O USO DITADO CONTEXTUALIZADO COMO FERRAMENTA PEDAGÓGICA PARA ALFABETIZAÇÃO DOS ALUNOS COM DISLEXIA

Autores

  • SIDIRNEIDE SIMÕES MARTINS CARDOSO UNEB
  • Luciano Sérgio Ventin Bomfim

DOI:

https://doi.org/10.21680/1984-3879.2021v21n1ID30527

Palavras-chave:

educação, Educação básica, Aprendizagem. Disortografia. Factores. Dificuldade., Transtornos de Aprendizagem

Resumo

O trabalho ora apresentado versa sobre processo de alfabetização de alunos disléxicos ou com dificuldades específicas na aquisição da leitura e escrita, e a proposta aqui apresentada diz respeito a criar uma alternativa de ensino que estimule o aluno a realizar leitura de livros paradidáticos, e  utilize este gênero textual ( contos), como um instrumento facilitador com uso do ditado contextualizado, que motive a  consciência fonética  na elaboração das hipóteses de escrita dos alunos com base na leitura realizada. Neste sentido, o objetivo geral centra-se em analisar o ditado contextualizado como uma estratégia de ensino aprendizagem, e sua importância no processo da aquisição da leitura e escrita dos alunos que apresentem dificuldades e limitações específicas de assimilação. Os objetivos específicos estão focados em : Identificar estratégias diferenciadas com uso do ditado contextualizado para alfabetização dos alunos; compreender o uso do ditado contextualizado como um instrumento pedagógico facilitador na elaboração das hipóteses de escrita dos alunos por meio da consciência fonética. A metodologia utilizada foi a pesquisa bibliográfica qualitativa, com buscas em plataformas dos Periódicos da Capes e  Scielo, visando a busca de teóricos que falam sobre as temática e o processos de alfabetização de alunos com dificuldades específicas na aquisição da leitura e escrita.O resultado esperado colaborar para o processo alfabetização, e aquisição da leitura e escrita dos alunos, e apresentar uma alternativa de trabalho para auxiliar professores no atendimento ao alunos com dificuldades específicas por meio do ditado contextualizado, na educação básica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BARRERA, S. D.; MEDEIROS, A. P. Inclusão escolar: concepções de professores e práticas educativas. v. 24 n. 1, Psicologia em Revista, 2018.

BEDIN, E.; FINGER, I. A contextualização e seus impactos nos processos de ensino e aprendizagem da ciência química. Revista Brasileira de Ensino de Ciências e Matemática, v. 2, n. 1, p. 8-24, 16 ago. 2019.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, LDB. 9394/1996. BRASIL.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal: Centro Gráfico, 1988.

BRAUN, P.; MARIN, M.; Currículo e diferenciação pedagógica - uma prática de exclusão?. Revista Exitus, [S. l.], v. 10, n. 1, p. e020010, 2020. Disponível em: http://ufopa.edu.br/portaldeperiodicos/index.php/revistaexitus/article/view/1154. Acesso em: 6 jun. 2022.

BOMFIM, L. C. .; DOUNIS, A. B.; PORANGABA, M. I. M. .; SILVA, J. J. B. da. Processos de inclusão e exclusão da pessoa com deficiência visual no mercado de trabalho. Diversitas Journal, [S. l.], v. 6, n. 3, p. 3321–3336, 2021. Disponível em: https://diversitasjournal.com.br/diversitas_journal/article/view/1376. Acesso em: 5 jun. 2022.

BUENO,Rovilson José; Silva, Adelaide Pereira. Educação para convivência com o Semiárido Brasileiro. In: Edneide Jesine, Maria do Socorro Xavier Batista, Orlandil de Lima Moreira ( orgs). Educação popular e movimentos sociais. João Pessoa- PB: Editora da UFPB, 2008.

CALDERON, A. I.; MARTINS, E. C. C. Eficácia escolar: boas práticas à luz de estudos do governo brasileiro e das agências multilaterais. Revista Diálogo Educacional, [S. l.], v. 19, n. 62, 2019. DOI: 10.7213/1981-416X.19.062.AO05. Disponível em: https://periodicos.pucpr.br/dialogoeducacional/article/view/25275. Acesso em: 6 jun. 2022.

CAMINI, P. O caso do ditado das quatro palavras e uma frase na alfabetização. Revista Contemporânea de Educação. Rio de Janeiro: UFRJ. Vol. 13, n. 28, 2018.

CARDOZO, P. F.; SILVA, V. A. da. Os desafios das práticas curriculares em contextos diversificados: o caso dos refugiados sírios nas escolas brasileiras. Revista Exitus, [S. l.], v. 10, n. 1, p. e020015, 2020. Disponível em: http://ufopa.edu.br/portaldeperiodicos/index.php/revistaexitus/article/view/1137. Acesso em: 6 jun. 2022.

CARVALHO, O. da C. A. de.; LOPES, E. da S. Dislexia: uma revisão sistemática. Conjecturas, [S. l.], v. 22, n. 2, p. 1534–1555, 2022. DOI: 10.53660/CONJ-840-F18. Disponível em: http://conjecturas.org/index.php/edicoes/article/view/840. Acesso em: 7 jun. 2022.

