Apontamentos sobre as categorias analíticas de Joachim Burmeister (1564-1629)

Palavras-chave: Poética musical, Joachim Burmeister, Retórica musical, Análise musical

Resumo

As categorias analíticas de Joachim Burmeister são consideradas uma das primeiras iniciativas na história da música ocidental para se promover o conhecimento de uma obra de música. No entanto, a quantidade de referências que as situam na raiz da descendência de uma prática analítico-musical é diretamente proporcional à sua incompreensão e a sua desvalorização como ferramenta para se conhecer o repertório para o qual elas foram concebidas. Isso porque parecem não responder às questões de muitos críticos e analistas modernos que, diferentemente de Burmeister, ignoram a sua contribuição para a identificação dos artifícios compositivos e a constituição de modelos para imitação. Considerando que essas categorias respondiam às questões relevantes para os músicos do século XVI, este artigo tem o objetivo de trazer apontamentos que contribuam para compreendê-las em seus próprios termos, recuperando referências de seu horizonte de sentido, articulando-as e ressignificando-as em nosso tempo presente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cassiano Barros, Universidade de São Paulo

Bacharel (2001 - Música - Regência e Cravo), mestre (2006) e doutor (2011) em Música pela Universidade Estadual de Campinas – Unicamp. Tem experiência na docência no ensino superior, na formação de músicos e professores de música. Dedica-se principalmente ao ensino e à pesquisa, com ênfase nas áreas da Musicologia, História da Teoria Musical (poéticas antigas e retórica musical), Regência e Educação Musical. Atualmente, desenvolve projeto de pós-doutorado no Programa de Pós-Graduação em Música da Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC com apoio da Capes. É autor do livro Uma chave para a música do século XVIII, publicado pela Editora Appris em 2019.

Referências

AMBIEL, Aurea Helena de Jesus. Lamentationes Jeremiae Prophetae de Orlando di Lasso = a aplicação da quinta categoria analítica de Joachim Burmeister. 2010. Tese (doutorado) – Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Artes, Campinas, SP, 2010.

ARISTÓTELES. Ética a Nicômaco. Madrid: Alianza Editorial, 2005.

ARISTÓTELES. Retórica. Lisboa: Imprensa Nacional Casa da Moeda, 2005.

ARISTÓTELES. Poética. São Paulo: Editora 34, 2017.

BARTEL, Dietrich. Musica Poetica – musical-rhetorical figures in German Baroque Music. Lincoln; London: University of Nebraska Press, 1997.

BURMEISTER, Joachim. Musical Poetics. New Haven; London: Yale University Press, 1993.

DRESSLER, Gallus. Praecepta Musicae Poeticae. Anotações não publicadas de 1563. Disponível em: http://www.chmtl.indiana.edu/tml/16th/DREPRA_TEXT.html. Acesso em: 14 out. 2019.

DUNSBY, Jonathan; WHITTALL, Arnold. Análise Musical na teoria e na prática. Curitiba: Editora da UFPR, 2011.

FABER, Heinrich. Ad musicam practicam introductio, non modo praecepta, sed exempla quoque ad usum puerorum accomodata, quàm breuissime continens. Nuremberg: In Officina Johannis Montani et Ulrici Neuber, 1550. Disponível em: http://www.chmtl.indiana.edu/tml/16th/FABMUS1. Acesso em: 10 out. 2019.

HORÁCIO. Sátiras. São Paulo: EDIPRO, 2011.

LISTENIUS, Nicolaus. Musica Nicolai Listenii ab authore denuo recognita multisque novis regulis et exemplis adaucta. Nuremberg: Petreius, 1549. Disponível em: http://www.chmtl.indiana.edu/tml/16th/LISMUS. Acesso em: 13 set. 2019.

LOSSIUS, Lucas. Erotemata Dialecticae Et Rhetoricae Philippi Melanthonis. Witebergae: Hoffmannus, 1600. Disponível em: http://nbn-resolving.de/urn:nbn:de:bvb:12-bsb00083297-0. Acesso em: 08 out. 2019.

LUTERO, Martim. Da Autoridade Secular. São Leopoldo: Sinodal, 2017.

MCCRELESS, Patrick. Music and Rhetoric. In: CHRISTENSEN, Thomas (ed.). The Cambridge History of Western Music Theory. Cambridge: Cambridge University Press, 2008.

PALISCA, Claude. V. Studies in the history of Italian music and music theory. Oxford: Clarendon, 2001.

PEREIRA, Aires Manuel R. dos Reis. A Mousiké: das origens ao drama de Eurípedes. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2001.

RETÓRICA a Herênio. São Paulo: Hedra, 2005.

QUINTILIANO, Marcos Fábio. Instituição oratória. Campinas: Editora da Unicamp, 2016.

RIVERA, B. V.; RUHNKE, M. Joachim Burmeister. In: SADIE, S. (org.). The New Grove

Dictionary of Music and Musicians. 2. ed. London: Macmillan, 2001. v. 4.

RUHNKE, Martin. Joachim Burmeister: ein Beitrag zur Musiklehre um 1600. Kassel: Bärenreiter, 1955.

SCATOLIN, Adriano. A invenção no Do orador de Cícero: um estudo à luz de Ad Familiares I, 9, 23. Tese de Doutorado. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, 2009.

SILVA, Tiago Bentivoglio. Tradução e Comentário à 13ª Olímpica de Píndaro. Dissertação de Mestrado. Universidade de São Paulo, Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, 2015.

SKINNER, Quentin. The foundations of modern political thought – volume two: the age of reformation. Cambridge: Cambridge University Press, 2004.

ZARLINO, Gioseffo. Le istitutioni harmoniche. Venetia: Appresso Francesco Senese, 1558. Disponível em: http://tmiweb.science.uu.nl/text/reading-edition/zarins58.html#p082. Acesso em: 09 out. 2019.

Publicado
30-05-2020
Como Citar
BARROS, C. Apontamentos sobre as categorias analíticas de Joachim Burmeister (1564-1629). ARJ – Art Research Journal / Revista de Pesquisa em Artes, v. 7, n. 1, 30 maio 2020.