SEGUINDO AS REDES DE BRUNO LATOUR: UM ENSAIO SOBRE A ANTROPOLOGIA SIMÉTRICA E A TEORIA DO ATOR-REDE

Resumo


Este artigo faz parte de um esforço no sentido de compreender o pensamento de um dos autores mais importantes das Ciências Sociais na contemporaneidade: Bruno Latour. Com sua escrita hermética, abstrata, filosófica e por vezes, difícil de compreender, este autor nos oferece uma lente totalmente inovadora no modo de se pensar sobre a forma como o conhecimento científico é construído, nos lançando o seguinte questionamento: Por que as Ciências Sociais são tão antropocêntricas?

A tese proposta por Latour nos oferece uma visão, na qual as coisas e os não-humanos devem ser considerados nas análises científicas, pois também fazem parte do mundo social. Visando acabar com a oposição sujeito-objeto, ele propõe como saída, a tentativa de superar o abismo entre homens e coisas, seres humanos e não humanos, sociedade e natureza e entre ciências humanas e ciências naturais, através de um princípio de simetria, que busca explicar natureza e sociedade com igualdade de tratamento, dando importância aos híbridos e reconciliando a separação dicotômica entre sujeitos e objetos que por sua vez, passam a se apresentar à teoria social de uma maneira diferente e que sem dúvidas,  balança as bases da antropologia moderna.

Palavras-chave: Teoria do Ator-Rede. Antropologia Simétrica. Humanos e Não Humanos. Bruno Latour.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
26-04-2021
Como Citar
MILANÊS, R. SEGUINDO AS REDES DE BRUNO LATOUR: UM ENSAIO SOBRE A ANTROPOLOGIA SIMÉTRICA E A TEORIA DO ATOR-REDE. Revista Inter-Legere, v. 4, n. 31, p. c21470, 26 abr. 2021.