ESTUDO DA CONCENTRAÇÃO DE FLÚOR NAS ÁGUAS DE ABASTECIMENTO PÚBLICO RELACIONADA ÀS VARIAÇÕES PLUVIAIS

  • Luis Felipe Pupim dos Santos Faculdade de Odontologia de Araçatuba(F.O.A. Unesp)
  • Fernando Yamamoto Chiba UNESP - FOA
  • Suzely Adas Saliba Moimaz UNESP - FOA
  • Orlando Saliba UNESP - FOA
Palavras-chave: Saúde bucal, Flúor, Fluoretação

Resumo


Introdução: Quanto ao uso do flúor na odontologia, a fluoretação das águas de abastecimento público se constitui o método de maior abrangência, além de possuir um baixo custo e ser seguro, porém a análise periódica dos níveis do íon se faz necessária para que se obtenha o máximo benefício na prevenção de cárie e risco mínimo no desenvolvimento de fluorose dentária. Objetivo: analisar e comparar a concentração de flúor nas águas de abastecimento público nos períodos de chuva e seca, em fontes de captação onde o íon é natural, no intervalo de 5 anos. Metodologia: a coleta de água foi feita em pontos previamente estabelecidos de acordo com o número e localização das fontes de captação de água. As análises foram executadas com um analisador de íons acoplado a um eletrodo específico para flúor. A análise dos dados foi feita por estatística descritiva e utilizando-se o teste de Wilcoxon para a comparação entre os períodos de chuva e seca. Resultados: 81,03% das amostras dos poços profundos estavam acima dos teores de flúor recomendados, não estando então na classificação que ofereça o máximo benefício e risco mínimo. Os valores referentes à média, desvio padrão e valores máximos e mínimos foram semelhantes nos dois poços profundos onde o flúor contido é natural. Conclusão: Não houve diferenças estatisticamente significativas nos teores do íon flúor das águas provenientes de poços profundos na comparação dos períodos de chuva e seca.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernando Yamamoto Chiba, UNESP - FOA
Professor Substituto
Suzely Adas Saliba Moimaz, UNESP - FOA
Professora Titular
Orlando Saliba, UNESP - FOA
Professor Titular

Referências

  • Pinto VG. Saúde bucal coletiva. 5th ed. São Paulo: Santos; 2008.

  • Narvai PC. Cárie dentária e flúor: uma relação do séc. XX. Ciênc Saúde Coletiva. 2000;5(2):381-92.

  • Lima FG, Lund RG, Justino LM, Demarco FF, Del Pino FAB, Ferreira R. Vinte e quatro meses de heterocontrole da fluoretação das águas de abastecimento público de Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil. Cad Saúde Pública. 2004;20(2):422-9.

  • Newbrun E. Effectiveness of water fluoridation. J Public Health Dent. 1989;49(5):279-89.

  • Ripa LW. A half-century of community water fluoridation in the United States: review and commentary. J Public Health Dent. 1993;53(1):17-44.

  • Horowitz HS. The effectiveness of community water fluoridation in the United States. J Public Health Dent. 1996;56(5):253-8.

  • Cury JA, Tenuta LM, Ribeiro CC, Paes Leme AF. The importance of fluoride dentifrices to the current dental caries prevalence in Brazil. Braz Dent J. 2004;15(3):167-74.

  • Silva JS, Val CM, Costa JN, Moura MS, Silva TA, Sampaio FC. Heterocontrole da fluoretação das águas em três cidades no Piauí, Brasil Cad Saúde Pública. 2007;23(5):1083-8.

  • Centers for Disease Control and Prevention (CDC). Achievements in Public Health, 1900-1999. Fluoridation of drinking water to prevent dental caries. MMWR Surveill Summ. 1999;48(41):933-40.

  • Galagan DJ, Vermillion JR. Determining optimum fluoride concentrations. Public Health Rep. 1957;72(6):491-3.

  • Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública. Centro Colaborador do Ministério da Saúde em Vigilância da Saúde Bucal. Consenso técnico sobre classificação de águas de abastecimento público segundo o teor de flúor. São Paulo: Universidade de São Paulo; 2011.

  • Moimaz SAS, Santos LFP. Estudo longitudinal da fluoretação das águas em municípios com complexa rede de distribuição: dez anos de estudo. Arch Health Invest. 2015;4(5):11-6.

  • Zimmer S, Jahn KR, Barthel CR. Recommendations for the use of fluoride in caries prevention. Oral Health Prev Dent. 2003;1(1):45-51.

  • Maia LC, Valença AMG, Soares EL, Cury JA. Controle operacional da fluoretação da água de Niterói, Rio de Janeiro, Brasil. Cad Saúde Pública. 2003;19(1):61-7.

  • Moimaz SAS, Araújo PC, Chiba FY, Garbin CAS, Sumida DH, Saliba NA. Influência das variações pluviais nos teores de flúor em águas de poços. Rev Bras Pesqui Saúde. 2012;14(1):36-41.

  • Apambire WB, Boyle DR, Michel FA. Geochemistry, genesis and health implications of floriferous ground waters in the upper regions of Ghana. Environ Geol. 1997;33(1):13–24.

  • Amaral RC, Wada RS, Sousa MLR. Fluoride concentration in public water supply related to temperature in Piracicaba - SP. RFO. 2007;12(3):24-8.

  • Podgorny PC, McLaren L. Public perceptions and scientific evidence for perceived harms/risks of community water fluoridation: An examination of online comments pertaining to fluoridation cessation in Calgary in 2011. Can J Public Health. 2015;106(6):e413–25.

  • Spencer AJ, Do LG. Caution needed in altering the 'optimum' fluoride concentration in drinking water. Community Dent Oral Epidemiol. 2015;44(2):101-8.

  • Narvai PC, Frazão P, Castellanos RA. Declínio da experiência de cárie em dentes permanentes de escolares brasileiros no final do século XX. Rev Odontol Soc. 1999;1(1/2):25-9.

  • Bueno RE, Moyses ST, Bueno PAR, Moyses SJ. Determinantes sociais e saúde bucal de adultos nas capitais do Brasil. Rev Panam Salud Publica. 2014;36(1):17-23.

  • Spittle B. Green light for water fluoridation in New Zealand. Fluoride. 2015;48(4):271-3.

Publicado
27-12-2016
Como Citar
PUPIM DOS SANTOS, L. F.; CHIBA, F. Y.; MOIMAZ, S. A. S.; SALIBA, O. ESTUDO DA CONCENTRAÇÃO DE FLÚOR NAS ÁGUAS DE ABASTECIMENTO PÚBLICO RELACIONADA ÀS VARIAÇÕES PLUVIAIS. Revista Ciência Plural, v. 2, n. 2, p. 3-13, 27 dez. 2016.
Seção
Artigos