"Stanza del Fregio" da Villa Farnesina: cortejo privilegiado de fórmulas de "pathos" e fonte substancial da prancha 40 do "Atlas Mnemosyne"

Autores

DOI:

https://doi.org/10.36025/arj.v9i1.29661

Palavras-chave:

Villa Farnesina, Pathosformeln, Atlas Mnemosyne, Aby Warburg

Resumo

Apresentado sob a temática do Atlas Mnemosyne no Simposio Internacional Warburg de 2019 em Buenos Aires, este artigo obedece a premissa metodológica do contato direto com os monumentos para analisar a Stanza del Fregio (Sala do Friso), da Villa Farnesina em Roma. A edificação foi objeto de estudo de Aby Warburg principalmente por conta dos afrescos de conteúdo astrológico realizados por Baldassare Peruzzi na Loggia di Galatea, mas o foco deste trabalho está nos frisos realizados pelo artista baseados principalmente nas Metamorfoses de Ovídio, fonte substancial da prancha 40 do Atlas. Procura-se demonstrar que a Stanza del Fregio apresenta um inventário completo das Pathosformeln warburguianas, configuradas em uma montagem singular que sintetiza visualmente este conceito em seu aspecto apolíneo e dionisíaco, e cujos temas são retomados em singular lógica de repetição e transformação em outras pranchas do Atlas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luana Maribele Wedekin, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)

Luana Maribele Wedekin (PhD) é professora do Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais e do Departamento de Design da UDESC, em Florianópolis, SC (Brasil). Editora da Revista Palíndromo e membro do CBHA, ANPAP e ABCA. Seus interesses de pesquisa confluem para a epistemologia e a história da história da arte e, desde 2017, pesquisa as fontes iconográficas de Aby Warburg.

Referências

BARALE, A. Discesa nello espazio misterico e “spazio dele tenebre”: l’ultimo viaggio di Warburg in Italia. Engramma, n. 80, maggio 2010.

BRANDÃO, Junito de Souza. Mitologia Grega. V. III. 5 ed. Petrópolis: Vozes, 1993.

BULFINCH, Thomas. O livro de ouro da mitologia: histórias de deuses e heróis. Rio de Janeiro: Ediouro, 2001.

CENTANNI, M.; MAZZUCCO, K. Coincidentia oppositorum: il Tempio Malatestiano. Saggio interpretativo di Mnemosyne Atlas, Tavola 25. Engramma, n. 8, maggio 2001.

CENTANNI, M. L’originale assente. L’invenzione del Laocoonte. Engramma, n. 25, maggio/giugno 2003.

CENTANNI, M. A recepção italiana de Aby Warvurg entre filologia e historiografia da arte. [Entrevista concedida a] Thays Tonin. Palíndromo, v. 11, n. 24, p. 162-179, maio 2019.

CUNDARI, C. La Villa Farnesina a Roma. Contributi ala sua storia. In: CUNDARI, C. et al. La Villa Farnesina a Roma. Un’invenzione di Baldassare Peruzzi. Roma: Edizioni Kappa, 2017.

DANIOTTI, C. Eroi e santi come custodi esemplari: il tema iconográfico dei portali dele dele del Tempio Malatestiano. Engramma, n. 61, gennaio 2008.

FERNANDES, Cassio. Aby Warburg entre a arte florentina do retrato e um retrato de Florença na época de Lorenzo de Medici. História: Questões & Debates, Curitiba, n. 41, p. 131-163, 2004.

GHELARDI, Maurizio. Aby Warburg et la “lutte pour le style”. Paris: L’Écarquillé, 2016.

GRAVES, Robert. Os mitos gregos. V. II. 2 ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2018.

HAMILTON, Édith. La mythologie: ses dieux, ses héros, ses legendes. Alleur: Marabout, 1997.

HURTTIG, Marcus Andrew. Introduction. In: HURTTIG, Marcus Andrew (org.) Antiquity Unleashed: Aby Warburg, Dürer and Mantegna. London: The Courtauld Gallery, 2013. p. 13-22.

KERÉNYI, Karl. Os heróis gregos. São Paulo: Cultrix, 1993.

LESCOURRET, M-A. Aby Warburg ou la tentation du regard. Paris: Hazan, 2013.

MAZZUCCO, K. Mnemosyne, il nome della memoria. Bilderdemonstration, Bilderreihen, Bilderatlas: una cronologia documentaria del progetto warburghiano (2006), Quaderni del Centro Warburg Italia, III, 4-5, 2011.

NERI, M. Il Tempio di Rimini e il metodo warburguiano. Engramma, n. 35, agosto/settembre 2004.

NIETZSCHE, F. O nascimento da tragédia. Tradução J. Guinsburg. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

OLIVA Neto, João Angelo. Mínima gramática as Metamorfoses de Ovídio. In: OVÍDIO. Metamorfoses. São Paulo: Editora 34, 2017. p. 7-32.

OVÍDIO. Metamorfoses. São Paulo: Editora 34, 2017.

PASKALEVA, B. The Nude Nymph: The Inhuman Object of Desire. Engramma, n. 135, aprile-maggio 2016.

PEDERSOLI, A. Rimini-Padova-Ferrara Cicli Astrologici del Renascimento: um aggiornamento bibliográfico. Engramma, n. 102, dicembre 2012.

SAXL, F. La vida de las imágenes. Madrid: Alianza Editorial, 1989.

SEMINARIO DI MNEMOSYNE. Il teatro della morte. Saggio interpretativo di Mnemosyne Atlas, Tavola 42. Engramma, n. 2, ottobre 2000.

VASARI, G. Vidas dos artistas. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2011.

VICENZI, A. La Villa Farnesina a Roma. Modena: Franco Cosimo Panini, 2014.

WARBURG, A. L’Atlas Mnémosyne. Paris: L’Ecarquillé, 2012.

WARBURG, A. A renovação da Antiguidade pagã: contribuições científico-culturais para a história do Renascimento europeu. Rio de Janeiro: Contraponto, 2013a.

WARBURG, A. Dürer e a Antiguidade italiana (1905). In: A Renovação da Antiguidade Pagã: contribuições científico-culturais para a história do Renascimento europeu. Rio de Janeiro: Contraponto, 2013b. p. 435-445.

WARBURG, A. Histórias de fantasma para gente grande: escritos, esboços e conferências. São Paulo: Companhia das Letras, 2015.

WARBURG, A. Mnemosyne. O Atlas das imagens. Introdução. In: A presença do antigo. Escritos inéditos. Vol. 1. Organização, introdução e tradução de Cássio Fernandes. Campinas: Editora da UNICAMP, 2018. p. 217-230.

WARBURG, A.; BING, G. Diario Romano (1928-1929). Madrid: Siruela, 2016.

WINCKELMANN, J.J. Reflexões sobre a arte antiga. Porto Alegre: Movimento, 1974.

Downloads

Publicado

28-07-2022

Como Citar

WEDEKIN, L. M. "Stanza del Fregio" da Villa Farnesina: cortejo privilegiado de fórmulas de "pathos" e fonte substancial da prancha 40 do "Atlas Mnemosyne". ARJ – Art Research Journal: Revista de Pesquisa em Artes, [S. l.], v. 9, n. 1, 2022. DOI: 10.36025/arj.v9i1.29661. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/artresearchjournal/article/view/29661. Acesso em: 6 out. 2022.