Foi de maneira trágica que este ano começou, com o massacre na Penitenciária Estadual de Alcaçuz, em que presos de facções rivais digladiaram-se até a morte, sob o olhar débil das autoridades governamentais, que pouco foram capazes de fazer para cessar o derramamento de sangue. Os discursos de ódio que se seguiram aos acontecimentos foram estarrecedores. Vieram de pessoas que regozijavam-se com as brutais violações dos direitos humanos, por sentirem-se moralmente superiores aos que estão sob as condições do cárcere. Diante disto, essa edição da Revista Transgressões irá trabalhar diversasa situações onde o ser humano é colocado como ser completamente destituido de sua dignidade.

Publicado: 24-05-2017