ASSOCIAÇÃO ENTRE HIPERTENSÃO ARTERIAL SISTÊMICA E INDICADORES ANTROPOMÉTRICOS EM IDOSOS DO ESTUDO BRAZUCA

Autores

  • Lorena Lima do Nascimento Estudante do curso de Nutrição da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).
  • Mariana Silva Bezerra Docente da Universidade Federal da Bahia (UFBA)
  • Suamy Sales Barbosa Nutricionista da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).
  • Glenda Laetitia Ribeiro de Oliveira Estudante do curso de Nutrição da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).
  • Dirce Maria Lobo Marchioni Docente da Universidade de São Paulo (USP).
  • Ângelo Giuseppe Roncalli Docente da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).
  • Clélia de Oliveira Lyra Docente da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).
  • Severina Carla Vieira Cunha Lima Docente da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

DOI:

https://doi.org/10.21680/2446-7286.2023v9n1ID30190

Resumo

Introdução: A Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS) é uma doença crônica que acomete a maior parte idosos brasileiros, sendo uma das principais causas de mortes prematuras e incapacidades funcionais que causam complicações cardiovasculares e cerebrais, as quais podem estar associadas a diversos fatores predisponentes como a obesidade. Objetivo: Avaliar a associação entre hipertensão arterial sistêmica e indicadores antropométricos em idosos do estudo Brazuca Natal. Metodologia: Estudo transversal de base populacional com 191 idosos do município Natal-RN. Foram coletados dados sociodemográficos, econômicos e antropométricos (peso, estatura, perímetro da cintura e perímetro do quadril) e cálculo do Índice de Massa Corporal (IMC), Razão Cintura-Estatura (RCE) e Razão Cintura Quadril (RCQ). A hipertensão arterial foi auto referida. Os dados foram analisados pelo software Statistical Package for the Social Science Statistics (SPSS) versão 20.0. Teste t de Student foi utilizado para avaliar as diferenças entre médias das variáveis de acordo com o sexo e presença de hipertensão arterial. A associação entre a presença da doença e as variáveis foi realizada pela Regressão de Poisson, com as razões de prevalência brutas e ajustadas e seus intervalos de confiança (95%). Resultados: A maioria dos idosos eram do sexo feminino (55%), com média de idade 69,48 anos (DP= 7,38) e IMC de 28,46 (DP=5,25), 59,4% possuíam excesso de peso e 60,1% hipertensão. Ao comparar os sexos, registramos maiores médias de IMC, PQ e RCE mulheres (p<0,05). Observamos maiores médias de idade, IMC, PC, PQ, RCQ e RCE entre os idosos com hipertensão (p<0,05). Constatamos que a presença de hipertensão estava associada a PC e IMC no modelo bruto, mantendo-se apenas o PC no modelo ajustado. Conclusões: Indicadores antropométricos de fácil aplicação e baixo custo como o perímetro da cintura pode ser eficientes para a detecção precoce da hipertensão arterial em idosos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

27-04-2023

Como Citar

LIMA DO NASCIMENTO, L.; SILVA BEZERRA , M. .; SALES BARBOSA , S. .; LAETITIA RIBEIRO DE OLIVEIRA , G. .; MARIA LOBO MARCHIONI , D. .; GIUSEPPE RONCALLI, Ângelo .; DE OLIVEIRA LYRA, C. .; VIEIRA CUNHA LIMA , S. C. . ASSOCIAÇÃO ENTRE HIPERTENSÃO ARTERIAL SISTÊMICA E INDICADORES ANTROPOMÉTRICOS EM IDOSOS DO ESTUDO BRAZUCA. Revista Ciência Plural, [S. l.], v. 9, n. 1, p. 1–15, 2023. DOI: 10.21680/2446-7286.2023v9n1ID30190. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/rcp/article/view/30190. Acesso em: 12 jul. 2024.