Quadrinhos, leitura e discurso da interdição em espaços oficiais de educação

Palavras-chave: Análise do discurso, Quadrinhos, Discurso da interdição, Educação

Resumo

Este artigo tem por objetivo analisar as estratégias linguístico-discursivas que legitimaram, em espaços oficiais de educação, a interdição dos quadrinhos como uma prática de leitura. Para tanto, foi selecionado um capítulo do livro “Literatura Infanto-Juvenil”, publicado no ano de 1969, para compor o corpus da pesquisa resultante deste artigo. Tal obra fez parte da “Coleção Didática do Brasil”, cujos objetivos eram difundir e, de algum modo, prescrever princípios e práticas relativos a diversos temas que envolvessem a educação. De posse desse corpus, orientamo-nos pelas contribuições advindas da análise do discurso de linha francesa, sobretudo tendo como exponentes os estudos de Michel Pêcheux (2009 e 2015) acerca de memória e discurso. Guia-nos, neste artigo, a seguinte questão de pesquisa: quais estratégias linguístico-discursivas articulam leitura, quadrinhos e sanção? Finalmente, encontramos as análises que demonstram as seguintes estratégias linguístico-discursivas, com vistas à interdição dos quadrinhos: memória, interdiscurso, argumentação por autoridade, discurso científico e discurso oficial.

Palavras-chave: Análise do discurso. Quadrinhos. Discurso da interdição. Educação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Felipe de Souza Costa, Universidade de São Paulo

Doutorando em Educação na Faculdade de Educação da USP (FE-USP). Mestre em Letras pela Universidade Federal de São Paulo (2016). Licenciado em Letras (UMC) e em Pedagogia (UNINOVE). Especialista em Estudos da Linguagem (UMC) e em Ética, Valores e Cidadania na Escola (USP). Professor de Língua Portuguesa na Rede Municipal de Ensino de São Paulo. Atualmente, trabalha com formação de professores de Língua Portuguesa, currículo e produção de materiais didáticos na Secretaria Municipal de Educação de São Paulo. Tem experiência com ensino de língua materna e estrangeiras (inglês e italiano), formação de professores e tutoria em EaD. Seus principais interesses são: análise do discurso, ensino e aprendizagem de línguas (materna e estrangeiras), currículo de Língua Portuguesa, produção e recepção de materiais didáticos, discurso jornalístico e ethos discursivo.

Referências

ALTHUSSER, Louis. Aparelhos ideológicos de Estado. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1985.

Antonio D’Ávila. Literatura infanto-juvenil. São Paulo: Editora do Brasil, 1969.

BRIGGS, Asa; BURKE, Peter. Uma história social da mídia: de Gutenberg à Internet. Rio de Janeiro: 2004.

FERREIRO, Emília. O ingresso na escrita e nas culturas do escrito: seleção de textos de pesquisa. São Paulo: Cortez, 2013.

FIORIN, José Luiz. Argumentação. São Paulo: Contexto, 2015.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: nascimento da prisão. Petrópolis: Vozes, 2014.

GIROUX, Henry. Escola crítica e política cultural. São Paulo: Cortez, 1988.

KRESS, Gunther; VAN LEEUWEN, Theo. Multimodal discourse: the modes and media of contemporary communication. Londres: Bloomsbury, 2001.

OLIVEIRA, Fernando Rodrigues. O Ensino da literatura infantil e os novos modelos de curso de formação de professores: a consolidação de um campo de ensino, estudos e pesquisas (1971-2003). São Paulo: Editora da UNESP, 2015.

OSAKABE, Haquira. Argumentação e discurso político. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

PÊCHEUX, Michel Semântica e discurso. Campinas: Editora da UNICAMP, 2009.

PÊCHEUX, Michel; ACHARD, Pierre; DAVALLON ,Jean; DURAND, Jean-Louis; Orlandi, Eni Puccinelli. Papel da memória. Campinas, SP: Pontes, 2015.

RAMA, Angela; VERGUEIRO, Waldomiro. Como usar as histórias em quadrinhos na sala de aula. São Paulo: Contexto, 2007.

RAMOS, Paulo. A leitura dos quadrinhos. São Paulo: Contexto, 2012.

WERTHAM, Frederic. Seduction of the innocent. Toronto: Rinehart, 1954.

Publicado
02-07-2019
Como Citar
Costa, F. de S. (2019). Quadrinhos, leitura e discurso da interdição em espaços oficiais de educação. Revista Educação Em Questão, 57(53). https://doi.org/10.21680/1981-1802.2019v57n53ID17033
Seção
Artigos