SOBRE OS CONCEITOS DE LIBERDADE E VIRTUDE

NOTAS EXPLORATÓRIAS AO ESTUDO DO REPUBLICANISMO

Resumo

Este trabalho se propõe a investigar os conceitos de Liberdade e Virtude, entendidos como de fundamental importância na montagem das matrizes conceituais da tradição republicana. As reflexões estão centradas sobre os republicanismos greco-romano e do humanismo cívico, e propõem um exercício das possibilidades colocadas pelas práticas desenvolvidas em consonância com a vertente da História do pensamento político conhecida por contextualismo lingüístico (linguistic turn). Ao longo do nosso trabalho, concebido como um balanço crítico, e portanto caracterizado como de revisão bibliográfica, a proposta central foi de colocar em diálogo autores clássicos recepcionados pela tradição republicana como paradigmáticos em suas respectivas épocas, e que passaram a constituir uma espécie de cânone, considerados os estudos acerca do republicanismo. Durante o renascimento, os conceitos de liberdade e virtude acabariam por revelar seu caráter trans-histórico, pois o revivescimento dos empreendimentos comerciais articulados a uma não interdição do lucro, iriam contribuir para o esgarçamento de certos laços simbióticos entre o cidadão e sua polis, impondo aos conceitos de liberdade e virtude uma obrigatória redefinição.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Antonio Carlos Figueiredo Costa, Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG).
Licenciado, Bacharel, Mestre e Doutor em História pela Universidade do Estado de Minas Gerais (UFMG). Professor do quadro de efetivos da Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG), pertencente ao Departamento de Educação e Ciências Humanas da Unidade Ibirité - UEMG. Professor de História nas disciplinas História da Educação, Teoria e Metodologia da História - I (CMC-I História), História e Cultura Afro-Brasileira e Tópicos Especiais em História do Brasil.
Publicado
18-12-2018
Como Citar
COSTA, A. C. F. SOBRE OS CONCEITOS DE LIBERDADE E VIRTUDE. Saberes: Revista interdisciplinar de Filosofia e Educação, v. 18, n. 3, 18 dez. 2018.