AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS USUÁRIOS EM RELAÇÃO ÀS AÇÕES DO NÚCLEO DE APOIO À SAÚDE DA FAMÍLIA NUM MUNICÍPIO BRASILEIRO DE MÉDIO PORTE

  • Jane Suely de Melo Nóbrega Secretaria Municipal de Saúde de Macaíba-RN
  • Ana Beatriz Fernandes Azevedo UFRN
  • Bárbara de Souza Faria UFRN
  • Olívia Maria Costa de Figueredo UFRN
  • Vanessa Nunes Paiva Saraiva UFRN
  • Maurília Raquel de Souto Medeiros UFRN
  • Andressa da Rocha Medeiros UFRN
  • Olga Benário Vieira Maranhão UFRN
  • Maria Vitória Costa Germano UFRN
  • Leonardo Cesar Amaro da Silva UFRN
Palavras-chave: Atenção Primária à Saúde, Saúde da Família, Gestão em Saúde

Resumo


Objetivo: Esta pesquisa avaliou o nível de satisfação dos usuários sobre o Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF) e sua atuação em relação à contribuição nas Unidades de Saúde da Família da Secretaria Municipal de Saúde de Macaíba. Metodologia: Os dados foram coletados na rede pública de saúde de Macaíba-RN, a partir de questionário semiestruturado e observação sistemática não participante, tendo como sujeitos 200 usuários representantes das 20 unidades pesquisadas. Para análise da questão aberta foi utilizado o processo de categorização. Sobre o método observacional, baseou-se na organização do espaço, nas características dos sujeitos participantes e o conjunto específico das atividades realizadas pelas equipes do Núcleo de Apoio à Saúde da Família segundo um roteiro de observação.  Resultados: Para os usuários, o NASF trouxe garantia de melhor acesso aos serviços com atendimento especializado, resolutivo e acolhedor. Conclusão: A existência de melhorias trazidas pelo NASF à comunidade foi percebida por todos os participantes desse estudo, o que justifica a manutenção, continuidade e ampliação destas equipes no município de Macaíba trazendo resolutividade e ampliação da cobertura na atenção especializada à população assistida.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jane Suely de Melo Nóbrega, Secretaria Municipal de Saúde de Macaíba-RN
Cirurgiã-Dentista. Mestre em Saúde Coletiva pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte-UFRN. Coordenadora de Saúde Bucal da Secretaria Municipal de Saúde de Macaíba-RN.
Ana Beatriz Fernandes Azevedo, UFRN
Cirurgiã-Dentista pela UFRN. Ex Bolsista voluntária de pesquisa da UFRN
Bárbara de Souza Faria, UFRN
Cirurgiã-Dentista pela UFRN. Ex Bolsista voluntária de pesquisa da UFRN
Olívia Maria Costa de Figueredo, UFRN
Cirurgiã-Dentista pela UFRN. Ex Bolsista voluntária de pesquisa da UFRN
Vanessa Nunes Paiva Saraiva, UFRN
Cirurgiã-Dentista pela UFRN. Ex Bolsista de Iniciação Científica do CNPq
Maurília Raquel de Souto Medeiros, UFRN
Cirurgiã-Dentista pela UFRN. Ex Bolsista de Extensão da UFRN
Andressa da Rocha Medeiros, UFRN
Cirurgiã-Dentista pela UFRN. Ex Bolsista de Iniciação Científica da PROPESQ-UFRN
Olga Benário Vieira Maranhão, UFRN
Cirurgiã-Dentista pela UFRN. Ex Bolsista voluntária de pesquisa da UFRN
Maria Vitória Costa Germano, UFRN
Cirurgiã-Dentista pela UFRN. Ex Bolsista de Iniciação Científica da PROPESQ-UFRN
Leonardo Cesar Amaro da Silva, UFRN
Cirurgião-Dentista pela UFRN. Ex Bolsista voluntário de pesquisa da UFRN

Referências

  • Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Diretrizes do NASF: núcleo de apoio à saúde da família. Brasília: Ministério da Saúde; 2009. (Série B. Textos Básicos de Saúde) (Cadernos de Atenção Básica; n. 27).

  • Brasil. Ministério da Saúde. Portaria GM nº 154, de 24 de janeiro de 2008. Cria os Núcleos de Apoio à Saúde da Família – NASF. Brasília: Ministério da Saúde; 2008.

