Amador por vocação: a pintura como lazer sério

Autores

DOI:

https://doi.org/10.36025/arj.v10i1.26128

Palavras-chave:

amador, arte, pintura, lazer sério, vocação

Resumo

A pintura amadora é comumente associada a uma prática que se realiza por simples deleite e de forma descompromissada. Tal falta de comprometimento com o sistema da arte faz com que o termo “pintor amador” seja aplicado muitas vezes de forma pejorativa. No artigo, defende-se a ideia de que não se deve compreender os diferentes tipos de pintores amadores em uma única definição. Entende-se que há um tipo específico de pintor amador que se diferencia dos demais, que denominamos “amador por vocação”. Com base no conceito de “lazer sério”, o texto visa caracterizar esse tipo diferenciado de pintor amador. Parte-se da hipótese de que, mesmo não visando à profissionalização, o pintor amador por vocação se diferencia dos demais por buscar em seu trabalho um traço identitário. Há nesse tipo de amador uma propensão e disposição para buscar sistematicamente conhecimento histórico, técnico e conceitual com o intento de aprimorar seu trabalho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

João Batista Freitas Cardoso, Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS)

Doutor em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP, Brasil), com pós-doutorado na Escola de Comunicações e Artes da Universidade São Paulo (ECA-USP, Brasil). Professor no Mestrado em Comunicação da Universidade Municipal de São Caetano do Sul (PPGCOM-USCS, Brasil). Professor Visitante na Maestría em Proyetos Sociales da Universidad Autónoma de Baja California (UABC, México). Professor do Centro de Comunicação e Letras da Universidade Presbiteriana Mackenzie (UPM, São Paulo), desde 2007. Líder do Grupo de Pesquisa Signo Visual nas Mídias (www.signovisualnasmidias.com), cadastrado no CNPq desde 2005. Foi coordenador do GT Discurso y Comunicación, da Asociación Latinoamericana de Investigadores de la Comunicación (ALAIC), 2010-2016, e coordenador do GT Práticas Interacionais e Linguagens na Comunicação, da Associação dos Programas de Pós-Graduação do Brasil (COMPÓS), 2012-2017.

Fabrizio Dell’Arno, Rome University of Fine Arts (RUFA)

Professor titular e coordenador do curso de Pintura da RUFA Rome University of Fine Arts; formado em Publicidade e Comunicação pela Universidade USCS, cursou especialização em História da Arte pela Universidade FAAP, estudou Pintura e Desenho na SVA School Visual Arts em Nova York e na Itália obteve um Master em Escultura. O seu trabalho artístico está diretamente relacionado com o ensino da arte; sua pintura é concebida como um processo de aprendizagem artística, possibilitando o regresso aos ícones como passagens que precedem a representação. A sua atividade expositiva conta com galerias, espaços públicos, acervos museais e residências artísticas; alguns projetos mais significativos como Ilustrações Históricas para o Ministério da Cultura do Sultanato de Omã e a campanha para a segurança rodoviária italiana Guida la tua vita, promovido pelo grupo ASTM/SIAS, Ministério dos Transportes e Infraestruturas e em colaboração com as Nações Unidas.

Referências

ALLOWAY. Lawrence. Network: the art world described as a system. Artforum, Sept. 1972. Disponível em: https://www.artforum.com/print/197207/network-the-art-world-described-as-a-system-33673#:~:text=The%20first%20exhibition%20of%20a,the%20rest%20of%20his%20life. Acesso em 6 jun. 2022.

ARSLAN, Luciana Mourão. Praticantes de arte: amadores da arte em cursos livres de pintura. Ouvirouver, Uberlândia, v. 6, n. 1, p. 62-88, jan./jun. 2010. Disponível em: http://www.seer.ufu.br/index.php/ouvirouver/article/view/8232. Acesso em: 6 jun. 2022.

BECKER, Howard S. Mundos da Arte. Lisboa: Livros Horizonte, 2007.

BOURDIEU, Pierre. A Economia das Trocas Simbólicas. São Paulo: Perspectiva, 2007.

BULHÕES, Maria Amélia. Considerações sobre o Sistema das Artes Plásticas. Porto Arte, Porto Alegre, v. 2, n. 3, p. 26-34, 1991. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/PortoArte/article/view/27406. Acesso em: 6 jun. 2022.

DANTO, Arthur. The Artworld. The Journal of Philosophy, v. 61, n. 19, American Philosophical Association Eastern Division Sixty-First Annual Meeting (Oct. 15, 1964), p. 571-584. Disponível em: https://www.jstor.org/stable/pdf/2022937.pdf. Acesso em: 6 jun. 2022.

FENIELLO, Marina. Artisti, Professione – Non Professione: Alla ricerca di punti di riferimento nel vasto e discusso campo delle arti visive contemporanee. 2013. Tesi di Laurea (Corso di Laurea magistrale) - Economia e Gestione delle Arti e delle Attività Culturali, Università Ca´Foscari, Venezia, 2013. Disponível em: http://dspace.unive.it/bitstream/handle/10579/3843/835698-1166222.pdf?sequence=2. Acesso em: 6 jun. 2022.

LEADBEATER, Charles; MILLER, Paul. The Pro-Am Revolution: How enthusiasts are changing our economy and society. London: Demos, 2004.

LUHMANN, Nicklas. Introdução à Teoria dos Sistemas. Rio de Janeiro: Vozes, 2010.

MATTIODA, Enrico. L’invenzione del dilettante. In: La letteratura italiana e le arti, Atti del XX Congresso dell’ADI. Napoli: Adi Editore, 2018. p. 1-10. Disponível em: https://www.italianisti.it/pubblicazioni/atti-di-congresso/la-letteratura-italiana-e-le-arti/Mattioda(1).pdf. Acesso em: 6 jun. 2022.

MAYER, Ralph. Manual do Artista. São Paulo: Martins Fontes, 1996.

MCLUHAN, Marshall. Understanding Media: The Extensions of Man. Massachusetts: MIT Press, 1994.

PAULO II, Papa João. Letter of his Holiness Pope John Paul II to artists. Vaticano: Libreria Editrice Vaticana, 1999. Disponível em: https://www.vatican.va/content/john-paul-ii/en/letters/1999/documents/hf_jp-ii_let_23041999_artists.html. Acesso em: 6 jun. 2022.

PIVA, Gino. La Tecnica della Pittura ad Olio e del Disegno Artistico. Milão: Hoepli, 1985.

POLI, Francesco. Il sistema dell’arte contemporânea – Produzione artistica, mercato, musei. Roma: Laterza, 2011.

STEBBINS. Robert A. Serious Leisure: A perspective for our time. New Jersey: Transaction Publishers, 2015.

TOLVE, Antonello. Insegnare allo stato gassoso. La didattica di Yves Michaud. Artribune, Roma, 24 maggio 2014. Disponível em: https://www.artribune.com/professioni-e-professionisti/didattica/2014/05/insegnare-allo-stato-gassoso-la-didattica-di-yves-michaud/. Acesso em: 6 jun. 2022.

Publicado

17-05-2023

Como Citar

CARDOSO, J. B. F.; DELL’ARNO, F. Amador por vocação: a pintura como lazer sério. ARJ – Art Research Journal: Revista de Pesquisa em Artes, [S. l.], v. 10, n. 1, 2023. DOI: 10.36025/arj.v10i1.26128. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/artresearchjournal/article/view/26128. Acesso em: 29 maio. 2024.