Formação docente: professores medianos, ruins ou péssimos podem formar bem?

  • Antonio Wilson Pagotti Centro Universitário do Triângulo
  • Glaura Morais Paroneto Universidade de Uberaba
Palavras-chave: Formação docente. Educação superior. Ensino.

Resumo

O presente estudo, que procura verificar o que pensam os educadores em formação sobre quem os forma, foi desenvolvido com 14 alunos do curso de Pedagogia de uma universidade do Triângulo Mineiro. O instrumento de investigação foi um questionário com 28 questões, cujas respostas dos alunos, futuros professores, foram categorizadas em excelente, bom, mediano, ruim e péssimo. Os resultados indicam 67,3% dos alunos classificaram seus professores entre mediano, ruim e péssimo. No detalhamento das respostas podem ser verificadas as dificuldades dos docentes, tanto no campo dos conteúdos, das relações didático pedagógicas quanto nas dinâmicas sócio-psicológicas. Frente aos resultados pergunta-se: professores medianos, ruins ou péssimos podem formar bem?

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Antonio Wilson Pagotti, Centro Universitário do Triângulo

 

 

 

Glaura Morais Paroneto, Universidade de Uberaba

 

 

Publicado
15-12-2005
Como Citar
Pagotti, A. W., & Paroneto, G. M. (2005). Formação docente: professores medianos, ruins ou péssimos podem formar bem?. Revista Educação Em Questão, 24(10), 156-176. Recuperado de https://periodicos.ufrn.br/educacaoemquestao/article/view/8315
Seção
Artigos