Onde estão os profissionais contábeis no Brasil?

Palavras-chave: Profissional Contábil; Índice de Desenvolvimento Humano; Mercado de Trabalho Contábil; Distribuição Regional.

Resumo

Objetivo: Este artigo tem como objetivo identificar fatores que contribuem para a fixação de profissionais contábeis nas diferentes regiões brasileiras.

Metodologia: Foram selecionadas informações referentes ao quantitativo de profissionais no mercado de trabalho formal constantes na Relação Anual de Informações Sociais do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). Foram coletados dados referentes a 452.682 trabalhadores registrados no setor contábil no ano de 2016. Os resultados foram obtidos mediante análise de regressão linear múltipla por mínimos quadrados ordinários (MQO) com e sem o método stepwise. Os modelos de regressão também foram testados com ou sem a constante do modelo, o que gerou um total de oito modelos de regressões distintos. As variáveis consideradas como fatores determinantes da fixação de profissionais por região foram: PIB per capita (PPC), Densidade Populacional (DP), Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), Número de Estabelecimentos (EST) e o Número de Organizações Contábeis (OC).

Resultados: Os resultados obtidos apontam para relação positiva e significativa entre o IDH e a quantidade de profissionais contábeis por unidade da federação em quase todos os modelos. As demais variáveis não apresentaram a mesma persistência. Os testes adicionais apontam o mesmo resultado para os municípios. O resultado alcançado denota que o índice de desenvolvimento humano é considerado como a principal variável explicativa do número de profissionais contábeis por região, afirmando-se a existência de relação entre o desenvolvimento de uma região e a respectiva presença do profissional contábil.

Contribuições do Estudo: Encontrar os motivos com que fazem que o profissional contábil se movimente no território nacional e/ou internacional é um importante dado para a profissão contábil brasileira.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Francisca Aparecida de Souza, Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis da Universidade do de Brasília (UnB);

Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis da Universidade do de Brasília (UnB); Professora do Departamento de Ciências Contábeis e Atuariais da Universidade de Brasília (UnB); Endereço: Campus Darcy Ribeiro – Prédio da FACE, Sala AT 82/4 Asa Norte, Brasília – DF – Brasil. CEP: 70.910-900; Telefone: 55-61-3107-0812.

Referências

Decreto n. 76.900, de 23 de dezembro de 1975. Institui a Relação Anual de Informações Sociais – RAIS e dá outras providências. Recuperado de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/antigos/d76900.htm

Fochezatto, A. (2010). Desenvolvimento regional: novas abordagens para novos paradigmas produtivos. O ambiente regional.

Gomes, J.F.F. & Correia, C.L.B. (1997). Reestruturação produtiva sob a ótica da Teoria da Segmentação do Mercado de Trabalho. In: Encontro Nacional de Estudos do Trabalho, 5, Rio de Janeiro/RJ. Anais... Rio de Janeiro.

Hirschman, A. O. A. (1984). Dissenter’s confession: the “strategy of economic development” revised. In: MEIER, G. M. SEERS, K. Pioneers in development. Washington: World Bank, (85-118).

Krugman, P. (1991). Geography and trade. Cambridge: MIT.

Krugman, P. & Venables, A.J. (1995). Globalization and the inequality of nations. Quarterly Journal of Economics, 110:857-880.

Leite, C. E. B. & Santoro, F.O. (2003). Contabilidade Vista e Revista. 14(3):27-43.

Lindon D., Lendrevie J., Lévy J., Dionísio P. & Rodrigues J. (2009). Mercator XXI, Teoria e prática do Marketing, 12.ª edição, Dom Quixote, Lisboa.

Martins, O.S., Vasconcelos, S.F., Brasil, A.M.S., Leite, P.A.M. & Monte, P.A. (2009). Fatores que influenciam os salários dos contadores à luz das teorias econômicas do emprego: um estudo exploratório na Paraíba e no Rio Grande do Norte. Revista Brasileira de Contabilidade. 176:73-85.

Martins, O.S. & Monte, P.A. (2010). Fatores Determinantes da Variação Salarial dos Mestres em Contabilidade. Pensar Contábil, 12 (49): 13-22.

Myrdal, G. (1960). Teoria econômica e regiões subdesenvolvidas. Rio de Janeiro: UFRJ.

Perroux, F. (1967). A economia do século XX. Lisboa: Livraria Morais.

Porter, M.E. (1990). The competitive advantage of nations. New York: Free Press.

Reis, A.O., Sediyama, G.A.S., Moreira, V.S. & Moreira, C.C. (2015). Perfil do Profissional Contábil: Habilidades, Competências e Imagem Simbólica. Revista Contemporânea de Contabilidade. v. 12, n. 25, p. 95-116. DOI: http://dx.doi.org/10.5007/2175-8069.2015v12n25p95

Rosenfeld, S.A. (1996). États-Unis: Les ‘agglomérations d’entreprises. In: OCDE. Réseaux d’entreprises et développement local. Paris.

Souza, M.C.C. (1978). Mercado de trabalho: abordagens duais. Rev. adm. empres., São Paulo, 18(1): 59-69.

Tamer, C. M. V. S., Viana, C. C., Soares, L. A. C. F. & Lima, M. S. (2013). Perfil do profissional contábil demandado pelo mercado de trabalho: Um estudo no Norte do Brasil. Revista Universo Contábil. v. 9, n. 3, p. 143-162.

Weiss, C.R., Schultz, G. & Oliveira, L. Clusters e competitividade: Um levantamento sobre a produção científica na base Web of Science. Revista Spacios. v.3, n.6, 2017.

Williamson, O. E. (1975). Markets and Hierarchies. Free Press, New York, 1975.

Publicado
08-12-2018
Como Citar
SOUZA, F. A. DE; TIBÚRCIO SILVA, C. A.; SILVA, P. B. DA; SOUZA, P. V. S. DE. Onde estão os profissionais contábeis no Brasil?. REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036, v. 11, n. 1, p. 98-116, 8 dez. 2018.
Seção
Seção 1: Contabilidade Aplicada ao Setor Empresarial (S1)