Contribuições do controle interno para a governança pública: um estudo da percepção dos auditores internos das instituições federais de ensino

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21680/2176-9036.2024v16n2ID33031

Palavras-chave:

Governança Pública, Controle Interno, Auditoria Interna

Resumo

Objetivo: O artigo tem como objetivo, analisar a percepção dos Auditores Internos das Instituições Federais de Ensino sobre as contribuições do Controle Interno para a Governança Pública. 

Metodologia: Quanto aos procedimentos técnicos para a coleta de dados da pesquisa, utilizou-se de questionário estruturado (Survey) com múltipla escolha, numa escala de 10 (dez) pontos com alternativas de nenhuma concordância/muita concordância, sendo 1 nenhuma concordância e 10 muita concordância. A análise se deu por meio da Análise Fatorial.

Resultados: Como resultado da pesquisa, identificou-se que os fatores: Planejamento de Auditoria Baseado em Riscos, Transparência, Integridade Pública e Accountability, obtiveram as maiores médias como contributos do controle interno à governança pública na percepção dos auditores respondentes. Fatores como a Prestação de Serviços de Consultoria e Participação da Sociedade apresentaram a menores médias dentre os fatores analisados. Após a análise fatorial, constou-se que o primeiro fator a Aderência às Normas Internacionais de Auditoria apresenta cerca de 59,7% do poder explicativo das variâncias contidas na amostra. Segundo a percepção dos auditores, a adesão ou alinhamento aos padrões internacionais de auditoria tem uma representatividade para a evolução do processo de governança na administração pública federal.

Contribuições do Estudo: O estudo contribui para a discussão sobre a governança publica no que concerne as contribuições do controle interno para o seu desenvolvimento. Os resultados sugerem que o processo de adesão às normas de auditoria internacionais é um processo irreversível e reconhecidamente necessário para o desenvolvimento da governança no setor público federal, dado que essa aderência às normas internacionais de auditoria se apresenta como fator de maior poder explicativo na análise, sinalizando que para a administração pública seguir o curso da evolução de sua governança, deve manter-se integrado aos padrões e melhores práticas internacionais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Josaias Santana dos Santos, Universidade de Brasília - UnB

Doutorando em Ciências Contábeis pela Universidade de Brasília - UnB, Brasília -DF, Mestre em Ciências Contábeis pela Fucape Bussines School - FUCAPE, Vitória - ES (2015), com linha de atuação em Contabilidade e Controladoria Aplicadas ao Setor Público. Possui Graduação em Ciências Contábeis pela Faculdade de Petrolina - FACAPE (2004) e Especialização em Gestão da Administração Pública pela Universidade Castelo Branco - UCB, Rio de Janeiro - RJ (2008) . Servidor Público Federal, é Contador da Universidade Federal do Vale do São Francisco - UNIVASF, atualmente ocupando a função de Controlador Interno. É Professor Assistente na FACAPE, atuando no ensino da Graduação e Pós-Graduação nas áreas de Contabilidade e afins.

Andrea de Oliveira Gonçalves, Universidade de Brasília (UnB)

Doutora em Integração Latino-Americana (área - Estado e Sociedade) pela Universidade de São Paulo - USP (2005) Brasil; Mestre em Administração Pública pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS (1999) e graduada em Ciências Sociais pela Universidade Vale do Rio Doce (1993). Atualmente é professora associada da Universidade de Brasília - UnB. Especialização: Pós-graduação em Ciências Contábeis pela FACE/UNB; Departamento de Ciências Contábeis e Atuariais; consultor ad hoc CAPES e CNPq. Sou membro integrado do Centro de Administração Pública e Políticas Públicas (CAPP) da Universidade de Lisboa. Sou líder do Grupo de Gestão de Serviços Públicos (www.gespu.unb.br) e editora científica da Revista Gestão e Saúde (ISSN1982-4785). Tenho experiência na área de gestão pública, com ênfase em organizações públicas, governança pública. Além disso, atuo e pesquiso temas no campo da gestão participativa, monitoramento e avaliação de políticas públicas de saúde; gestão dos serviços públicos. 

Referências

Araújo, J. G. R. (2014). Controle interno na perspectiva do Framework COSO ERM: um estudo na Universidade Federal da Paraíba. Dissertação de Mestrado, Universidade de Brasília, Universidade Federal da Paraíba, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, João Pessoa, Brasil.

