MISTIFICAÇÃO DO REAL OU TOTALIDADE CONCRETA: O QUE DIZEM OS DADOS SOBRE A PRÁTICA PEDAGÓGICA DE DOCENTES DA SOCIOLOGIA DA ESCOLA BÁSICA?

Autores

  • Tatiana Bukowitz Colégio Pedro II/RJ

DOI:

https://doi.org/10.21680/1982-1662.2016v1n19ID11784

Palavras-chave:

Ensino de Sociologia. Precarização do Trabalho Docente. Educação Básica. Metodologia de Pesquisa. Políticas Públicas Educacionais no Brasil.

Resumo

Como se caracterizam a realidade pedagógica e a estrutura de trabalho profissional de docentes de sociologia/ciências sociais do ensino médio? Qual o alcance das ações pedagógicas desses docentes diante das condições objetivas e subjetivas que circunscrevem o cotidiano de suas práticas educacionais? Qual a interferência dessa estrutura de trabalho nas demais esferas da vida dessas pessoas que assumem a docência de sociologia na escola básica como profissão? Estas três questões nortearam o percurso investigativo que culminou na tese “Sociologia como (in)disciplina escolar: desafios da prática docente” (defendida em junho de 2015 no PPFH – UERJ, Programa de Pós-Graduação de Políticas Públicas e Formação Humana da Universidade do Estado do Rio de Janeiro). Para responder essas perguntas, realizou-se pesquisa de campo para captar dados que permitissem a caracterização da realidade de vida desses profissionais. Este trabalho apresenta, portanto, uma síntese analítica dos dados desta pesquisa de campo. As entrevistas realizadas neste percurso de investigação foram feitas em duas etapas. Na primeira, utilizou-se questionário semiestruturado com um total de 61 questões (mesclando questões objetivas com questões abertas), aplicado presencialmente a 10 docentes do Rio de Janeiro (região metropolitana da capital do Estado). A segunda etapa foi realizada com outros 10 docentes (6 do Rio de Janeiro e 4 de outros estados), empregando questionário semiestruturado, também mesclando questões objetivas com questões abertas, porém com um número reduzido de questões, uma vez que visávamos conferir, especialmente, os dados documentados relativos à remuneração total mensal advinda da docência em sociologia por escola e também uma confirmação sobre a média do quantitativo de turmas e estudantes ao cago de cada docente, em cada escola dessa região. Os integrantes desse segundo grupo de entrevistados forneceram cópias dos contracheques de suas atividades como profissionais docentes de sociologia, atestando de modo oficial os dados referentes aos salários por eles declarados. Os dados objetivos e os elementos subjetivos explicitados pelas narrativas dos docentes entrevistados são analisados segundo o materialismo histórico-dialético. As informações fornecidas permitem que compreendamos a dupla inter-relação, muitas vezes perversa e danosa, existente entre as circunstâncias pedagógicas do cotidiano profissional escolar e a estrutura das suas rotinas de vida pessoal. A leitura dos dados fornecidos pelas entrevistas fundamenta-se na perspectiva teórico-metodológica de Karel Kosik e nos conceitos de totalidade complexa e pseudoconcreticidade, por ele adotados na obra Dialética do Concreto (1976). Complementarmente, o conceito de onilateralidade, empregado pelo estudioso Mario Alighiero Manacorda orienta-nos que o fenômeno estudado seja observado dentro da perspectiva marxista, trazendo à tona uma compreensão do ser humano de modo integral e dinâmico, em todas as esferas da vida, e não somente no plano profissional e/ou econômico. O resultado da pesquisa indica, de um lado, contradições entre o potencial crítico e subversivo dessa disciplina escolar bem como as motivações educacionais desses docentes e, de outro, o esvaziamento da prática escolar, a corrosão da vida privada, enfraquecimento da saúde, o desgaste físico e emocional desses profissionais, que, ainda assim, compreendem suas práticas pedagógicas como espaço privilegiado para a formação democratizadora, politizada e pluralista dos estudantes do ensino médio.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tatiana Bukowitz, Colégio Pedro II/RJ

Doutora em Políticas Públicas e Formação Humana pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Professora do Departamento de Sociologia do Colégio Pedro II do Rio de Janeiro.

Downloads

Publicado

07-04-2017

Como Citar

BUKOWITZ, T. MISTIFICAÇÃO DO REAL OU TOTALIDADE CONCRETA: O QUE DIZEM OS DADOS SOBRE A PRÁTICA PEDAGÓGICA DE DOCENTES DA SOCIOLOGIA DA ESCOLA BÁSICA?. Revista Inter-Legere, [S. l.], v. 1, n. 19, p. 132–149, 2017. DOI: 10.21680/1982-1662.2016v1n19ID11784. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/interlegere/article/view/11784. Acesso em: 12 jul. 2024.

Edição

Seção

ENSINO DE CIÊNCIAS SOCIAIS