Juventude LGBTQI+ e a educação

do governo das crianças em Herbart às políticas inclusivas

Palavras-chave: Educação. Governo. Juventude LGBTQI . Políticas inclusivas.

Resumo

A ordem normativa da escola, a disciplina e o controle da juventude, caracterizam a Pedagogia conservadora de Herbart, que ainda se mantém presente nas salas de aula brasileiras. Assim, este estudo tem o objetivo de abordar a noção de educação desenvolvida por Herbart, especificamente no que diz respeito ao governo das crianças, e a compreensão da condição da juventude LGBTQI+ sob o enfoque das políticas inclusivas. Para tanto, percorre-se uma discussão conceitual, desenvolvendo um estudo explicativo conduzido à luz das reflexões teóricas que, pela abrangência de origem e de foco, representam uma amostra variada da produção relativa à temática aqui apresentada. Os resultados obtidos evidenciam que a normalização da sexualidade é traduzida por regras sociais que influenciam a sociedade e todos que dela fazem parte, inclusive a escola. Este estudo aponta as políticas inclusivas como um possível caminho a percorrer, pela escola, para lidar com as diferenças no campo do gênero e da sexualidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Dinamara Garcia Feldens , UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE

É formado em História (1996), mestre e doutor em educação pela Universidade do Vale dos Rio dos Sinos UNISINOS (1999 CAPES / Conceito 6). Durante o doutorado, estudou e pesquisou com a bolsa MTC / CNPq da Universidade de Sorbonné - Paris V, França, na área de Educação, Antropologia Corporal e Filosofia. Possui pós-doutorado na Universidade Complutense de Madrid UCM, com bolsa do CNPq, na área de Filosofia da Educação, estudando a filósofa Frances Gilles Deleuze. Coordena o Grupo de Pesquisa Educação, Cultura e Subjetividade (GPECS / UFS / CNPq). É pesquisadora e professora da Universidade Federal de Sergipe e do Programa de Pós-Graduação em Educação na linha de Pesquisa, Conhecimento, Cultura e Educação. Avaliador da CAPES na área de ensino do PAEP / DPB. Desenvolve projetos científicos e de extensão ligados à questão do poder nos tempos contemporâneos. Ele trabalha principalmente nos seguintes tópicos: filosofia da diferença, epistemologia do conhecimento, estudos de gênero, poder, corpo e cultura.

Marizete Lucini, UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE

Professora Associada I da Universidade Federal de Sergipe. Licenciada em História pela Universidade de Santa Cruz do Sul - UNISC (1993), Mestre em Educação pela Universidade do Vale dos Rio dos Sinos - UNISINOS (1999) e Doutora em Educação pela Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP (2007). Atua no Departamento de Educação com as disciplinas de Educação de Jovens e Adultos; Teoria do currículo, didática, ensino de história nos primeiros anos do ensino fundamental e TCC. É orientadora de mestrado e  doutorado no núcleo de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Sergipe e orientadora de mestrado  no Programa de Mestrado profissional no ensino de História da UFRJ / UFS. No campo da pesquisa, trabalha principalmente nas seguintes disciplinas: ensino de história; educação rural, pedagogia do movimento dos sem-terra, educação de jovens e adultos, identidade, memória, interculturalidade. É líder do Grupo de Pesquisa Educação, História e Interculturalidade e participa do Grupo de Pesquisa em Educação, Cultura e Subjetividades da UFS.

