Variação lexical para o item “prostituta” no Amapá

  • Romário Duarte Sanches Universidade Federal do Pará
  • Abdelhak Razky Universidade Federal do Pará
Palavras-chave: Dialetologia, Geolinguística, Pluridimensional, Variação Lexical

Resumo

Este artigo objetiva mostrar as variantes lexicais para o item
prostituta, encontradas nos dados do projeto Atlas Geossociolinguístico
do Amapá – ALAP. Como pressupostos teóricos e metodológicos,
adotamos a reflexões e contribuições de Thun (2000), Biderman (2001),
Aragão (2009), Cardoso (2010) e Razky (2013). A pesquisa segue o
método geolinguístico, comumente usado para cartografar os usos
linguísticos. Para pesquisa de campo, consideramos 10 municípios do
estado do Amapá, como pontos de inquéritos, onde foram selecionados
40 informantes, estratificados socialmente pelo sexo (homem e mulher)
e idade (1ª faixa etária e 2ª faixa etária). Foi aplicado o questionário
Semântico-Lexical, elaborado pelo Comitê do ALiB (Atlas Linguístico
do Brasil). Analisamos neste trabalho o item lexical prostituta, do campo
semântico Convívio e Comportamento Social. Os resultados apontam que, no
Amapá, foram encontradas 20 variantes lexicais usadas para se referir ao
item prostituta. Observamos também que a variação no aspecto social é
mais influente do que a variação geográfica; e que algumas das variantes
encontradas também podem ser observadas nos dados mapeados e
descritos para o projeto ALiB.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
12-09-2016
Como Citar
SANCHES, R. D.; RAZKY, A. Variação lexical para o item “prostituta” no Amapá. Revista do GELNE, v. 17, n. 1/2, p. 77-91, 12 set. 2016.
Seção
Artigos