Baldwin, E., Chen, T. & Cole, D. (2019). Análise institucional para novos estudiosos de governança pública. Public Management Review, 21: 6, 890-917, DOI: 10.1080 / 14719037.2018.1538427

Barreto, K. A., Callado, A. A. C., & Cunha Callado, A. L. (2023). Controle interno sob enfoque dos componentes do framework COSP ERM: um estudo em uma instituição de ensino superior. Revista Ambiente Contábil - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036, 15(2), 202–223. https://doi.org/10.21680/2176-9036.2023v15n2ID30625

Beuren, I. M., & Zonatto, V. C. S. (2014). Perfil dos artigos sobre controle interno no setor público em periódicos nacionais e internacionais. Revista de Administração Publica, 48(5), 1135–1163. https://doi.org/10.1590/0034-76121527

Borges, G. (2021). A qualidade da auditoria interna em instituições federais de ensino brasileiras: uma análise segundo a percepção dos integrantes das auditorias internas e da alta gestão / Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Maria, Centro de Ciências Sociais e Humanas, Programa de Pós-Graduação em Gestão de Organizações Públicas, RS.- . 150 p.; 30 cm

Brasil. (1988). Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, DF

Fávero, L. P. L., & Belfiore, P. P. (2021). Manual de análise de dados: estatística e modelagem multivariada com excel, SPSS e stata. 1. ed. Reimpr. Rio de Janeiro, LTC.

Field, A. (2009). Descobrindo a estatística usando o SPSS. 2. ed. Porto Alegre: Artmed. Gil, A. C. (2002). Como elaborar projetos de pesquisa. 4.ed. São Paulo: Atlas.

Figueiredo Filho, D. B. & Silva Júnior, J. A. (2010). Visão além do alcance: uma introdução à análise fatorial. Opinião Pública, Campinas, vol. 16, nº 1, p. 160-185 https://doi.org/10.1590/S0104-62762010000100007

Guedes, D. R, & Silva Júnior, A. R. (2021). Governança Pública no Brasil: Estado da Arte dos Estudos Publicados de 2009 a 2019. Revista Controladoria e Gestão, 2(1), 370–387.

IIA. (2018). The Institute of Internal Auditors. Declaração de posicionamento do IIA. O papel da auditoria interna na governança corporativa.1-4

IIA. (2020). The Institute of Internal Auditors. Modelo das três linhas do IIA 2020: uma atualização das três linhas de defesa. 1-10

IFAC (2001). Governance in the Public Sector: A Governing Body Perspective International Public Sector – Study 13, IFAC. ISBN 1-887464-68-9.

Keske, H. A. G.; Bauer, M. M. (2017). Contabilidade em perspectiva [recurso eletrônico] / organizadores: Henrique Alexander Grazzi Keske, Maristela Mercedes Bauer. – Novo Hamburgo: Feevale.

Kissler, L., Heidemann, F. G. (2006) Governança pública: novo modelo regulatório para as relações entre Estado, mercado e sociedade. RAP Rio de Janeiro 40(3):479-99, Maio/Jun. 2006.

Kinzler, E. C. S. e MELLO, G. R. (2023). Influência do controle interno na efetividade da governança pública nos municípios paranaenses. 22, 2023. https://doi.org/10.16930/2237-7662202333891

Laegreid, Per (2016) .'Christopher Hood, “A Public Management for All Seasons?”', in Martin Lodge, Edward C. Page, and Steven J. Balla (eds), The Oxford Handbook of Classics in Public Policy and Administration, Oxford Handbooks (2015; online edn, Oxford Academic, 7 July 2016), https://doi.org/10.1093/oxfordhb/9780199646135.013.25.

Lopes, G. D., Valadares, J. L., Leroy, R. S. D. (2020). Sistema de Controle Interno no Setor Público: o que se tem discutido na academia desde a Lei de Acesso à Informação. Revista de Contabilidade Do Mestrado Em Ciências Contábeis Da UERJ, 25(1), 22–34.

Massey, A, Johnston-Miller, K. (2016) Governance: public governance to social inovação. Política e Política , vol 44, no 4, 663-75, DOI: 10.1332 / 030557314X14042230109592

Matias-Pereira, J. (2008) Administração pública comparada: uma avaliação das reformas administrativas do Brasil, EUA e União Européia. RAP — RIO DE JANEIRO 42(1):61- 82, JAN./FEV, 2008.

