O cadastro no sistema e posterior acesso, por meio de login e senha, são obrigatórios para a submissão de trabalhos, bem como para acompanhar o processo editorial em curso. Acesso em uma conta existente ou Registrar uma nova conta.

Condições para submissão

Como parte do processo de submissão, os autores são obrigados a verificar a conformidade da submissão em relação a todos os itens listados a seguir. As submissões que não estiverem de acordo com as normas serão devolvidas aos autores.
  • 1. A Revista Educação em Questão é um periódico do Centro de Educação e do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Periódico (online), de fluxo contínuo e de acesso aberto, publicado em quatro edições anuais com artigos originais e inéditos de Educação, resultantes de pesquisa cientifica, além de resenhas de livros e documentos históricos.

  • 2. O artigo, em consonância com o que prescrevem estas Normas Gerais, é configurado para papel A4, observando as seguintes indicações: digitação em word for windows; margem direita/superior/inferior 2,5 cm; margem esquerda 2,5 cm; fonte Century Gothic no corpo 12, com espaçamento entre linhas 1,5 cm. Nas citações (a partir de quatro linhas), o espaçamento é simples e a fonte, 11.

  • 3. O artigo original e inédito (português, espanhol e inglês), entre 20 e 25 laudas, deve incluir Resumo em português, espanhol e inglês em torno de 15 (quinze) linhas ou 150 (cento e cinquenta) palavras, com indicação de 4 (quatro) palavras-chave em cada idioma; o espaçamento entre linhas 1,5 cm e a fonte 12.

  • 4. O artigo original e inédito aprovado poderá ser publicado, concomitantemente, em língua portuguesa e em língua inglesa. O(s) autor(es) deve(m) apresentar uma declaração de que o artigo em língua inglesa foi traduzido por um especialista reconhecido.

  • 5. No início do artigo, figurará o título em português, inglês e espanhol, antes de cada resumo (negrito e caixa baixa), autor(es), instituição e país.

  • 6. O título deverá conter, no máximo, 100 (cem) caracteres com espaço.

  • 7. A citação, a partir de quatro linhas, deve ser recuada e seguida do sobrenome do(s) autor(es), ano e página.

  • 8. Escrever o sobrenome dos autores citados no corpo do trabalho.

  • 9. Registrar, nas referências, somente, os autores citados no corpo do texto, devendo escrever o nome completo dos autores e dos tradutores.

  • 10. As notas devem ter caráter unicamente explicativo e constar no final do texto, antes das referências. Cada nota explicativa deverá conter, no máximo, 400 (quatrocentos) caracteres.

  • 11. As figuras e imagens constantes no artigo devem ser de alta resolução.

  • 12. O autor deve apresentar uma declaração de que o artigo é, inteiramente original e inédito. Ou seja, na declaração, deve constar que o artigo não foi publicado em periódico, livro, anais de congresso, site, blog.

  • 13. O autor deve registrar o número do ORCID (Open Researcher and Contributor ID) no “Perfil” do(s) autor(res) do artigo.

  • 14. Em cada artigo, poderá haver, no máximo, 3 (três) autores; preferencialmente pertencentes a grupos de pesquisas. Exige-se que, pelo menos, dois (2) dos autores tenham o título de doutor.

  • 15. O artigo de Redes Interinstitucionais de Pesquisadores (brasileiros e estrangeiros) poderá contemplar, no máximo, 6 (seis) autores. O artigo original e inédito aprovado deverá ser publicado, concomitantemente, em língua portuguesa e em língua inglesa. O(s) autor(es) deve(m) apresentar uma declaração de que o artigo em língua inglesa foi traduzido por um especialista reconhecido.

  • 16. O artigo, resultante de dissertação de mestrado e de tese de doutorado, poderá ter, no máximo, 2 (dois) autores.

  • 17. A avaliação do artigo pelos pareceristas consiste na consistência do título (com relação ao conhecimento produzido); na consistência do resumo (apresentando, necessariamente, objetivo, referencial teórico e/ou procedimento metodológico e resultados); na consistência interna do trabalho (com relação ao objetivo, ao referencial teórico e/ou procedimento metodológico e aos resultados); na qualidade do conhecimento educacional produzido (com relação à densidade analítica, às evidências ou provas das afirmações apresentadas e às ideias conclusivo-analíticas); na qualidade do conhecimento educacional produzido (com relação à estruturação e à articulação das partes do artigo); na pertinência da conclusão do trabalho (referente ao objetivo e ao referencial teórico e/ou procedimento metodológico e ideias às conclusivo-analíticas); na pertinência da argumentação e da coerência textual; na adequação da escrita à norma culta da língua portuguesa; na relevância acadêmica e científica (com relação aos padrões de uma pesquisa científica) e na originalidade do artigo para a área de Educação.

  • 18. A avaliação do artigo do tipo duplo-cega ficará a cargo de 2 (dois) pareceristas. No caso de pareceres contraditórios, serão solicitados outros pareceres. Os artigos não aprovados pelos pareceristas serão arquivados em Submissões Arquivadas do Portal de Periódicos Eletrônicos da UFRN (https://periodicos.ufrn.br/educacaoemquestao/index).

  • 19. A resenha de três a quatro laudas deverá vir com o título em português, inglês e espanhol (negrito e caixa baixa) e a referência do livro resenhado.

  • 20. Cada resenha poderá ter, no máximo, 3 (três) autores.

  • 21. A avaliação da resenha pelo parecerista reside na sua clareza informativa, crítica e crítico-informativa; na apresentação do conhecimento produzido para a área de Educação; na consistência na exposição sintética do conhecimento do livro resenhado; na adequação da escrita à norma culta da língua portuguesa e, ainda, nas Normas da Revista Educação em Questão.

  • 22. A avaliação da resenha do tipo duplo-cega ficará a cargo de 2 (dois) pareceristas. No caso de pareceres contraditórios, serão solicitados outros pareceres.

  • 23. O tempo estimado para o envio dos pareceres ao(s) autor(es) é de, aproximadamente, 35 (trinta e cinco) dias.

  • 24. O documento histórico (até 15 laudas) deve vir acompanhado de uma apresentação em torno de 7 linhas ou 100 palavras.

  • 25. O artigo e a resenha submetidos à Revista Educação em Questão, serão, primeiramente, apreciados pelo Conselho Editorial, que analisa sua adequação às Normas e à Política Editorial da Revista (incluindo a originalidade e o ineditismo do artigo) e decide por seu envio aos pareceristas para avaliação do tipo cega ou sua recusa prévia. Todas as fases do processo de submissão e de avaliação do artigo são acompanhadas pelo Conselho Editorial e Consultivo da Revista, que decide pelos possíveis casos divergentes em relação às Normas da Revista.

  • 26. No artigo e resenha, submetidos à Revista Educação em Questão, o (s) autor(es) pode (m) acompanhar todas as fases: aceitação ou rejeição imediata; envio para pareceristas; pareceres emitidos e enviados para seus autores, além da publicação no site do Portal de Periódicos Eletrônicos da UFRN (https://periodicos.ufrn.br/educacaoemquestao/index).

  • 27. O ineditismo do artigo e da resenha será analisado com base em uma ferramenta de antiplágio (CopySpider).

  • 28. A titulação do autor, instituição, cidade da instituição, órgão de lotação, e-mail, grupo de pesquisa a que pertence e Orcid devem constar no final do texto, após as referências. A identificação do autor restringe-se ao texto do artigo submetido. O texto do artigo anônimo será enviado aos pareceristas para avaliação.

  • 29. Todos os pareceres emitidos pelos avaliadores deverão ser apreciados pelo Conselho Editorial e Consultivo da Revista Educação em Questão.

  • 30. O Conselho Editorial e Consultivo da Revista, após apreciar os pareceres emitidos pelos avaliadores, informa, imediatamente, ao (s) autor (es).

  • 31. A política de ética e de boas práticas na produção e na publicação da Revista Educação em Questão deve considerar: i) As Diretrizes Básicas para a Integridade na Atividade Científica do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – CNPq, 2011 (http://cnpq.br/diretrizes); ii) Os Protocolos da Plataforma Brasil por meio do(s) Comitês de Ética em Pesquisa (http://www.comitedeetica.saomateus.ufes.br/plataforma-brasil); iii) A Resolução do Conselho Nacional de Saúde n° 510, de 7 de abril de 2016 – dispõe sobre normas aplicáveis às pesquisas em Ciências Humanas e Sociais – (http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/cns/2016/res0510_07_04_2016.html); iv) O Documento Preliminar: Ética na Pesquisa em Educação da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação de 2017 (http://www.anped.org.br/sites/default/files/etica_e_pesquisa_em_educacao_texto_para_discussao_1.pdf); v) O Código de Conduta para Editores e Periódicos do Cope (https://publicationethics.org/resources/code-conduct); vi) A Declaração de Avaliação de Pesquisa – DORA (https://sfdora.org/read/pt-br/).

  • 32. À Revista Educação em Questão ficam reservados os direitos autorais pertinentes a todos os artigos nela publicados. A Revista Educação em Questão utiliza a licença de Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License, que permite o compartilhamento do artigo com o reconhecimento da autoria.

  • 33. Os autores e coautores de artigos e resenhas, publicados na Revista Educação em Questão, terão um prazo de, no mínimo, dois anos para que possam submeter novos trabalhos para publicação.

  • 34. O período para submeter o artigo à Revista Educação em Questão é de 1º de março a 31 de outubro.

  • 35. O procedimento para submissão de artigo e de resenha no Portal de Periódicos Eletrônicos da UFRN – http://periodicos.ufrn.br/educacaoemquestao – deve seguir a seguinte orientação: aba "Cadastro" (registrar todos os dados solicitados tanto como autor e como leitor); aba "Página do usuário" (clica no link "autor" e, depois, em "nova submissão") para o envio do texto do artigo. A declaração deve vir anexada no item "Passo 4" (Transferência de documentos suplementares).

  • 36. As menções de autores no texto subordinar-se-ão às Normas Técnicas da ABNT – NBR 10520, agosto 2002. Exemplos: Teixeira (1952, p. 70); (TEIXEIRA, 1952) e (TEIXEIRA, 1952, p. 71).

  • 37. As referências, no final do texto, precisam obedecer às Normas Técnicas da ABNT, NBR 6023, novembro 2018 (segunda edição). Exemplos:

  • Livros
    BOTO, Carlota. A liturgia escolar na idade moderna. Campinas: Papirus, 2017.
    FERRAROTTI, Franco. História e histórias de vida. O método biográfico nas ciências sociais. Tradução Carlos Eduardo Galvão Braga e Maria da Conceição Passeggi. Natal: EDUFRN, 2014.
    SOARES JÚNIOR, Azemar dos Santos; ANDRADE, Vivian Galdino de (Org.). Escritas do sensível: experiência, história cultural e práticas educativas. João Pessoa: Ideia, 2019. E-book.

    Capítulos de Livros
    GATTI JÚNIOR, Décio. História do ensino de história da educação no espaço luso-brasileiro: primeiras aproximações (Séculos XIX e XX). In: ARAÚJO, Marta Maria de (Org.). História (s) comparada(s) da educação. Brasília: Liber Livro, 2009.

    Artigos em Periódico
    ARAÚJO, Marta Maria de; VIEIRA, Cristina Maria Coimbra. Educação em nível secundário de moças de Natal e de Coimbra (1941-1948). Cadernos de História da Educação, Uberlândia, v. 17, n. 2, p. 328-342, maio/ago. 2018. (Dossiê: Educação de Mulheres no Brasil e em Portugal (séculos XIX e XX).
    DISCURSO de posse do professor Anísio Teixeira no Instituto Nacional de Estudos Pedagógicos. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, Rio de Janeiro, v. 17, n. 46, p. 69-79, abr./jun. 1952.

    Tese de Doutorado
    FERNANDES, Hercília Maria. Aprender e apreender no Jardim-Escola (Caicó, Rio Grande do Norte, 1960-1993). 2018, 367f. (Tese de Doutorado) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, 2018.

    Dissertação de Mestrado
    MARQUES, Tércia Maria Souza de Moura. Livros das Ciências da Educação, bibliotecas e a engenhosidade da bibliotecária Zila da Costa Mamede (Universidade Federal do Rio Grande do Norte, 1959-1980). 2015. 181f. Dissertação. (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2015.

    Monografia
    MOREIRA, Keila Cruz. Grupos escolares – modelo cultural de organização (superior) da instrução primária (Natal, 1908-1913). Natal, 1997, 59 f. Monografia (Especialização em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, 1997.

