O FUZILAMENTO DOS INIMIGOS COM UM VIOLÃO

hibridação, mediação, tecnologia e violência na música do Brasil contemporâneo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21680/1982-1662.2022v5n33ID28031

Resumo

Resumo: o campo de pesquisa deste artigo é a Sociologia da Música a partir da problematização da questão cultural e sua relação com a sociedade brasileira contemporânea. Para isso, foi analisada a versão do challenge da música “Aí Calica” no TikTok e de duas imagens, a primeira publicada na plataforma do Instagram e a outra nos canais oficiais do Governo Federal. Buscamos desvelar os sintomas de uma associação entre a hibridação presente na música, na tecnologia e na violência através da incorporação e da normatização da imagem e do som do fuzil. Dessa forma, ao reforçar o comum e o ordinário da violência através do agenciamento de culturas, também são intensificados e legitimados os conflitos contra negros, pobres e moradores de periferias. Pode-se também através da cultura, construir um dos espaços para se pensar e se fazer uma outra forma de agir e de ser sociedade que não negue o conflito e a violência, mas que os problematizem também na música.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Andersonn Henrique Araújo, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

Possui graduação em Licenciatura Música pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (2009) e Mestrado Acadêmico em Música pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (2015). Atualmente é professor assistente da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte. Tem experiência na área de Artes, com ênfase em Educação Musical, atuando principalmente nos seguintes temas: programas sociais governamentais, contextos não formais de educação, formação de professores e Pensamento Complexo.

Downloads

Publicado

23-03-2022

Como Citar

ARAÚJO, A. H. O FUZILAMENTO DOS INIMIGOS COM UM VIOLÃO: hibridação, mediação, tecnologia e violência na música do Brasil contemporâneo. Revista Inter-Legere, [S. l.], v. 5, n. 33, p. c28031, 2022. DOI: 10.21680/1982-1662.2022v5n33ID28031. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/interlegere/article/view/28031. Acesso em: 15 ago. 2022.

Edição

Seção

ARTIGOS