/10.1109/WSC.2014.7019963. Disponível em: https://ieeexplore.ieee.org/document/7019963. Acesso em: 4 mar. 2023.

ANGULO MARCIAL, N. ¿Qué son los observatorios y cuáles son sus funciones? Innovación Educativa, México, DF, v. 9, n. 47, p. 5-17, abr./jun. 2009. Disponível em: https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=179414895002. Acesso em: 4 mar. 2023.

AUGUSTO JUNIOR, S. N. A teoria do vale da estranheza aplicada às ciências da comunicação: um estudo sobre os personagens de marca a partir de uma abordagem cognitivista. 2017. 132 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Comunicação) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2017. Disponível em: https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/27/27153/tde-05092017-095727/. Acesso em: 18 fev. 2023.

BARRETO, A. A. A Visualização da Informação: uma afetividade para olhar a informação. Datagramazero: Revista de Ciência da Informação, Rio de Janeiro, v. 14, n. 6, p. 1-9, dez. 2013. Disponível em: https://ridi.ibict.br/handle/123456789/444. Acesso em: 4 mar. 2023.

BARRIOS, D.; TORRELLI, M.; CASTRO, D.; PIRIZ CARRILLO, M.; SILVA, N.; SANTIBÁÑEZ YÁÑEZ, D.; MORALES, B.; BERGONSI, S.; BALHS, M.; IASKIO, E. Matriz conceptual y operativa de un “Observatorio Mercosur Cooperativo” (OMERCOOP). uniRcoop, v. 4, n. 1, p. 51-78, 2006. Disponível em: https://repositorio.uchile.cl/handle/2250/121794. Acesso em: 4 mar. 2023.

BATISTA, A. D.; PACHECO, R. C. S.; DUARTE, K. B.; SELL, D.; MARCHEZAN, M. A. Observatórios de Competência. In: CONGRESSO INTERNACIONAL DE CONHECIMENTO E INOVAÇÃO, 6., 2016, Bogotá. Anais […] Bogotá: ciKi, 2016. Disponível em: https://www.researchgate.net/profile/Roberto-Pacheco-5/publication/321985141_Observatorios_de_Competencia/links/5b0174250f7e9be94bd98aa9/Observatorios-de-Competencia.pdf. Acesso em: 4 mar. 2023.

BENOÎT, G. Introduction to Information Visualization: transforming data into meaningful information. London: Rowman & Littlefield, 2019.

BOTERO, S. L.; QUIROZ, J. T. Los observatorios como herramientas de gobierno en las políticas públicas: descripción de sus orígenes, dinámicas y problemáticas. In: ESLAVA, Adolfo (ed.). La investigación de las políticas públicas: contribuciones desde la academia. Medellín, CO: Universidad Nacional de Colombia : Red Antioqueña de Políticas Públicas (RAPP) 2011. p. 181-207. Disponível em: https://repository.eafit.edu.co/handle/10784/26487. Acesso em: 4 mar. 2023.

CARD, S. K.; MACKINLAY, J. D.; SHNEIDERMAN, B. Readings in Information Visualization, using visualization to think. San Francisco, CA: Morgan Kaufmann, 1999. p. 1-34. Disponível em: https://hci.ucsd.edu/220/CMSChap1_Using_Vision_to_Think.pdf. Acesso em: 4 mar. 2023.

CASTELLS, M. A sociedade em Rede. 23. ed. Rio de Janeiro: Paz&Terra, 2021. (A era da informação: economia, sociedade e cultura; v. 1).

DECKLER, G. Learn Power BI: a beginner's guide to developing interactive business intelligence solutions using microsoft power bi. Birmingham: Packt Publishing, 2019.

DIAS, M. P.; CARVALHO, J. O. F. A visualização da informação e a sua contribuição para a ciência da informação. Datagramazero: Revista de Ciência da Informação, Rio de Janeiro, v. 8, n. 5, p. 1-16, out. 2007. Disponível em: https://brapci.inf.br/index.php/res/v/6137#:~:text=Este%20trabalho%20visa%20apresentar%20a,Informa%C3%A7%C3%A3o%20na%20transmiss%C3%A3o% 20de%20conhecimento. Acesso em: 4 mar 2023.

ENJUTO, N. Razón de ser de los Observatorios. In: OBSERVATORIO DEL VOLUNTARIADO (ODV). Observando Observatorios ¿Nuevos agentes en el Tercer Sector? Madrid: OVD : Plataforma del Voluntariado de España, 2010. p. 10-17. Disponível em: https://plataformavoluntariado.org/wp- content/uploads/2018/10/razon-de-ser-de-los-observatorios.pdf. Acesso em: 4 mar. 2023.