  • Brasil. Ministério da Saúde. Portaria nº 3252 de 22 de dezembro. Aprova as diretrizes para execu- ção e financiamento das ações de Vigilância em Saúde. Diário Oficial [da] União. Brasília DF, 22 dez. 2009

  • Bauer MW, Gaskell G. Pesquisa qualitativa com texto imagem e som: um manual prático. Petrópolis: Editora Vozes; 2002. p. 189-217.

  • Marconi MA, Lakatos EM. Técnicas de pesquisa. 6. ed. São Paulo: Atlas; 2006. p. 87-92.

  • Bardin L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70; 2010.

  • Freitas H, Janissek R. Análise léxica e análise de conteúdo: técnicas complementares, seqüenciais e recorrentes para exploração de dados qualitativos. Porto Alegre: Sagra; 2000.

  • Felisberto E. Da teoria a formulação de uma política nacional de avaliação em Saúde: reabrindo o debate. Cien Saúde Coletiva 2006; 11(3): 553-63.

  • Giovanella L, Escorel S, Lobato LVC, Noronha JV, Carvalho AI. Políticas e sistema de saúde no Brasil. Rio de Janeiro: Fiocruz; 2009.

  • Ditterich RG, Gabardo MCL, Moysés SJ. As ferramentas de trabalho com famílias utilizadas pelas equipes de saúde da família de Curitiba, PR. Saúde Soc 2009; 18(3):515-24.

  • Brasil. Ministério da Saúde. Portaria MS 2488/2011. Institui a nova Política Nacional de Atenção Básica, revogando a Portaria MS 645/2006. Brasília: Ministério da Saúde; 2011.

  • Oliveira LH, Mattos RA; Souza, AIS. Cidadãos peregrinos: os "usuários" do SUS e os significados de sua demanda a prontos-socorros e hospitais no contexto de um processo de reorientação do modelo assistencial. Ciênc. Saúde Coletiva 2009; 14(5):1929-1938.

  • Nascimento DDG, Oliveira MAC. Reflexões sobre as competências profissionais para o processo de trabalho nos Núcleos de Apoio à Saúde da Família. Mundo Saúde 2010; 34(1): 92-96.

  • Araujo MBS, Rocha PM. Trabalho em equipe: um desafio para a consolidação da estratégia de saúde da família. Cienc. Saude Coletiva 2007; 12(2):455-64.

  • Mendonca MHM, Martins, MIC, Giovanella L, Escorel S .Desafios para gestão do trabalho a partir de experiências exitosas de expansão da estratégia dee saúde da família. Ciênc Saúde Coletiva [Online] 2010;15(5): 2355-2365.

  • Ramos DD, Lima MADS. Acesso e acolhimento aos usuários em uma unidade de saúde de Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil. Cad Saúde Pública 2003; 19(1):27-34.

  • Aciole GG. Das dimensões pedagógicas para a construção da cidadania no exercício do controle social. Interface Comum Saúde Educ 2007; 1( 23): 409-26.

  • Contrandiopoulos AP. Avaliando a institucionalização da avaliação. Cien Saúde Coletiva 2006; 11(3):705-711.

  • Hartz ZM. A. Institucionalizar e qualificar a avaliação: outros desafios para a atenção básica. Cien Saúde Coletiva 2002; 7(3):419-21.

  • Donabedian A. The seven pillars of quality. Arch Pathol Lab Med 1990; 114(11):1115-18.

  • Pisco LA. A avaliação como instrumento de mudança. Ciênc Saúde Coletiva 2006; 11(3):564-576.

Publicado
30-08-2016
Como Citar
NÓBREGA, J. S. DE M.; AZEVEDO, A. B. F.; FARIA, B. DE S.; FIGUEREDO, O. M. C. DE; SARAIVA, V. N. P.; MEDEIROS, M. R. DE S.; MEDEIROS, A. DA R.; MARANHÃO, O. B. V.; GERMANO, M. V. C.; SILVA, L. C. A. DA. AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS USUÁRIOS EM RELAÇÃO ÀS AÇÕES DO NÚCLEO DE APOIO À SAÚDE DA FAMÍLIA NUM MUNICÍPIO BRASILEIRO DE MÉDIO PORTE. Revista Ciência Plural, v. 2, n. 1, p. 69-88, 30 ago. 2016.
Seção
Artigos