Museu das Origens: um projeto para pensar a arte brasileira

Autores

DOI:

https://doi.org/10.36025/arj.v11i1.28380

Palavras-chave:

Museu das Origens, Mário Pedrosa, narrativas museais, diversidade

Resumo

Este artigo busca analisar o projeto do Museu das Origens de Mário Pedrosa, como solução para o incêndio sofrido pelo Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, em 1978. Estabelecendo como fio condutor o conceito de origens, que une a primeira instituição museológica brasileira – o Museu Real (1818) – ao projeto de Pedrosa, procuramos compreender os limites e os alcances dos sistemas estruturantes em torno do reconhecimento de identidades nesses espaços. O Museu das Origens, portanto, não só atendia as novas demandas geradas pelo circuito artístico internacional do final do século XX, como também criava outras questões, ao colocar no mesmo cenário, em pé de igualdade, produções advindas de distintas procedências. Mário Pedrosa foi um dos primeiros autores a produzir uma crítica à dominação colonial nas esferas política, econômica e artística, significativa para a fundamentação de seu pensamento autônomo e distante dos centros hegemônicos do poder.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana de Souza, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

Ana Cecília Araújo Soares de Souza é Doutora pelo Programa de Pós-Graduação em Artes da Escola de Belas Artes da Universidade Federal de Minas Gerais (EBA/UFMG) e Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Artes do Instituto de Cultura e Arte da Universidade Federal do Ceará (ICA/UFC). Especialista em Teorias da Comunicação e da Imagem pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Graduada em Comunicação Social – Jornalismo pela Universidade de Fortaleza (UNIFOR). É membro da Rede de Pesquisadores do Museu da Solidariedade Salvador Allende (Santiago no Chile). Há dois anos faz parte do Grupo de Crítica do Edital do Programa de Exposições do Centro Cultural São Paulo. É uma das organizadoras dos livros O Silêncio das Coisas: Herbert Rolim e Somos os que foram: 10 anos do Coletivo Aparecidos Políticos. Editora da Revista Reticências. Possui experiência nas áreas de artes visuais, história e crítica de arte, curadoria, museologia e jornalismo cultural.

Yacy-Ara Froner, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

Yacy-Ara Froner é professora titular da Escola de Belas Artes da Universidade Federal de Minas Gerais, responde pelos campos das História das Artes no curso de graduação em Artes Visuais e Ciência do Patrimônio no curso de graduação em Conservação-Restauração. Mestre e doutora em História pela USP; com pós-doutorado sênior no ICCROM-Roma (CAPES), sob orientação de Jukka Jokilehto, e pós-doutorado sênior (CNPq) na FAU-USP, sob orientação de Beatriz Kühl. Atualmente, é subcoordenadora do Programa de Pós-Graduação em Artes da UFMG.  Pesquisadora PQ-CNPq, estuda o interstício entre Curadoria, História das Coleções e Preservação. Coordenadora da REMIN (Rede Mineira de Museus-FAPEMIG/CNPq) e curadora do Festival “Durante”.

Referências

ADRIÃO, Karla Galvão; CABRAL, Arthur Grimm; TONELI, Maria Juracy Filgueiras. Singularizar. In: FONSECA, Tania Mara Galli; MARASCHIN, Cleci; NASCIMENTO, Maria Lívia do (org.). Pesquisar na diferença: um abecedário. Porto Alegre: Sulina, 2012.

ALVES, Vânia Maria Siqueira; REIS, Maria Amélia Gomes de Souza. Tecendo relações entre as reflexões de Paulo Freire e a Mesa Redonda de Santiago do Chile, 1972. Revista Museologia e Patrimônio, Rio de Janeiro, v. 6, p. 113-134, 2013. ISSN: 1984-3917.

ARANTES, Otília Beatriz Fiori (org.). Mário Pedrosa: itinerário crítico. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 1991.

ARANTES, Otília Beatriz Fiori. Mário Pedrosa inatual. In: Mário Pedrosa: 100 anos. São Paulo: Fundação Memorial da América Latina, 2000.

BOMPUIS, Catherine. Mario Pedrosa: uma indissociável relação entre arte e política em nome da revolução. In: BÔAS, Glaucia Villas; PEDROSA, Quito; PUCU, Izabela (org.). Mário Pedrosa atual [E-book]. Rio de Janeiro: Instituto Odeon, 2019.

