Educação estética: contribuições para pensar a formação de professores de artes

  • Maria Cristina da Rosa Fonseca da Silva PPGAV - UDESC
Palavras-chave: Artes Visuais. Educação Estética. Criação. Repertório. Infância.

Resumo

O artigo problematiza a atualidade do pensamento de Vigotski como contribuição para a formação estética dos professores de Artes Visuais e está inserido em um projeto de pesquisa em rede: Observatório da Formação de Professores de Artes: estudos comparados entre Brasil e Argentina. O foco desses estudos é a formação de professores de Artes Visuais no Brasil e na América Latina. Como metodologia, utilizou-se do estudo bibliográfico de dois livros de Vigotski, Psicologia da Arte e Imaginação e Criação na Infância, além do texto de Teplov, “Aspectos psicológicos de la educación artística”. Juntos, esses escritos apresentam significativa contribuição para o pensar acerca do processo criador na docência e no ensino-aprendizagem. Como resultado, o enfoque materialista, histórico e dialético dos escritos de Vigotski são destacados, pois esses pressupostos possibilitam compreender a atividade criadora como uma tarefa de todos os professores. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Cristina da Rosa Fonseca da Silva, PPGAV - UDESC
Professora doutora do Departamento de Artes Visuais e do Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais.

Referências

ADORNO, T. W.; HORKHEIMER, Max. A indústria cultural: o esclarecimento como mistificação das massas. In: ADORNO, T. W. Dialética do esclarecimento. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor,1985.

ALVARENGA, Valéria Metroski de. Formação inicial do professor de artes visuais: reflexões sobre os cursos de licenciatura no estado do paraná. 2015. 256 f. Dissertação (Mestrado) – Curso de Artes Visuais, Universidade do Estado de Santa Catarina, Florianópolis, 2015.

BARROCO, Sonia Mari Shima; SUPERTI, Tatiane. Vigotski e o estudo da psicologia da arte: contribuições para o desenvolvimento humano. Psicol. Soc. [online], vol. 26, n. 1, p.22-31, 2014. ISSN 1807-0310. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1590/S0102-71822014000100004>. Acesso em: 3 mar. 2016.

BITTAR, Marisa; FERREIRA JR, Amarilio. Ativismo pedagógico e princípios da escola do trabalho nos primeiros tempos da educação soviética. Revista Brasileira de Educação, vol. 20, n. 61. Rio de Janeiro, apr./june 2015. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rbedu/v20n61/1413-2478-rbedu-20-61-0433.pdf>. Acesso em: 27 ago. 2017.

BRASIL. Presidência da República. Lei n.º 11.645, de 10 março de 2008. Inclui no currículo oficial da rede de ensino a obrigatoriedade da temática “História e Cultura Afro-Brasileira e Indígena”. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2008/lei/l11645.htm>. Acesso em: 27 ago. 2017.

CARNEVSKIS, Claudia. A formação de professores de Artes Visuais na região norte: um mapeamento inicial. In: XII Encontro do Grupo de Pesquisa Educação, Artes e Inclusão; I Encontro do Observatório da Formação de Professores de Artes Visuais; II Encontro da LAFOIPA. FONSECA DA SILVA, Maria Cristina da Rosa (Org.). Anais... Florianópolis: Editora da Udesc, 2016.

DUARTE, Newton. Os conteúdos escolares e a ressureição dos mortos: contribuições à teoria histórico-crítica do currículo. Campinas, SP: Autores Associado, 2016.

______. Vigotski e o “aprender a aprender”: crítica às apropriações neoliberais e pós-modernas da teoria vigotskiana. Campinas, SP: Editores Associados, 2004.

JAMESON, F. Pós-modernismo: a lógica cultural do capitalismo tardio. São Paulo: Editora Ática, 1997.

PERA L. P.; FONSECA DA SILVA, M. C. R. Formação docente em Artes Visuais: análises sobre os cursos de Santa Catarina. In: 23. Encontro Nacional da Associação Nacional de Pesquisadores em Artes Plásticas – ENANPAP. MEDEIROS, A.; PIMENTEL, L. G.; HAMOY, I.; FRONER, Y. A. (Orgs.). Anais... ANPAP. Programa de Pós-Graduação em Arte. Belo Horizonte – MG: Editora da UFMG, 2014. p. 3772-3787.

SAVIANI, Dermeval. Educação: do senso comum à consciência filosófica. Campinas, SP: Editora Autores Associados, 1989.

SILVA, Clarissa Santos; MÜLLER, Maristela. Mapas de ausências: um olhar sobre as licenciaturas em artes visuais no Rio Grande do Sul e no nordeste. In: 25º encontro da Associação Nacional de Pesquisadores em Artes Plásticas. Arte: seus espaços e/em nosso tempo. Anais... Porto Alegre, 2016.

SILVA, Flávia Gonçalves da; DAVIS, Claudia. Conceitos de Vigotski no Brasil: produção divulgada nos Cadernos de Pesquisa [online], vol. 34, n. 123, p. 633-661, 2004. ISSN 0100-1574. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1590/S0100-15742004000300007>. Acesso em: jun. 2016.

TEPLOV, R. M. Aspectos psicológicos de la educaión artística. In.: LURIA, Leontiev; VIGOTSKI, L. S. Psicología y pedagogia. Madrid, Espanha: Akal, 2007.

VIGOTSKI, L. S. Imaginação e criação na infância. São Paulo: Editora ática, 2009.

______. Psicologia da arte. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

______. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 1984.

TOASSA, G. Emoções e vivências em Vigotski. Campinas, SP: Papirus Editora, 2011.

Publicado
10-04-2018
Como Citar
FONSECA DA SILVA, M. C. DA R. Educação estética: contribuições para pensar a formação de professores de artes. ARJ – Art Research Journal / Revista de Pesquisa em Artes, v. 4, n. 2, p. 078-096, 10 abr. 2018.