Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI 2014-2019) nos Ifets: o perfil dos agentes elaboradores

Palavras-chave: Plano de Desenvolvimento Institucional. Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia. Perfil. Elaboradores.

Resumo

Este artigo pretende traçar o perfil acadêmico e profissional dos agentes elaboradores do Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) de 12 Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia (Ifets) e identificar o lugar ocupado por esses atores na elaboração de tal documento. Após a identificação dos PDIs vigentes durante o período analisado (2014-2019), 204 agentes elaboradores foram contabilizados. Recorremos à técnica de análise de conteúdo (BARDIN, 2016) para a sistematização e categorização dos dados, e às noções conceituais de campo e habitus de Bourdieu (1996) para subsidiamos nossas reflexões sobre o lugar ocupado pelos agentes elaboradores nas discussões e formulações do documento. Concluímos que a posição ocupada pelos agentes vincula-se aos interesses dos gestores, pois estes são os principais responsáveis pelas escolhas das comissões elaboradoras dos PDIs. Embora haja a intenção de imprimir uma abordagem democrática à gestão dessas comissões, a participação da comunidade interna e externa se apresenta pouco expressiva.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Anne de Matos Souza Ferreira , IFMT

Licenciada em Pedagogia e Especialista em Gestão Pública pela Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT). Mestre em Educação pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) na Linha de Pesquisa Movimentos Sociais, Política e Educação Popular. Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Matemática (PPGECM) da Universidade Federal do Pará (UFPA). Integrante do Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre Formação de Professores e Relações Étnico-Raciais (GERA) da Universidade Federal do Pará. Pedagoga do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso (IFMT) Campus Fronteira Oeste/Pontes e Lacerda.

Wilma de Nazaré Baía Coelho , UFA

Pedagoga/UNAMA, mestra em Educação/UNAMA, doutora em Educação/UFRN. Professora da UFPA, desde de 1994. Integra o corpo docente da Pós-Graduação em Currículo e Gestão da Escola Básica (PPEB), do Programa em Educação em Ciências e Matemáticas (PPGECM) e do Doutorado em Rede Educação na Amazônia (EDUCANORTE). Vice-Coordenadora do EDUCANORTE (PORTARIA N. 2432/2019) e Líder do Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre Formação de Professores e Relações Étnico-raciais (GERA). Foi Coordenadora do Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre Formação de Professores e Relações Étnico-raciais (GERA/UFPA, entre 2006-2016). Foi Pró-reitora de Ensino e Graduação Pró-Tempore da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira - UNILAB (2013-2014). É membro da Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Educação (ANPED), Associação Brasileira de Pesquisadores Negros (ABPN). Desenvolve e orienta pesquisas nas seguintes temáticas: Formação de Professores; Educação Básica; Educação para Relações Étnico-raciais; Diversidade e diferença; Ensino de História, Sociabilidades adolescentes; Legislação educacional e Planejamento de ensino, todos relacionados à Formação de Professores e a Escola Básica. Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq - Nível 2.

Referências

BARDIN, Laurence. Análise de Conteúdo. Tradução Luís Antero Reto e Augusto Pinheiro. São Paulo: Edições 70, 2016.

BOURDIEU, Pierre. Campo Científico. In: ORTIZ, Renato (Org.). A Sociologia de Pierre Bourdieu. São Paulo: Olho D’Água, 2003.

BOURDIEU, Pierre. Método científico e hierarquia social dos objetos. In: NOGUEIRA, Maria Alice; CATANAI, Afrânio (Org.). Escritos de educação. 9. ed. Petrópolis-RJ: Vozes, 2007.

BOURDIEU, Pierre. Os usos sociais da Ciência: por uma Sociologia clínica do campo científico. Tradução Denise Barbara Catani. São Paulo: Unesp, 2004.

BOURDIEU, Pierre. Razões Práticas: sobre a teoria da ação. Tradução Mariza Corrêa. 9. ed. Campinas: Papirus, 1996.
BOURDIEU, Pierre. O Poder Simbólico. Tradução Fernando Tomaz. 12. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2009.

BRASIL. Decreto n.º 6.095, de 24 de abril de 2007. Estabelece as diretrizes para o processo de integração de instituições federais de educação tecnológica [...]. Diário Oficial [da] União, Poder Executivo, Brasília, DF, 25 de abril de 2007. Disponível em: https://bit.ly/2unZy4q. Acesso em: 14 jul. 2019.

