O IMAGINÁRIO SOCIAL CRISTALIZADO NA HISTÓRIA PELAS IMAGENS VISUAIS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21680/1984-817X.2022v18n1ID26395

Palavras-chave:

Imagem visual, História, Livro didático, Ensino, Imaginário social

Resumo

As imagens visuais têm ocupado os mais variados espaços no tempo presente, ao ponto que podemos afirmar que o século XXI são delas. Elas têm dominado as relações sociais, culturais e educacionais. A minha pesquisa sobre os livros didáticos de história, tem revelado um considerável aumento delas ao longo das páginas dos mesmos. Desta forma, discorro sobre como o ensino de história do Brasil – responsável pela construção da memória nacional vai sendo configurado em seus LDs e de que maneira os grandes acontecimentos da História do Brasil e seus respectivos “heróis” eternizados por meio das imagens visuais são usados para criar mitos no imaginário social como estátuas postas em praças públicas que servem de referencial imagético de um período ou acontecimento no qual tornam-se uma espécie de topoi.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eduardo Jorges Pugliesi, Universidade Federal da Paraíba

Mestre em Educação - UFPB (2020).

Graduado em História - UNICAP (2011).

Membro do Grupo de Estudos e Pesquisa Discurso e Imagem Visual em Educação – GEPDIVE.

Referências

ABUD, Katia. Currículos de História e políticas públicas: os programas de História do Brasil na escola secundária. In: BITTENCOUR, Circe (Org.). O saber histórico na sala de aula. 12. ed., 4. reimp. São Paulo: Contexto, 2019, p. 28-41

BOSI, Ecléa. Memória e sociedade: Lembranças dos velhos. 3. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 1994.

BOULOS JÚNIOR, Alfredo. História sociedade & cidadania, 1º ano. 2. ed. São Paulo: FTD, 2016a.

______. História sociedade & cidadania, 2º Ano. 2. ed. São Paulo: FTD, 2016b.

______. História sociedade & cidadania, 3º Ano. 2. ed. São Paulo: FTD, 2016c.

FOUCAULT, Michael. As palavras e as coisas. Tradução: Salma Tammus Muchail. 10. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2016.

PENNA, Fernando. O “currículo colegial” do Colégio de Pedro II. In: Instituições educacionais na cidade do Rio de Janeiro: um século de história (1850-1950). Miriam Wainfeld Chaves, Sonia de Castro Lopes (Orgs.). Rio de Janeiro: Mauad X: Faperj, 2009.

FURET, F. A História na cultura clássica. In: A oficina da história. Tradução: Adriano D. Rodrigues. Lisboa: Gradiva, 1986.

DE MELLO, Ricardo Marques. Como se deve escrever a História: Carl Martius no século XIX e os editais atuais do programa nacional do livro didático. Rev. hist. comp., Rio de Janeiro, v. 12, n. 2, p. 65-83, 2018.

MARTIUS, Carl F. P. von. Como se deve escrever a História do Brasil. In: O Estado de Direito entre os autóctones do Brasil. Belo Horizonte/ São Paulo: Itatiaia/ EDUSP, 1982.

LAVISSE, Ernest. Historie de France: cours élémentaire. Paris: A. Colin, 1887.

RODRIGUES, J. H. Teoria da História do Brasil (Introdução Metodológica). 5. ed. São Paulo: Cia Ed. Nacional, 1979.

Downloads

Publicado

14-04-2022

Como Citar

JORGES PUGLIESI, E.; ERENILDO JOÃO CARLOS. O IMAGINÁRIO SOCIAL CRISTALIZADO NA HISTÓRIA PELAS IMAGENS VISUAIS. Revista Espacialidades, [S. l.], v. 18, n. 1, p. 307–331, 2022. DOI: 10.21680/1984-817X.2022v18n1ID26395. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/espacialidades/article/view/26395. Acesso em: 30 jun. 2022.