Referências

ABRAMOWICZ, Anete; RODRIGUES, Tatiane Cosentino; CRUZ, Ana Cristina Juvenal. A diferença e a diversidade na educação. Contemporânea, São Carlos, n. 2, p. 85-97, ago.- dez. 2011.
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE LÉSBICAS, GAYS, BISSEXUAIS, TRAVESTIS E TRANSEXUAIS. Pesquisa Nacional sobre o Ambiente Educacional no Brasil 2015: as experiências de adolescentes e jovens lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais em nossos ambientes educacionais. Curitiba: ABGLT, 2016.
BOURDIEU, Pierre. Questões de sociologia. Rio de Janeiro: Marcos Zeno, 1983.
BRASIL. Ministério da Educação. Diretrizes nacionais para a educação especial na educação básica. Brasília: Ministério da Educação, 2001.
BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal, 1988.
BUTLER, Judith. Problemas de gênero. Feminismo e subversão da identidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2010.
CAMARGO, Eder Pires. Inclusão social, educação inclusiva e educação especial: enlaces e desenlaces. Revista Ciências Educacionais, Bauru, v. 23, n. 1, p. 1-6, 2017.
CARVALHO, Maria Eulina Pessoa; ANDRADE, Fernando César Bezerra; MENEZES, Cristina Souza. Equidade de gênero e diversidade sexual na escola: por uma prática pedagógica inclusiva. João Pessoa: Universitária, 2009.
COMÊNIO, Jan Amos. Didactica magna. Canadá: KKIEN Publicação Internacional, 2013.
COUTO JÚNIOR, Dilton Ribeiro; OSWALD, Maria Luiza Magalhães Bastos; POCAHY, Fernando Altair. Gênero, sexualidade e juventude(s): problematizações sobre hetenormatividade e cotidiano escolar. Civitas, Porto Alegre, RS, v. 18, n. 1, p. 124-137, 2018,
DE BRITO, Juliano Matias. Homossexualidade na escola: em uma sociedade em que o modelo é ser cisne, todos somos patinhos feios? Campinas: Junqueira & Marin Editores, 2012.
DIAS, Alfrâncio Ferreira. Formação de professores para uma educação não discriminadora. Aracaju: Infographics, 2014.
FEITOSA, C.leyton; SANTOS, Emerson Silva. O que querem as juventudes LGBT? Uma análise das deliberações aprovadas em instâncias participativas. Veredas, Pernambuco, ano 13, v. 2, n. 10, p. 88-107, 2017.
FOUCAULT, Michel. História da sexualidade I. A vontade de saber. tradução de Maria Thereza da Costa Albuquerque e J. A. Guilhon Albuquerque. 13. ed. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1999.
HERBART, Johann Friedrich. Pedagogia geral: deduzida da finalidade da educação. Tradução de Ludwig Scheidl. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2010.
HILGENHERGER, Nobert. Johann Herbart. Coleção Educadores MEC. Recife, PE: Fundação Joaquim Nabuco, 2010.
LOURO, Guacira Lopes. Flor de açafrão. Takes cuts close-ups. Belo Horizonte: Autêntica, 2017.
LOURO, Guacira Lopes. Pedagogia da sexualidade. In: LOURO, Guacira Lopes (org.). O corpo educado – pedagogias da sexualidade. 3. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2013, p. 7-34.
LOURO, Guacira Lopes. Teoria queer – uma política pós-identitária para a educação. Estudos feministas, Florianópolis, ano 9, 2º semestre, p. 541-553, 2001.
MENDONÇA, Viviane Melo de Mendonça. O plano municipal de educação e a ideologia de gênero. Itinerarius Reflectionis, Campinas, v. 13, n. 2, p. 1-21, 2017.
MISKOLCI, Richard. A teoria queer e a questão das diferenças: por uma analítica da normalização. Sociologias, Porto Alegre, ano 11, n. 21, p. 150-182, jan./jun. 2009.
NONATA, Antônia Ferreira. Paradigmas do conhecimento: do moderno ao ecológico. Diálogo Educacional, Curitiba, v. 7, n. 22, p. 259-275, set./dez. 2007.
PRADO, Vagner Matias do; RIBEIRO, Arilda Inês Miranda. Homofobia e educação sexual na escola. Percepções de homossexuais no ensino médio. Retratos da Escola, Brasília, v. 9, n. 16, p. 137-152, jan./jun. 2015.
REIS, Tony., org. Manual de Comunicação LGBTI+. Curitiba: Aliança Nacional LGBTI / GayLatino, 2018.

RODRIGUES, David. Inclusão e educação: doze olhares sobre a educação inclusiva. São Paulo: Summus, 2018.
RODRÍGUEZ, Lídia Mercedes. Educação de jovens e adultos na América Latina: políticas de melhoria ou de transformação. Revista Brasileira de Educação, v. 14, n. 41, p. 326-334, 2009.
SIQUEIRA, Marcus Vinicius Soares; CARRIERI, Alexandre de Pádua; LIMA, Helena Karla Barbosa de; ANDRADE, Augusto José de Abreu. Homofobia e violência moral no trabalho no Distrito Federal. Revista O & S, Brasília, v. 16, n. 50, p. 447-461, 2009.
SOUZA, Alberto Carneiro Barbosa. Se ele é artilheiro, eu também quero sair do banco: um estudo sobre a coparentalidade homossexual. Rio de Janeiro: 2008. Disponível em: < https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/11727/
11727_1.PDF>. Acesso em 28 out., 2018.
SPENCER, Herbert. Educação - intelectual, moral e física. London: Watts & Co., 1929.
WHITTLE, Stephen. The transgender debate. The crisis surrounding gender identities. Reading: South Street Press, 2000.
Publicado
07-02-2020
Como Citar
Melo Cardoso, M. H., Garcia Feldens , D., & Lucini, M. (2020). Juventude LGBTQI+ e a educação. Revista Educação Em Questão, 58(55). https://doi.org/10.21680/1981-1802.2020v58n55ID18932
Seção
Artigos