BRASIL. Decreto n.º 9.235, de 15 de Dezembro de 2017. Dispõe sobre o exercício das funções de regulação, supervisão e avaliação das instituições de educação superior [...]. Diário Oficial [da] União, Poder Executivo, Brasília, DF, 18 de dezembro de 2017. Disponível em: https://bit.ly/2KsQFMo. Acesso em: 22 jul. 2019.

BRASIL. Decreto n.º 5.773, de 09 de maio de 2006. Dispõe sobre o exercício das funções de regulação, supervisão e avaliação de instituições de educação superior [...]. Diário Oficial [da] União, Poder Executivo, Brasília, DF, 10 de maio de 2006. Disponível em: https://bit.ly/2MvOwlc. Acesso em: 10 jul. 2019.

BRASIL. Lei n.º 11.892, de 29 de dezembro de 2008. Institui a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, cria os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, e dá outras providências. Diário Oficial [da] União, Poder Executivo, Brasília, DF, 30 de dezembro de 2008. Disponível em: https://bit.ly/2dzI0vn. Acesso em: 11 jun. 2019.

BRASIL. Lei n.º 10.861, de 14 de abril de 2004. Institui o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES) e dá outras providências. Diário Oficial [da] União, Poder Executivo, Brasília, DF, 15 de abril de 2004. Disponível em: https://bit.ly/2lFT5M6. Acesso em: 10 jul. 2019.

BRASIL. Lei n.º 11.195 de 18 de novembro de 2005. Dá nova redação ao § 5.º do art. 3.º da Lei n.º 8.948, de 8 de dezembro de 1994. Diário Oficial [da] União, Poder Executivo, Brasília, DF,18 de novembro de 2005. Disponível em: https://bit.ly/2OCYFjP. Acesso em: 21 jul. 2019.

BRASIL. Lei n.º 11.741 de 08 de julho de 2008. Altera dispositivos da Lei n.º 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional [...]. Diário Oficial [da] União, Poder Executivo, Brasília, DF, 17 de julho de 2008. Disponível em: https://bit.ly/2FaEyUm. Acesso em: 10 jul. 2019.



BRASIL. Lei n. º 9.394 de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Base da Educação Nacional (LDB). Diário Oficial [da] União, Poder Executivo, Brasília, DF, 23 de dezembro de 1996. Disponível em: https://bit.ly/1d40CY4. Acesso em: 10 jul. 2019.

BRASIL. Resolução n.º 2, de 1.º de julho de 2015. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior [...]. Diário Oficial [da] União, Poder Executivo, Brasília, DF, 2 de julho de 2015 – Seção 1 – pp. 8-12. Disponível em: https://bit.ly/2o5nNlV. Acesso em: 17 jul. 2019.

BRASIL. Sistema Eletrônico do Serviço de Informações ao Cidadão (e-Sic). Disponível em: https://bit.ly/2uZlNiE. Acesso em: 11 jul. 2019.

CAPES. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Qualis. Disponível em: https://bit.ly/2MGoluX. Acesso em: 11 jul. 2019.

CNPQ. Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Diretório de Grupos de Pesquisa. Disponível em: https://bit.ly/1nZ6CYo. Acesso em: 01 jul. 2019.

CHARTIER, Roger. O mundo como representação. Estudos Avançados, 1991, vol. 5, n. 11, p. 173-191.

FRANCISCO; Thiago Henrique Almino; NAKAYAMA; Marina Keiko; RAMOS, Alexandre Moraes; OLIVEIRA, Paulo Cristiano. A Contribuição do PDI nas Atividades de Planejamento e Gestão das Instituições de Educação Superior. Revista GUAL, Florianópolis, v. 5, n. 3, p. 81-107, dez. 2012.

GALVÃO, Anderson Allan Almeida. Plano de Desenvolvimento Institucional: uma proposta para elaboração e acompanhamento pelos Institutos Federais. 2016. 66 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Gestão Pública) – Universidade de Brasília, Planaltina-DF, 2016. Disponível em: https://bit.ly/2OxOhcQ. Acesso em: 18 jul. 2019.

INSTITUTO FEDERAL DE ALAGOAS (IFAL). Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI 2014-2018). Alagoas: IFAL, dezembro de 2013. Disponível em: https://bit.ly/2nycULA. Acesso em: 10 jul. 2019.

INSTITUTO FEDERAL DE BRASÍLIA (IFB). Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI 2014-2018). Brasília-DF: IFB, abril de 2014. Disponível em: https://bit.ly/2OvK6yg. Acesso em: 10 jul. 2019.

