AVALIAÇÃO DA GESTÃO DO TRABALHO COM ENFOQUE NA ATUAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE

  • Tainara Lôrena dos Santos Ferreira Acadêmica do Curso de Graduação em Enfermagem da Universidade Federal do Rio Grande do Norte/ Faculdade de Ciências da Saúde do Trairi. Bolsista PIBIC/CNPq-UFRN.
  • Dandara Rayssa Silva de Souza Acadêmica do Curso de Graduação em Enfermagem da Universidade Federal do Rio Grande do Norte/ Faculdade de Ciências da Saúde do Trairi. Bolsista PIBIC/CNPq-UFRN.
  • Fábia Barbosa de Andrade Enfermeira. Doutora em Ciências da Saúde. Professora Adjunto II da Universidade Federal do Rio Grande do Norte.
Palavras-chave: Estudos de Avaliação, Gestão em Saúde, Atenção Primária à Saúde

Resumo


Introdução: Os profissionais dos serviços de saúde apresentam-se, como fundamentais para o fortalecimento da Atenção Primária e para os demais níveis de assistência por está relacionado a qualidade do atendimento oferecido ao usuário, e a efetividade das linhas de cuidado que visem à integralidade. Objetivo: Este estudo se propõe em avaliar a gestão do trabalho com enfoque na atuação dos profissionais na Atenção Primária à Saúde. Métodos: Trata-se de um estudo quantitativo, avaliativo, realizado no município de Santa Cruz, Rio Grande do Norte, sendo a amostra formada por 10 profissionais de saúde escolhidos de modo aleatório. Resultados: Observou-se a positividade da assistência prestada para a continuidade do cuidado, através da baixa rotatividade de profissionais, o conhecimento adequado dos problemas de saúde da comunidade e outras variáveis na ótica de profissionais da rede básica de saúde, proporcionando um atendimento com qualidade na atenção por ser um modelo assistencialista com fins de assistência individual, familiar e comunitária. Conclusões: Conclui-se que existem avanços por meio da integralidade e da continuidade do cuidado propostos por possibilitar um enfoque biopsicossocial e buscar a promoção, a proteção e a manutenção da saúde da população, embora ainda existam desafios. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

  • Brasil. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil: Texto constitucional promulgado em 5 de outubro de 1988, com as alterações adotadas pelas Emendas Constitucionais nos 1/92 a 51/2006 e pelas Emendas Constitucionais de Revisão nos 1 a 6/94. – Brasília : Senado Federal, Subsecretaria de Edições Técnicas, 2006.

  • Machado MH. Gestão do trabalho em saúde no contexto de mudanças. Revista de Administração Púbica. 2000; 34(4):133-46.

  • Starfield B. Atenção primária: equilíbrio entre necessidades de saúde, serviços e tecnologia / Bárbara Starfield. – Brasília : UNESCO, Ministério da Saúde, 2002.

  • Silva SF. Organização de redes regionalizadas e integradas de atenção à saúde: desafios do Sistema Único de Saúde (Brasil). Ciênc Saúde Coletiva. 2011; 16(6):2753-62.

  • Lavras C. Atenção Primária à Saúde e a Organização de Redes Regionais de Atenção à Saúde no Brasil. Saúde Soc. São Paulo, 2011; 20(4):867-74.

  • Nascimento KC, Backes DS, Koerich MS, Erdmann AL. Sistematização da assistência de enfermagem: vislumbrando um cuidado interativo, complementar e multiprofissional. Rev Esc Enferm USP. 2008; 42(4):643-8.

  • Cunha RE, Santos FP. Responsabilidades da gestão municipal na construção do SUS - Os desafios do gestor local: estruturas organizacionais e os mecanismos de controle. In: BRASIL. Gestão Municipal de Saúde: textos básicos. Rio de Janeiro: Ministério da Saúde, 2001.