FEW, S. Show Me the Numbers: Designing Tables and Graphs to Enlighten. 2. ed. Oakland: Analytics Press, 2012.

FLICK, U. Introdução à pesquisa qualitativa. 6. ed. Porto Alegre: SAGE, 2018.

FREITAS, C. M. D. S.; CHUBACHI, O. M.; LUZZARDI, P. R. G.; CAVA, R. A. Introdução a Visualização de Informações. Rita, Porto Alegre, v. 8, n. 2, p. 143- 158, out. 2001. Disponível em: https://lume.ufrgs.br/handle/10183/19398. Acesso em: 4 mar. 2023.

GIL, A. C. Como Elaborar Projetos de Pesquisa. 6. ed. São Paulo: Editora Atlas, 2017.

GOMES, M. S.; ROSSARI, T.; ECKER, G.; VISINTIN, L.; CANDIDO, A. P. Uma ontologia de domínio no contexto de Observatórios. In.: ONTOBRAS SEMINÁRIO DE PESQUISA EM ONTOLOGIAS DO BRASIL, 9., 2016, Curitiba. Anais [...]. Curitiba: ONTOBRAS, 2016. p. 203-208. Disponível em: https://ceur-ws.org/Vol-1862/paper-21.pdf. Acesso em: 4 mar. 2023.

GUSMÃO, M. R. Observatório apoia a adoção de tecnologias de gestão. Informe, v. 26, n. 175, 2006.

HERMAN, I.; MELANCON, G.; MARSHALL, M. Graph Visualization and Navegation in Information Visualization: a survey. IEEE, Transactions on Visualization and Computer Graphics, Seattle, v. 6, n. 1, p. 24-29, Jan./Mar. 2000, DOI: http://dx.doi.org/10.1109/2945.841119. Disponível em: https://ieeexplore.ieee.org/document/841119. Acesso em: 4 mar. 2023.

HUSILLOS, J. Círculo para la calidad de los servicios públicos de l’Hospitalet. In: SEMINARIO INMIGRACIÓN Y EUROPA, 4., 2006, Barcelona. Anais […]. Barcelona, ES: CIDOB, 2006. p. 149-153. Tema: Inmigración y gobierno local. Experiencias y retos. Disponível em: https://www.files.ethz.ch/isn/145683/Inmigraci%C3%B3n%20y%20Gobierno%20local%20experiencias%20y%20retos_FULL%20TEXT.pdf. Acesso em: 4 mar. 2023.

JOHNSON, J.; HENDERSON, A. Conceptual Models: begin by designing what to design. Interactions, v. 9, n. 1, p. 25-32, Jan. 2002. Disponível em: https://dl.acm.org/doi/10.1145/503355.503366. Acesso em: 4 mar. 2023.

LAGO, K.; ALVES, L. Dominando o Power BI. 3. ed. São Paulo: Datab Inteligência e Estratégia, 2020.

LIMA, G. A. B. O. Modelo hipertextual - MHTX: um modelo para organização hipertextual de documentos. DataGramaZero: Revista de Ciência da Informação, Rio de Janeiro, v. 8, n. 4, ago. 2007. Disponível em: http://hdl.handle.net/20.500.11959/brapci/6114. Acesso em: 4 mar. 2023.

MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. Fundamentos de metodologia científica. São Paulo: Editora Atlas, 2017.

MORAES, A. Infografia: história e projeto. São Paulo: Blucher, 2013. (Pensando Design).

MOREIRA, M. A. Mapas Conceituais e Aprendizagem Significativa. Porto Alegre: UFRGS, Instituto de Física, 2012.

MOREIRA, M. A. Mapas Conceituais e Diagramas V. Porto Alegre: UFRGS, Instituto de Física, 2010.

NASCIMENTO, H. A. D. do; FERREIRA, C. B. R. Uma introdução à visualização de informações. Visualidades, Goiânia, v. 9, n. 2, p. 13-43, jul./dez. 2011. DOI: https://doi.org/10.5216/vis.v9i2.19844. Disponível em: https://revistas.ufg.br/VISUAL/article/view/19844. Acesso em: 4 mar. 2023.

OBSERVATÓRIO DA INDÚSTRIA. Inteligência em dados. Fortaleza: Federação das Indústrias do Estado do Ceará, 2023. Disponível em: https://www.observatorio.ind.br/inteligencia-de-dados. Acesso em: 10 jun. 2023.

OBSERVATÓRIO FIEG. Indicadores. Goiânia: Federação das Indústrias do Estado de Goiás / Instituto Euvaldo Lodi, 2023. Disponível em: https://observatoriofieg.com.br/painel-setorial/indicadores/. Acesso em: 10 jun. 2023.