INSTITUTO FEDERAL DE MINAS GERAIS (IFMG). Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI 2014-2018). Belo Horizonte-MG: IFMG, julho de 2014. Disponível em: https://bit.ly/2p0rvzQ. Acesso em: 10 jul. 2019.
INSTITUTO FEDERAL DE MINAS GERAIS (IFMG). A evasão escolar no IFMG: diagnóstico e diretrizes da política institucional para a permanência e o êxito dos estudantes. Minas Gerais: IFMG, 2017. Disponível em: https://bit.ly/2ATgzGC. Acesso em: 10 jul. 2019.

INSTITUTO FEDERAL DE PERNAMBUCO (IFPE). Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI 2014-2018). Recife: IFPE, dezembro de 2015. Disponível em: Acesso em: http://tiny.cc/r736dz. Disponível em: 10 jul. 2019.

INSTITUTO FEDERAL DE RONDÔNIA (IFRO). Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI 2014-2018). Porto Velho-RO: IFRO, novembro de 2014. Disponível em: http://tiny.cc/1736dzAcesso em: 10 jul. 2019.

INSTITUTO FEDERAL DE SERGIPE (IFS). Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI 2014-2019). Aracaju-SE: junho de 2014. http://tiny.cc/e836dz.Acesso em: 10 jul. 2019.

INSTITUTO FEDERAL DO CEARÁ (IFC). Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI 2014-2018). Fortaleza-CE: IFCE, dezembro 2013. Disponível em: http://tiny.cc/5836dz. Acesso em: 10 jul. 2019.

INSTITUTO FEDERAL DO MARANHÃO (IFMA). Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI 2014-2018). São Luís-MA: IFMA, 2014. Disponível em: http://tiny.cc/n936dz. Acesso em: 10 jul. 2019.

INSTITUTO FEDERAL DO PARÁ (IFPA). Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI 2014-2018). Belém-PA: IFPA, 2014. Disponível em: http://tiny.cc/la46dz. Acesso em: 10 jul. 2019.

INSTITUTO FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL (IFRS). Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI 2014-2018). Bento Gonçalves-RS: IFRS, dezembro de 2014. Disponível em: http://tiny.cc/va46dz. Acesso em: 10 jul. 2019.

INSTITUTO FEDERAL DO TOCANTINS (IFTO). Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI 2015-2019). Palmas-TO: IFTO, novembro de 2014. Disponível em: http://tiny.cc/ab46dz. Acesso em: 10 jul. 2019.

INSTITUTO FEDERAL FARROUPILHA (IFFAR). Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI 2014-2018). Santa Maria-RS: IFFAR, setembro de 2014. Disponível em: http://tiny.cc/ob46dz. Acesso em: 10 jul. 2019.




LOPEZ, Jesusa Rita Fidalgo Sanchez. Relação entre PDI, identidade institucional e gestão participativa nos institutos federias do Brasil: desafios e possibilidades para o desenvolvimento. 2015. 179 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Gestão e Tecnologia) – Universidade Estadual da Bahia, Salvador, 2015. Disponível em: http://tiny.cc/ac46dz. Acesso em: 15 jul. 2019.

ORTIGARA, Claudino. Políticas para a educação profissional no Brasil: os Institutos Federais de Educação, ciência e Tecnologia e a educação integral. Pouso Alegre: Ifsuldeminas, 2014.

SCHUH, Aline Beatriz; BASSI, Eduardo da Rocha. Estrutura do Planejamento Institucional dos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia. Revista UNIABEU, v. 10, Número 24, janeiro-abril de 2017.

SEGENREICH, Stella Cecília Duarte. O PDI como Referente para Avaliação de Instituições de Educação Superior: lições de uma experiência. Revista Ensaio: aval. política pública educação, Rio de Janeiro, v. 13, n. 47, p. 149-168, abr./jun. 2005.

SILVA, Caetana Juracy Resende; VIDOR, Alexandre Martins; PACHECO, Eliezer Moreira; PEREIRA, Luiz Augusto Caldas (Org.). Institutos Federais Lei n.º 11.892, de 29/12/2008: comentários e reflexões. Natal: IFRN, 2009.
Publicado
07-02-2020
Como Citar
Matos Souza Ferreira , A. de, & Nazaré Baía Coelho , W. de. (2020). Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI 2014-2019) nos Ifets: o perfil dos agentes elaboradores. Revista Educação Em Questão, 58(55). https://doi.org/10.21680/1981-1802.2020v58n55ID19127
Seção
Artigos