Matos, D. A. S., Rodrigues, E. C. (2019). Análise fatorial. Brasília: Enap, 2019. 74 p.

Nogueira, R. A. R., & Gaetani, F. (2018). A questão do controle no debate de governança pública. Boletim de Análise Político-Institucional, n. 19

Prodanov, C. C., Freitas, E. C. (2013) Metodologia do trabalho científico: métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico. 2. ed. Novo Hamburgo: Feevale, 2013. 276 p.

Raquel, I., Bellen, H. M. v. (2012) Contribuição à Concepção da Governança Pública: Uma Análise a partir da Visão de Especialistas. XXXVI Encontro da ANPAD. Rio de Janeiro, set. 2012.

Raupp, F. M., Beuren, I. M. (2006). Metodologia da pesquisa aplicável às ciências sociais. In. Beuren, I. M. (Org). Como elaborar trabalhos monográficos em contabilidade. 3.ed. São Paulo: Atlas.

Rhodes, R, (2000), Governance in Public Administration, em J Pierre (ed) Debating Governança: Autoridade, Direção e Democracia , Oxford: Oxford University Press

Rosário, W. C; Silva, F. V. V; Fattori, D M. D., Neves, O. M. C. (2020). Controle interno para a boa governança pública. XXV Congreso Internacional del CLAD sobre la Reforma del Estado y de la Administración Pública, Lisboa, Portugal, 24 – 27.

Sales, E. C. de A. S., Peter, M. da G. A., Machado, M. V. V., & Nascimento, C. P. S. do. (2020). Governança no setor público segundo a IFAC – estudo nas Universidades Federais Brasileiras. Brazilian Journal of Business, 2(2), 1477–1495. https://doi.org/10.34140/bjbv2n2-040~

Santiago, M. G. C. (2015). Análise da adequação dos mecanismos de governança utilizados para a gestão da Universidade Federal do Ceará (UFC). 2015. 102f. – Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Ceará, Programa de Pós-graduação em Políticas Públicas e Gestão da Educação Superior, Fortaleza (CE).

Santos, M. J. Auditoria de Gestão de Riscos: o novo olhar do Tribunal de Contas da União. A Revista de Auditoria Governança e Contabilidade - RAGC, v.6, n.22, p.99-113/2018.

Santos, M. R., Formiga, M. V., Peixe, B. C. S. (2022). Faltam auditores e auditorias nas instituições federais de ensino superior brasileiras à luz do isomorfismo coercitivo institucional?. Revista Universo Contábil, 17(3), 80-98.

Silva, J. A. F., Pessoa, E. B., Batista, E. C., & Scaccabarozzi, N. C. (2011). Princípios da governança no setor público: um estudo no tribunal de contas do estado do Ceará. Anais do ENANPAD, Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 35.

TCU, (2020). Referencial básico de governança aplicável a organizações públicas e outros entes jurisdicionados ao TCU / Tribunal de Contas da União. Edição 3 - Brasília: TCU, Secretaria de Controle Externo da Administração do Estado – SecexAdministração, 2020.

TCU. (2018). Levantamento de Governança e Gestão Públicas. (Acórdão 2699/2018-TCU- Plenário. Versão 1.1, de 24/11/2018 06:25:57.

TCU. (2014). Governança Pública: referencial básico de governança aplicável a órgãos e entidades da administração pública e ações indutoras de melhoria / Tribunal de Contas da União. – Brasília: TCU, Secretaria de Planejamento, Governança e Gestão, 2014. 96 p.

Teixeira, A. F., Gomes, R. C. (2019) Governança pública: uma revisão conceitual. Rev. Serv. Público Brasília 70 (4) 519-550 out/dez 2019

Vieira, J. B.; Barreto, R. T. S (2019). Governança, gestão de riscos e integridade. - Brasília: Enap. 240 p.: il. – Inclui bibliografia. ISBN: 978-85-256-0107-0

Downloads

Publicado

01-07-2024

Como Citar

SANTOS, J. S. dos .; GONÇALVES, A. de O. . Contribuições do controle interno para a governança pública: um estudo da percepção dos auditores internos das instituições federais de ensino. REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036, [S. l.], v. 16, n. 2, p. 286–305, 2024. DOI: 10.21680/2176-9036.2024v16n2ID33031. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/33031. Acesso em: 16 jul. 2024.

Edição

Seção

Seção 3: Pesquisas de Campo sobre Contabilidade (Survey) (S3)