Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da Universidade Federal do Rio Grande do Norte: uma reflexão acerca de seu papel como meio de preservação da memória

Autores

  • Monise Danielly Pessoa Vila
  • Mayane Paulino de Brito e Silva

DOI:

https://doi.org/10.21680/2447-0198.2017v1n2ID10857

Resumo

Analisa a importância da preservação da memória através da Biblioteca Digital de Teses e Dissertações (BDTD) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Tem como objetivo geral realizar algumas reflexões a partir de revisão de literatura sobre a BDTD, e como objetivo específico mostrar a importância da BDTD da UFRN para a preservação digital de trabalhos científicos (teses e dissertações). Aborda a importância da memória e da preservação desta em meio digital. Apresenta um breve histórico sobre a BDTD no Brasil e na UFRN. Relata os procedimentos de inserção de trabalhos no sistema eletrônico da BDTD. Utilizou-se como metodologia pesquisas de cunho bibliográfico e em meios eletrônicos, bem como experiências empíricas no contexto da BDTD. Conclui que a memória digital é de suma importância para resguardar todo o material necessário, evitando assim danos que possam por em risco a informação e a memória, tornando esta acessível a toda posteridade, e que a BDTD da UFRN é uma ferramenta essencial para preservação da memória científica da universidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARELLANO, Miguel Ángel Márdero. Critérios da preservação digital da Informação científica. 2008. 354 p. Tese (Doutorado em Ciência da Informação) – Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação, Universidade de Brasília, Brasília, 2008. Disponível em: <http://bdtd.bce.unb.br/tedesimplificado/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=4547>. Acesso em: 09 jun. 2013.

BAX, Marcelo Peixoto. Agentes de Interface para Bibliotecas Digitais: A Arquitetura SABiO. In: Seminário Sobre Automação em Bibliotecas e Centros de Documentação, 6., 1997, Águas de Lindóia. Anais... Águas de Lindóia: UNIVAP, 1997.

CONWAY, Paul. Preservação no Universo Digital. Rio de Janeiro: Projeto Conservação Preventiva em Bibliotecas e Arquivos, 1997.

CUNHA, Jacqueline de Araújo. Bibliotecas digitais de teses e dissertações: uma estratégia de preservação da memória. 2009. 141 p. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) – Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação, Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2009. Disponível em < http://bdtd.biblioteca.ufpb.br/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=987 >. Acesso em: 25 out. 2013.

INSTITUTO BRASILEIRO DE INFORMAÇÃO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA. O que é a BDTD. Disponível em: <http://bdtd.ibict.br/pt/a-bdtd.html?showall=1>. Acesso em 20 set. 2013a.

INSTITUTO BRASILEIRO DE INFORMAÇÃO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA. Biblioteca Digital de Teses e Dissertações (BDTD). Disponível em: <http://www.ibict.br/informacao-para-ciencia-tecnologia-e-inovacao%20/biblioteca-digital-Brasileira-de-teses-e-dissertacoes-bdtd/apresentacao>. Acesso em: 13 jun. 2013b.

FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Dicionário do Aurélio Online. Disponível em: <http://www.dicionariodoaurelio.com/Memoria.html>. Acesso em: 31 jul. 2013.

FERREIRA, Miguel. Introdução à preservação digital: conceitos, estratégias e actuais consensos. Guimarães, Portugal: Escola de Engenharia da Universidade do Minho, 2006. Disponível em: <http://eprints.rclis.org/8524/1/livro.pdf>. Acesso em: 29 jul. 2013.

INSTITUTO BRASILEIRO DE INFORMAÇÃO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA. Série históricas por instituições de defesa: resumo. Disponível em < http://bdtdj.ibict.br/indicadores/graficoRS.jsp?cod1=&cod2=&cod3= > Acesso em: 23 set. 2013c.

INSTITUTO BRASILEIRO DE INFORMAÇÃO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA. Boas práticas para a construção de repositórios institucionais da produção científica. Brasília: IBICT, 2012d.

LEINER, Barry M.. Metrics and digital libraries. D-Lib Magazine, jul./ago.1998

MARCONDES, Carlos H. et al. Bibliotecas digitais: saberes e práticas. Brasília: EDUFBA, 2005.

RUEDA, Valéria Matias da Silva; FREITAS, Aline de; VALLS, Valéria Martin. Registros evolutivos. Viver Mente & Cérebro: Memória, n.2, p. 78 - 89, jul. 2006. Ed. Especial.

SANTOS JÚNIOR, Ernani Rufino dos. Repositórios Institucionais de acesso livre no Brasil: estudo delfos. 2010. 177p. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) – Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação, Universidade de Brasília, Brasília, 2010. Disponível em <http://bd.camara.gov.br/bd/bitstream/handle/bdcamara/8988/repositorios_institucionais_santosjssant.pdf?sequence=1>. Acesso em: 25 out. 2013.

VIANA, Cassandra Lúcia de Maya; ARELLANO, Miguel Ângelo Márdero. Repositórios Institucionais baseados em DSpace e EPrints e sua viabilidade nas instituições acadêmico-científicas. Disponível em < <http://eprints.rclis.org/8834/1/Trabalho_SNBU_RI_DSpace_EPrints_IES.pdf >. Acesso em: 23 out. 2013.

Downloads

Publicado

05-04-2017

Como Citar

VILA, M. D. P.; SILVA, M. P. de B. e. Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da Universidade Federal do Rio Grande do Norte: uma reflexão acerca de seu papel como meio de preservação da memória. Revista Informação na Sociedade Contemporânea, [S. l.], v. 1, n. 2, p. 1–15, 2017. DOI: 10.21680/2447-0198.2017v1n2ID10857. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/informacao/article/view/10857. Acesso em: 20 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)