DO ENSINO DE FILOSOFIA AO FILOSOFAR

REFLEXÕES SOBRE O CONCEITO DE AÇÃO EM HANNAH ARENDT

  • Edvan Tito Carneiro Guerra UFPE - Universidade Federal de Pernambuco

Resumo

O objetivo deste artigo é discutir aspectos do ensino da filosofia na educação básica à luz do conceito de ação firmado no capítulo V de A Condição Humana de Hannah Arendt, identificado na revelação do agente através do discurso e da ação. Sugerimos a reflexão do conceito de ação como consciência motivadora para o ensino de filosofia, investindo em políticas educacionais que consideram a diversidade como um elemento favorável para a construção do conhecimento entre professores e alunos. Estamos aqui em um movimento adverso às práticas tecnicistas que investem em experiências estéreis, fadadas ao mecanicismo das relações. Pois acreditamos que ensinar filosofia além de ser um constante convite à reflexão é também um estímulo à liberdade humana que pode ser impulsionada pela engenhosidade de práticas docentes mais estimulantes. Com base em atividades vivenciadas durante as aulas de filosofia na educação básica, apresentamos aqui algumas reflexões a favor da pluralidade no espaço semipúblico favorecendo perspectivas do ensino da filosofia ao filosofar na sala de aula.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Edvan Tito Carneiro Guerra, UFPE - Universidade Federal de Pernambuco

Departamento: Filosofia

Área: Ciências humanas

Hannah Arendt; Conceito de ação; Ensino de filosofia

Publicado
18-12-2018
Como Citar
GUERRA, E. T. C. DO ENSINO DE FILOSOFIA AO FILOSOFAR. Saberes: Revista interdisciplinar de Filosofia e Educação, v. 18, n. 3, 18 dez. 2018.