COELHO, Frederico. Eu, brasileiro, confesso minha culpa e meu pecado: cultura marginal no Brasil das décadas de 1960 e 1970. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2010.

FERREIRA, Glória; HERKENHOFF, Paulo (org.). Mário Pedrosa Primary Documents. Trans. Stephen Berg. New York: The Museum of Modern Art, 2015.

FRONER, Yacy-Ara. Coleção e arquivo como prática coletiva: A narrativa, a retórica e o semiológico. PÓS: Revista do Programa de Pós-graduação em Artes da EBA/UFMG, [S. l.], p. 165-177, 2015. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/revistapos/article/view/15678. Acesso em: 3 mar. 2022.

GULLAR, Ferreira. Entre Sócrates e Dionísio. In: Mário Pedrosa: 100 anos. São Paulo: Fundação Memorial da América Latina, 2000.

LEAL, André. O incêndio do MAM-RJ e as respostas de Mário Pedrosa às crises artísticas, museológicas e políticas da época. Revista Sociologias Plurais, v. 7, n. 1, p. 162-189, 2021. Disponível em: DOI: http://dx.doi.org/10.5380/sclplr.v7i1.79169. Acesso em: 12 mar. 2022.

MEDEIROS, Jacqueline; PUCU, Izabela (org.). Roberto Pontual: obra Crítica. Rio de Janeiro: Azougue editorial, 2013.

MUSEUM NATIONAL D'HISTOIRE NATURELLE. Instrucção para os viajantes e empregados nas colonias sôbre a maneira de colher, conservar, e remetter os objectos de historia natural (trad). Rio de Janeiro: Imprensa Régia, 1819. Disponível em: http://www.dichistoriasaude.coc.fiocruz.br/iah/pt/verbetes/musnac.htm. Acesso em: 3 mar. 2022.

NASCIMENTO, G. Brasil, Arte e Origem: do Museu das Origens à Galeria Mário Pedrosa. Encontro de História da Arte, Campinas, SP, n. 14, p. 893–901, 2019. DOI: 10.20396/eha.vi14.3384. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/eventos/index.php/eha/article/view/3384. Acesso em: 3 mar. 2022.

PALADINO, Luiza Mader. A Opção Museológica de Mário Pedrosa: Solidariedade e Imaginação Social em Museus da América Latina. 2021. Tese de doutorado. Programa de Pós-Graduação Interunidades em Estética e História da Arte. Universidade de São Paulo, São Paulo: 2020. Disponível em: https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/93/93131/tde-03122020-212111/publico/2020_LuizaMaderPaladino_VCorr.pdf. Acesso em: 3 mar. 2022.

PARRACHO, Sabrina. Mário Pedrosa e as musas: reflexões sobre a crítica e projetos museais. In: BÔAS, Glaucia Villas; PEDROSA, Quito; PUCU, Izabela (org.). Mário Pedrosa atual [E-book]. Rio de Janeiro: Instituto Odeon, 2019.

SANT’ANNA, Sabrina Parracho; VASCONCELOS, Marcelo Ribeiro. Do museu de reproduções ao Museu das Origens: reflexões sobre projetos institucionais de Mário Pedrosa. Revista. Sociologias Plurais, v. 7, n. 1, p. 131-161, jan. 2021. DOI: http://dx.doi.org/10.5380/sclplr.v7i1.79168. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/sclplr/article/view/79168. Acesso em: 12 mar.2022.

ZOLI, Ana Flávia. O Museu da Solidariedade do Chile e Mário Pedrosa. Humanidades em Diálogo, São Paulo, 2011. Disponível em https://www.revistas.usp.br/humanidades/article/view/106201/104873. Acesso em: 7 mar. 2022.

Downloads

Publicado

30-06-2024

Como Citar

SOUZA, A. C. A. S. de; FRONER, Y.-A. Museu das Origens: um projeto para pensar a arte brasileira. ARJ – Art Research Journal: Revista de Pesquisa em Artes, [S. l.], v. 11, n. 1, 2024. DOI: 10.36025/arj.v11i1.28380. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/artresearchjournal/article/view/28380. Acesso em: 24 jul. 2024.