ORTEGA, C.; DEL VALLE, R. S. S. Nuevos retos de los observatorios culturales. Boletín Gestión Cultural, [s.l.], n. 19, p. 1-15, enero 2010. Disponível em: https://www.uv.es/eutransforma/SESION7/observatoriosOrtega.pdf. Acesso em: 4 mar. 2023.

PHÉLAN C., M. La Red Observatorios Locales de Barcelona, España: un estudio de casos para diseñar uma propuesta nacional. Revista Venezolana de Sociología y Antropología, Mérida, VE, v. 17, n. 48, p. 96-122, enero/abr. 2007. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/705/70504806.pdf. Acesso em: 4 mar. 2023.

PINTO, A. M. A.; CERQUEIRA, A. J. P.; BAPTISTA, I. S. T.; PINTO, M. M. G. de A. Observatórios de Ciência da Informação da Universidade do Porto: um projeto colaborativo de sucesso. Cadernos Bad, Porto, Portugal, v. 1, n. 1, p. 57-70, jan./jun. 2015. Disponível em: https://repositorio-aberto.up.pt/handle/10216/84774. Acesso em: 4 mar. 2023.

PRIETO, R. Observatorios en internet. Servicio de Observación sobre Internet - SOI, boletín semanal, n. 240, Barcelona, ES, Oct. 2003. Disponível em: www.observatoriodigital.net/bol240.htm#observatorio. Acesso em: 4 mar. 2023.

REBOUÇAS, E.; CUNHA, P. Observatório de mídia como instrumentos para (da) democracia. RECIIS – Revista Eletrônica de Comunicação, Informação e Inovação em Saúde, Rio de Janeiro, v. 4, n. 4, p. 85-93, nov. 2010. DOI: https://doi.org/10.3395/reciis.v4i4.650. Disponível em: https://www.reciis.icict.fiocruz.br/index.php/reciis/article/view/650. Acesso em: 4 mar. 2023.

ROCHA, H. V. da; BARANAUSKAS, M. C. Design e avaliação de interfaces humano-computador. Campinas: Unicamp, 2003. Disponível em: https://www.nied.unicamp.br/biblioteca/design-e-avaliacao-de-interfaces-humano-computador/. Acesso em: 4 mar. 2023.

RODRIGUES, A. A. Design e Visualização de Dados: explorando dados compartilhados em ambientes digitais. Revista FSA, Teresina, v. 19, n. 11, art. 6, p. 96-109, nov. 2022. DOI: http://dx.doi.org/10.12819/2022.19.11.5. Disponível em: http://www4.unifsa.com.br/revista/index.php/fsa/article/view/2616. Acesso em: 4 mar. 2023.

SHARDA, R.; DELEN, D.; TURBAN, E. Business Intelligence e Análise de Dados para gestão do negócio. 4. ed. Porto Alegre: Bookman, 2019.

SILVA, F. C. C. da Visualização de dados: passado, presente e futuro. Liinc, Rio de Janeiro, v. 2, n. 15, p. 205-223, nov. 2019. Mensal. DOI: https://doi.org/10.18617/liinc.v15i2.4812. Disponível em: https://revista.ibict.br/liinc/article/view/4812. Acesso em: 4 mar. 2023.

SOARES, L. C. Observatório de Transporte e Logística: Diretrizes para um Modelo Conceitual. 2018. Dissertação (Mestrado em Gestão do Conhecimento e da Tecnologia da Informação) – Universidade Católica de Brasília (UCB), Brasília, 2018. Disponível em: https://bdtd.ucb.br:8443/jspui/handle/tede/2547. Acesso em: 4 mar. 2023.

TESTA, P. Indicadores científicos y tecnológicos en Venezuela: de las encuestas de potencial observatorio de Ciencia, Tecnología e Innovación. Cuadernos Del Cendes. Caracas, VE, v. 1, n. 51, p. 43-64, 2002. Disponível em: https://catalogosiidca.csuca.org/Record/CR.UNA01000165864/Details. Acesso em: 4 mar. 2023.

TRZECIAK, D. S. Modelo de observatório para arranjos produtivos locais. 2009. 236 f. Tese (Doutorado em Engenharia de Produção) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2009. Disponível em: https://core.ac.uk/download/pdf/30373728.pdf. Acesso em: 4 mar. 2023.

Downloads

Publicado

15-02-2024

Como Citar

ALBUQUERQUE, J. A. E. de; BITTENCOURT, I. M. .; PINTO FILHO, J.; SANTA RITA, L. P. . A visualização da informação nos observatórios de informação das Federações da Indústria do Brasil. Revista Informação na Sociedade Contemporânea, [S. l.], v. 8, n. 1, p. e34745, 2024. DOI: 10.21680/2447-0198.2024v8n1ID34745. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/informacao/article/view/34745. Acesso em: 21 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos