Aprender na prática

a escola no processo formativo das licenciaturas em Ciências Sociais a partir da experiência na UFC

  • Maria Iris Abreu Santos Universidade Federal do Ceará/Doutoranda em Sociologia - PPGS https://orcid.org/0000-0001-6785-1190
  • Gislania de Freitas Silva Universidade Federal do Ceará/Doutoranda em Sociologia - PPGS; SEDUC-CE/Professora da rede estadual de ensino
Palavras-chave: Sociologia/Antropologia da Educação, Licenciatura, Formação Docente, Pesquisa, Escola

Resumo


Neste artigo propomos discutir a formação para a docência nas licenciaturas em Ciências Sociais a partir do curso ofertado pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Com base nas percepções e experiências de estudantes egressos deste curso, compartilhadas por meio de questionários e entrevistas, problematizamos a hierarquia simbólica associada à dicotomia pesquisador/professor e destacamos a centralidade da relação universidade-escola na formação docente. Seguindo o diálogo entre Antropologia e Educação, refletimos sobre o lugar da prática no processo de aprendizagem e ressaltamos a experiência do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID) em promover a imersão do licenciando na escola desde o início da formação, transcendendo assim as disciplinas de estágio. Concluímos que a aproximação do discente com o ambiente escolar torna patente a indissociabilidade entre pesquisa e ensino, uma vez que vivenciar a escola – seus atores, dinâmicas e relações sociais - pressupõe simultaneamente experimentá-la enquanto prática e torná-la objeto de reflexão socioantropológica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Iris Abreu Santos, Universidade Federal do Ceará/Doutoranda em Sociologia - PPGS

Doutoranda no Programa de Pós-graduação em Sociologia da Universidade Federal do Ceará. Mestrado em Sociologia pela Universidade Federal do Ceará (2015). Graduação em Ciências Sociais pela Universidade Estadual do Ceará (UECE) (2012). É membro do Núcleo de Estudos de Religião, Cultura e Política (NERPO) da Universidade Federal do Ceará.

Gislania de Freitas Silva, Universidade Federal do Ceará/Doutoranda em Sociologia - PPGS; SEDUC-CE/Professora da rede estadual de ensino

Doutoranda no Programa de Pós-graduação em Sociologia da Universidade Federal do Ceará. Mestrado em Sociologia pela Universidade Federal do Ceará (2013). Graduação em Licenciatura em Ciências Sociais pela Universidade Estadual do Ceará (UECE) (2009). É professora de Sociologia da rede estadual de ensino (SEDUC-CE) desde 2010. Tem interesse nas seguintes áreas: pensamento social brasileiro e latino-americano; estudos subalternos e crítica pós-colonial; formação e atuação docente; Sociologia no ensino básico.

Referências

  • BOMENY, Helena. A quantas anda o ensino de Sociologia na graduação? In: BOMENY, Helena (org.). Ensino de Sociologia na graduação: perspectivas e desafios. São Paulo: AnnaBlume, 2017, p. 7-15.

  • BOURDIEU, Pierre. Os usos sociais da ciência: por uma sociologia clínica do campo científico. São Paulo: UNESP, 2004.

  • CÂNDIDO, Antônio. O papel do estudo sociológico da escola na sociologia educacional. Anais do I congresso brasileiro de sociologia. São Paulo-SP, de 21 a 27 de junho de 1954, p. 117-130.

  • CUNHA, Maria Isabel da. Inovações pedagógicas: o desafio da reconfiguração de saberes na docência universitária. Cadernos de Pedagogia Universitária 6. USP. Pró-reitoria de graduação. Setembro 2008. p. 1-41.

  • GONÇALVES, Danyelle Nilin; LIMA FILHO, Irapuan Peixoto. Aprendendo pela pesquisa e pelo ensino: O PIBID no processo formativo das Licenciaturas em Ciências Sociais. Revista Brasileira de Sociologia, v. 2, n. 3, p. 81-100, jan/jun de 2014.

  • HANDFAS, Anita. O ensino de sociologia e a escrita acadêmica. In: BRUNETTA, Antônio; BODART, Cristiano; CIGALES, Márcio (orgs.). Dicionário do Ensino de Sociologia. Maceió: Editora Café com Sociologia, 2020, p. 286-291.

  • INGOLD, Tim. O dédalo e o labirinto:* Caminhar, imaginar e educar a atenção. Horizontes Antropológicos, ano 21, n. 44, p. 21-36, Porto Alegre, 2015.

  • INGOLD, Tim. Chega de etnografia! A educação da atenção como propósito da antropologia. Educação (Porto Alegre), v. 39, nº3, p. 404-411, set./dez., 2016.

  • INGOLD, Tim. Antropologia e/como Educação. Tradução Vitor Emanuel Santos Lima, Leonardo Rangel dos Reis. Petrópolis, RJ: Vozes, 2020.

  • LAVE, Jean. Aprendizagem como/na prática. Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, ano 21, n. 44, p. 37-47, jul./dez., 2015.

  • LEAL, Sayonara de Amorim Gonçalves. Dispositivos de normatização do ensino de sociologia na escola: formação e saberes docentes de licenciados em ciências sociais no Distrito Federal. Educ. Soc., Campinas, v. 38, n. 141, p. 1075 -1099, out./dez., 2017.

  • LEITEa, Eliana; RIBEIRO, Emerson; LEITEb, Kécio; ULIANA, Márcia. Formação de profissionais da educação: alguns desafios e demandas da formação inicial de professores na contemporaneidade. Educ. Soc., v. 39, n. 144, p. 721-737, jul-set, 2018.

  • LIBÂNEO, José Carlos. Conteúdos, formação de competências cognitivas e ensino com pesquisa: unindo ensino e modos de investigação. Cadernos de Pedagogia Universitária 11. USP. Pró-reitoria de graduação. Outubro 2009. p. 1-42.

  • LIMA, Rogério Mendes de. O ensino de Sociologia e a pesquisa de campo. In: BRUNETTA, Antônio; BODART, Cristiano; CIGALES, Márcio (orgs.). Dicionário do Ensino de Sociologia. Maceió: Editora Café com Sociologia, 2020, p. 291-295.

  • MORAES, A. C. Licenciatura em ciências sociais e ensino de sociologia: entre o balanço e o relato. Revista Tempo Social, v.15, n.1, p. 05-20, São Paulo, abril de 2003.

  • NASCIMENTO, Maria das Graças; ALMEIDA, Patrícia; PASSOS, Laurizete. Formação docente e sua relação com a escola. Revista Portuguesa de Educação, v. 29, n.2, p. 09-34, 2016.

  • OLIVEIRA, Amurabi; AQUINO, Rosimere da Silva; NASCIMENTO, Carolina. O ensino em sociologia como prática: diferenças e clivagens nos distintos espaços institucionais. Revista Linhas. v. 21, n. 45, p. 183-204, Florianópolis, jan/abr. 2020.

  • POUPART, Jean. A entrevista do tipo qualitativo: considerações epistemológicas, teóricas e metodológicas. In: POUPART, Jean et al. A pesquisa qualitativa: enfoques epistemológicos e metodológicos. Petrópolis: Vozes, 2008, p. 215-253.

  • SCHWEIG, Graziele Ramos. Aprendizagem e ciência no ensino de Sociologia na escola: um olhar desde a Antropologia. 175 f.. Tese (Doutorado). Programa de Pós-graduação em Antropologia Social, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Porto Alegre, 2015.

  • SEVERINO, Antônio Joaquim. Ensino e pesquisa na docência universitária: caminhos para a integração. Cadernos de Pedagogia Universitária 3. USP. Pró-reitoria de graduação. Abril 2008. p. 1-40.

  • SILVA, Vandré Gomes; ALMEIDA, Patrícia; GATTI, Bernardete. Referências e critérios para a ação docente. Cadernos de Pesquisa, v. 46, nº 160, p. 286 – 311, abril/jun., 2016.

  • SILVA, Ileizi Luciana Fiorelli; LIMA, Ângela Maria de Sousa. A formação continuada de professores/as de sociologia da educação básica e os desafios para a pós-graduação stricto sensu. Revista Teoria e Cultura, v. 12, n. 1, Juiz de Fora, jan. a junho de 2017, p. 35-49.

  • STECANELA, Nilda. A metodologia da pesquisa em sala de aula na formação e atuação docente. Revista Pedagógica, v. 17, n. 35, maio/ago. de 2015.

  • VERAS, Hermes de Sousa. Pensando a etnografia como aprendizagem. Kula: Antropologia y Ciencias Sociales, n. 22, p. 53-64, 2020.

Publicado
12-08-2021
Como Citar
ABREU SANTOS, M. I.; DE FREITAS SILVA, G. Aprender na prática. Equatorial – Revista do Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social, v. 8, n. 15, p. 1-22, 12 ago. 2021.