CHIARAMONTE, T. C.; CAPELLINI, S. A. Desempenho ortográfico de escolares com dislexia e dificuldades de aprendizagem. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 17, n. 1, p. 0314–0327, 2022. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/14610. Acesso em: 6 jun. 2022.

______.Curriculo, contextualização e complexidade: elementos para pensar a escola no Semiárido. Cadernos multidissiplinar: Educação e contexto do Semiárido Brasileiro Juazeiro: Selo Editorial RESAB, 2007, Ano 2, nº 04, p.12 dez.2007

DE AQUINO, C. Como aprender: andragogia e as habilidades de aprendizagem. 1ª Ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2007.

ELLIS, Andrew. Leitura, escrita e dislexia: uma análise cognitiva. Porto alegre: Artmed, 2001.

FREIRE, P. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática pedagógica. São Paulo: Paz e Terra, (Coleção Leitura), 1996.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática pedagógica. São Paulo: Paz e Terra, (Coleção Leitura), 2005.

______Política e educação: ensaios. São paulo: Cortez, 1993.

GODOY, Dalva Maria Alves. Testes de consciência fonológica e suas relações com a aprendizagem da leitura no português. Dissertação (Mestrado em Linguística). Universidade Federal de Santa Catarina, 2001.

GOMIDE, D. C.; JACOMELI, M. R. M. O método de Marx na pesquisa sobre políticas educacionais. Políticas Educativas – PolEd, [S. l.], v. 10, n. 1, 2016. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/Poled/article/view/69759. Acesso em: 5 jun. 2022.

LIMA, M. M.; OLIVEIRA, A. M.; FREITAS, A. de A.; LIMA, C. S.; BERNARDES, C. T. V.; SUGITA, D. M.; MOURA, L. R.; MOREIRA, S. M.; FERNANDES, L. C.; ARRUDA, J. T. Estratégias Avaliativas no Ensino Remoto: Avaliação Terminal ou Contínua? Um Relato De Experiência. Anais do Seminário de Atualização de Práticas Docentes, [S. l.], v. 2, n. 2, 2022. Disponível em: http://anais.unievangelica.edu.br/index.php/praticasdocentes/article/view/5758. Acesso em: 7 jun. 2022.

LUMERTZ F. D. S. Intervenções escolares para alunos com dislexia: revisão integrativa. Revista Eletrônica Acervo Saúde, n. 45, p. e2374, 9 abr. 2020.

MAIA, J. E. N.; SANTOS, J. M. C. T.; OLIVEIRA, E. N. P. de. O tempo integral na política estadual de Educação do Ceará. Práticas Educativas, Memórias e Oralidades - Rev. Pemo, [S. l.], v. 1, n. 3, p. 1–12, 2019. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/revpemo/article/view/3555. Acesso em: 23 mar. 2022.

MARTINS, Josemar da Silva. Anotações em torno do Conceito de Educação para convivência com o Semiárido. In: RESAB. Educação para a convivência com o Semiárido brasileiro: reflexões teóricas- práticas. Juazeiro-Ba: Selo editorial RESAB, 2006.

MORAIS, Artur Gomes. Sistema de Escrita Alfabética. São Paulo: Melhoramentos, 2012.

MORIN, Edgar. Os sete saberes necessários à educação do futuro. São Paulo: Cortez, 2000.

MOTA, C. M. DE A.; SILVA, F. O. DA. TRIGONOMETRIZANDO NA ROÇA: implicações de uma educação matemática contextualizada. Revista Baiana de Educação Matemática, v. 2, n. 01, p. e202116, 10 set. 2021.

REIS, Edmerson dos Santos. A contextualização dos conhecimentos e saberes escolares nos processos de reorientação curricular nas escolas do campo. Tese de Doutorado em Educação.Universidade Federal da Bahia – UFBA, Salvador, 2009.

SANTOS, Milton. Território e sociedade.São Paulo: Fundação Perseu Abramo,2000.

SILVA, José de Souza. Emergência da ciências moderna e gênese da educação descontextualizada: desconstrução cultural e descolonização epistemológica do paradigma clássico de inovação no campo do desenvolvimento. Campina Grande, PB, abril de 2010 ( mimeo).

SOARES, Magda. Alfabetização e letramento. 6. ed. São Paulo: Contexto, 2011.

ZORZI, J. L. e CAPELLINI, S. A. (Org). Dislexia e outros distúrbios de leitura-escrita: letras desafiando a aprendizagem. – 2ª ed. São José dos Campos: Pulso, 2009.

Downloads

Publicado

28-01-2023

Como Citar

MARTINS CARDOSO, S. S.; VENTIN BOMFIM, L. S. . O USO DITADO CONTEXTUALIZADO COMO FERRAMENTA PEDAGÓGICA PARA ALFABETIZAÇÃO DOS ALUNOS COM DISLEXIA . Saberes: Revista interdisciplinar de Filosofia e Educação, [S. l.], v. 21, n. 1, p. 145–168, 2023. DOI: 10.21680/1984-3879.2021v21n1ID30527. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/saberes/article/view/30527. Acesso em: 29 maio. 2024.

Edição

Seção

Dossiê: Inclusão e diversidade no ensino superior