A dialética entre a normatização e a interpretação:

a autoridade docente na modernidade líquida de Bauman

Palavras-chave: Bauman. Autoridade docente. Modernidade líquida. Formação de professores.

Resumo

O presente ensaio tem por escopo compreender, a partir de Bauman (2001; 2007; 2008; 2010), a autoridade docente na transição da modernidade sólida para a modernidade líquida, ou seja, de uma educação legisladora para uma educação intérprete. O problema que norteará este estudo é o seguinte: quais os desafios emergentes decorrentes da modernidade líquida à autoridade docente? Trabalha-se com a hipótese de que os vários desafios estão numa relação dialética entre a normatização (característica da modernidade sólida) e a interpretação (característica da modernidade líquida). Trata-se de uma pesquisa bibliográfica ancorada no método analítico-hermenêutico como percurso de análise. Os resultados do estudo indicam que a autoridade docente, na modernidade líquida, possui suas especificidades e desafios numa dialética entre o ofício de normatizar (oferecer conhecimentos basilares e direcionar um processo formativo) e o de interpretar (compreender as relações cambiáveis, diferenças culturais, novos hábitos).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Altair Alberto Favero, Universidade de Passo Fundo

Possui Pós-Doutorado (Bolsista Capes) pela Universidad Autónoma del Estado de México (UAEMéx), Doutorado em Educação (UFRGS), Mestre em Filosofia do Conhecimento (PUC/RS), Especialista em Epistemologia das Ciências Sociais (UPF) e Graduado em Filosofia (UPF). Atua como professor e pesquisador no Curso de Filosofia, no Mestrado e Doutorado em Educação da UPF, onde coordena o Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Educação Superior (GEPES/UPF/RS – cadastrado junto ao CNPq), o qual desenvolve o projeto de Pesquisa Interdisciplinaridade, Docência Universitária e Políticas Educacionais (em andamento desde março de 2014), vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade de Passo Fundo – UPF/RS/Brasil. É avaliador de Cursos do Inep desde 2010. Dentre suas inúmeras publicações, destacam-se: Interdisciplinaridade e formação docente (coletânea organizada com Carina Tonieto e Evandro Consaltér – CRV, 2018), Avaliação do Ensino Superior: perspectivas mundiais (coletânea internacional organizada com Gionara Tauchen – Volume I, CRV, 2017), Avaliação do Ensino Superior: perspectivas institucionais (coletânea internacional  organizada com Gionara Tauchen – Volume II, CRV, 2017),  Epistemologias da Docência Universitária (Coletânea organizada com Carina Tonieto – CRV, 2016), Espaço Europeu de Educação Superior (EEES) para além da Europa (coletânea internacional organizada com Maria de Lurdes Pinto de Almeida e Afrânio Mendes Catani – CRV, 2015), Políticas de Educação Superior e Docência Universitária: diálogos Sul-Sul (coletânea internacional organizada com Gionara Tauchen – CRV, 2016), Docência Universitária: pressupostos teóricos e perspectivas didáticas (Coletânea organizada com Carina Tonieto e Leandro Carlos Ody - Mercado de Letras, 2015), Leituras sobre Richard Rorty e a educação (coletânea organizada com Carina Tonieto – Mercado de Letras, 2013), Leituras sobre Hannah Arendt: educação, filosofia e política (coletânea organizada com Edison Alencar Casagranda – Mercado de Letras, 2012), Leituras sobre John Dewey e a educação (coletânea organizada com Carina Tonieto – Mercado de Letras, 2011) e Educar o Educador: reflexões sobre formação docente  (Livro de autoria com Carina Tonieto – Mercado de Letras, 2010). Contato: altairfavero@gmail.com

Junior Bufon Centenaro, Universidade de Passo Fundo

Mestrando em Educação (Bolsista CAPES) pelo Programa de Pós Graduação em Educação da Universidade de Passo Fundo (PPGEdu/UPF); Graduado em Filosofia (licenciatura) pela Universidade de Passo Fundo. Integrante do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Educação Superior (GEPES/UPF), ligado ao PPGEDU da Universidade de Passo Fundo e a Rede de Estudos sobre Educação Superior (REPES/Furg). E-mail: junior.centenaro@bol.com.br

Referências

ALMEIDA, Felipe Quintão; GOMES, Ivan Marcelo; BRACHT, Valter. Bauman & a Educação. Belo Horizonte: Autêntica. 2009.

BAUMAN, Zygmunt. Modernidade líquida. Tradução Plínio Dentzien. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

BAUMAN, Zygmunt. Vida líquida. Tradução Carlos Alberto Medeiros. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2007.

BAUMAN, Zygmunt. Sociedade individualizada: vidas contadas e histórias vividas. Tradução José Gradel. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2008.

BAUMAN, Zygmunt. Legisladores e Intérpretes: sobre modernidade, pós-modernidade e intelectuais. Tradução Renato Aguiar. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2010.

FLICKINGER, Hans-Georg. A dinâmica do conceito de formação (bildung) na atualidade. In: CENCI, Angelo Vitório; DALBOSCO, Claudio Almir; MÜHL, Eldon Henrique (Org.). Sobre filosofia e educação: racionalidade, diversidade e formação pedagógica. Passo Fundo: Editora Universidade de Passo Fundo, 2009.

NUSSBAUM, Martha Criven. Sem fins lucrativos: porque a democracia precisa das humanidades. Tradução Fernando Santos. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2015.

Publicado
28-02-2019
Como Citar
Favero, A. A., & Centenaro, J. B. (2019). A dialética entre a normatização e a interpretação:. Revista Educação Em Questão, 57(52). https://doi.org/10.21680/1981-1802.2019v57n52ID15883
Seção
Artigos