  • Madeira KH. Práticas do Trabalho Interdisciplinar na Saúde da Família: um estudo de caso. 2009. Dissertação (Mestrado em Saúde e Gestão do Trabalho) – Universidade do Vale do Itajaí – UNIVALI. SC.

  • Schraiber LB, Peduzzi, M, Sala A, Nemes MIB, Castanhera ERL, Kon R. Planejamento, gestão e avaliação em saúde: identificando problemas. Ciênc Saúde Coletiva. 1999; 4(2):221-42.

  • Alves VS. Um modelo de educação em saúde para o Programa Saúde da Família: pela integralidade da atenção e reorientação do modelo assistencial, Interface - Comunic., Saúde, Educ., 2005; 9(16): 39-52.

  • Ministério da Saúde (BR). Resolução nº 466, de 12 de dezembro de 2012. Diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Ministério da Saúde/Conselho Nacional de Saúde, Brasília (DF). 2012.

  • Arias EHL, et al. Gestão do trabalho no SUS. Cadernos RH Saúde, Brasília, 2006; 3(1):119-24.

  • Saito RXS. Políticas de Saúde: Princípios, Diretrizes e Estratégias para a estruturação de um Sistema Único de Saúde. In: Ohara ECC; Saito RXS. (Orgs.). Saúde da Família: considerações teóricas e aplicabilidade. São Paulo: Martinari, 2008; 21-60.

  • Franco TB, Magalhães Junior HM. Integralidade na assistência à saúde: a organização das linhas do cuidado. In: Merhy EE et al. O trabalho em saúde: olhando e experienciando o SUS no cotidiano. São Paulo: Hucitec, 2007.

  • Barbosa SP, Elizeu TS, Penna CMM. Ótica dos profissionais de saúde sobre o acesso à atenção primária à saúde. Ciênc saúde coletiva. 2013; 18(8): 2347-2357.

  • Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Política Nacional de Atenção Básica. 4. ed. – Brasília : Ministério da Saúde, 2007. 68p.

  • Cunha EM, Giovanella L. Longitudinalidade/continuidade do cuidado: identificando dimensões e variáveis para a avaliação da Atenção Primária no contexto do sistema público de saúde brasileiro. Ciênc. saúde coletiva [online], Rio de Janeiro, 2011; 16(suppl.1):1029-42.

  • Ministério da Saúde (BR). Fundação Osvaldo Cruz. Avaliação da implementação do programa saúde da família em dez grandes centros urbanos síntese dos principais resultados. Brasília: MS; 2002.

  • Cecere DBB, Silveira RS, Duarte CR, Fernandes GFM. Compromisso ético no trabalho da enfermagem no cenário da internação hospitalar. Enfermagem em Foco. 2010; 1(2):46-50.

  • Favoreto CAO. A prática clínica e o desenvolvimento do cuidado integral à saúde no contexto da Atenção Primária. Rev APS, 2008; 11(1):100-8.

  • Ministério da Saúde (BR). Diretrizes operacionais dos Pactos pela Vida, em Defesa do SUS e de Gestão. Brasília: Ministério da Saúde, 2006.

  • Hartz ZMA, Contandriopoulos AP. Integralidade da atenção e integração de serviços de saúde: desafios para avaliar a implantação de um "sistema sem muros". Cad Saúde Pública, 2004; 20(supl.2):S3331-36.

  • Mendes EV. As redes de atenção à saúde. Ciênc saúde coletiva [online]. 2010; 15(5):.2297-305.

  • Batista KBC, Gonçalves OSJ. Formação dos profissionais de saúde para o SUS: significado e cuidado. Saúde soc. [online]. 2011; 20(4):884-99.

Publicado
27-12-2016
Como Citar
FERREIRA, T. L. DOS S.; SOUZA, D. R. S. DE; ANDRADE, F. B. DE. AVALIAÇÃO DA GESTÃO DO TRABALHO COM ENFOQUE NA ATUAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE. Revista Ciência Plural, v. 2, n. 2, p. 99-113, 27 dez. 2016.
Seção
Artigos