    Trabalho de Congresso Publicado online
    ARAÚJO, Marta Maria de; MARQUES, Tércia Maria Souza de Moura. A educação (auto)formativa de bibliotecárias (Zila da Costa Mamede, 1936-1985). In: CONGRESSO INTERNACIONAL DE PESQUISA (AUTO)BIOGRÁFICA, 6., 2014, Rio de Janeiro. Anais [...]. Rio de Janeiro: Universidade do Estado do Rio de Janeiro/Associação Brasileira de Pesquisa (Auto)Biográfica, 2014. 1 Online.

    Correspondência
    CAPANEMA FILHO, Gustavo [Correspondência]. Destinatário Presidente Getúlio Dornelles Vargas. Rio de Janeiro, 14 nov. 1935. 1 Carta.

    Entrevista
    ANTONIO. Entrevista. Natal (Rio Grande do Norte), 5 maio. 2010.

    Matéria de Jornal
    BARBOSA, Edgar. Colégio e ginásio. A República, Natal, p. 3, 16 abr. 1942.

    Documento Escolar
    PELO ENSINO. Visitas escolares. Grupos Escolares “Senador Guerra” de Caicó e “Capitão Mor Galvão” de Currais Novos. A República, Natal, p. 1, 14 ago. 1920.

    Constituições do Brasil
    BRASIL. [Constituição (1946)]. Constituição dos Estados Unidos do Brasil. Brasília: Senado Federal e Ministério de Ciência e Tecnologia, Centro de Estudos Estratégicos, 2001. (Aliomar Baleeiro e Barbosa Lima Sobrinho – Organizadores, v. 5).
    BRASIL. [Constituição (1988)]. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Senado Federal e Ministério de Ciência e Tecnologia, Centro de Estudos Estratégicos, 2002. (Caio Tácito – Organizador, v. 7).

    Constituições do Rio Grande do Norte
    RIO GRANDE DO NORTE. [Constituição (1936)]. Constituição do Estado do Rio Grande do Norte. Natal: Imprensa Oficial, 1936.
    RIO GRANDE DO NORTE. [Constituição (1947)]. Constituição do Estado do Rio Grande do Norte. Natal: D.E.I. 1947.

    Mensagens Governamentais
    BRASIL. Mensagem apresentada ao Congresso Nacional pelo Presidente da República, Getúlio Dornelles Vargas na abertura da sessão legislativa de 1951. A educação nas mensagens presidenciais. Brasília: MEC/INEP, 1987. (v. 1, 1890-1986).
    BRASIL. Mensagem apresentada ao Congresso Nacional pelo Presidente da República, Juscelino Kubitschek de Oliveira na abertura da sessão legislativa de 1957. A educação nas mensagens presidenciais. Brasília: MEC/INEP, 1987. (v. 2, 1890-1986).

    Legislação Educacional
    BRASIL. Decreto nº 20.772, de 11 de dezembro de 1931. Autoriza o Convênio entre a União e as unidades da federação, para o desenvolvimento e padronização das estatísticas educacionais. Disponível em: http://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1930-1939/htm. Acesso em: 13 fev. 2018.
    BRASIL. Lei nº 9.394 de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial [da] União, Poder Executivo, Brasília, DF, 23 de dezembro de 1996. Seção 1, p. 27833.

    Testamento
    SILVA, Caetano de Souza. Testamento. Caicó/Freguesia da Gloriosa Senhora Sant’Ana, 1890. (Documento manuscrito de 22 de julho de 1890, sob a guarda do Laboratório de Documentação Histórica do Centro de Ensino Superior do Seridó/LABORDOC − Caicó).

    Testamentos e Autos de Contas
    NASCIMENTO, Joaquina Maria do. Testamento e autos de contas. Vila do Príncipe /Freguesia da Gloriosa Senhora Sant’Ana, 1850. (Documento manuscrito de 20 de agosto de 1850, sob a guarda do Laboratório de Documentação Histórica do Centro de Ensino Superior do Seridó/LABORDOC − Caicó).

Artigos

Política padrão de seção

Política de Privacidade

Os nomes e endereços informados nesta revista serão usados exclusivamente para os serviços prestados por esta publicação, não sendo disponibilizados para outras finalidades ou a terceiros.