Jornada de trabalho e docência

uma análise da hora-atividade na rede estadual do Piauí

Palavras-chave: Jornada de trabalho. Ensino médio. Docência. Hora-atividade.

Resumo

Este estudo tem como objetivo analisar os desdobramentos da instituição da hora-atividade no trabalho do professor do ensino médio da rede estadual do Piauí, dentro do contexto das políticas educacionais implementadas no Brasil nas duas últimas décadas. Para isso, realizou-se uma revisão de literatura, com auxílio de uma pesquisa documental, sobre a jornada de trabalho dos professores da educação básica no país e as políticas educacionais que regulamentam a hora-atividade. Em seguida, analisam-se os dados de entrevistas semiestruturadas realizadas com: dois gerentes das Gerências Regionais de Educação da Secretaria de Estado da Educação do Piauí, 20 professores de ensino médio e um integrante do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Básica Pública do Piauí. Os resultados mostram que o avanço no cumprimento da hora-atividade se confronta com as condições de trabalho ainda inadequadas nas escolas, com a ingerência na organização pedagógica do tempo de trabalho do professor e com os baixos salários.

Palavras-chaves: Jornada de trabalho. Ensino médio. Docência. Hora-atividade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adriana e Silva Sousa, Universidade Estadual do Piauí (UESPI)

Possui graduação em Licenciatura Plena em Pedagogia pela Universidade Estadual do Ceará (2005), mestrado em Educação Brasileira pela Universidade Federal do Ceará (2008) e doutorado em Educação na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (2018). Pesquisa na área de política educacional com ênfase no ensino médio e no trabalho docente. Possui experiência como professora da educação básica. Atuou na formação de professores da educação básica através do Programa Nacional de Inclusão de Jovens (ProJovem Urbano) e do Plano Nacional de Formação de Professores da Educação Básica (PARFOR). Trabalha como docente do ensino superior, desde 2008. Atualmente, é professora adjunta da Universidade Estadual do Piauí (UESPI) e coordenadora do Curso de Pedagogia do Campus Prof. Antônio Giovanne Alves de Sousa, em Piripiri-PI, onde também coordena o Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID) no mesmo curso.

Dante Henrique Moura, Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN)

Dante Henrique Moura é Técnico em Eletrotécnica pela Escola Técnica Federal do Rio Grande do Norte (1979), possui graduação em Engenharia Elétrica pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (1986) e doutorado em Educação pela Universidade Complutense de Madri (2003). É professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN) desde 1986, onde leciona disciplinas do núcleo Formação Pedagógica nas licenciaturas oferecidas pela Instituição. De 2010 a 2012 coordenou o processo de elaboração da proposta de criação do Programa de Pós-Graduação em Educação Profissional do IFRN - mestrado acadêmico ? (PPGEP), o qual foi aprovado pela CAPES em 2012. Coordenou esse Programa de 2013 a agosto de 2017. Tem experiência na área de administração educacional, sendo que no IFRN já exerceu, dentre outras funções, a de Diretor de Recursos Humanos (1991-1995), a de Vice-Diretor Geral (1996-1998) e a de Diretor de Ensino (2004-2005). Coordenou a elaboração de vários projetos institucionais, dentre eles o Redimensionamento do Projeto Político-Pedagógico da Instituição (2004-2006). Participou (2005 a 2007) dos Grupos de Trabalho que elaboraram, no âmbito do MEC, os Documentos Base do Programa Nacional de Integração da Educação Profissional com a Educação Básica na Modalidade de Educação de Jovens e Adultos ? PROEJA (Ensino Fundamental e Ensino Médio) e do Ensino médio integrado aos cursos técnicos de nível médio. A partir de 2010 passou a integrar o corpo docente do PPGEd/UFRN como professor Colaborador, onde é orientador de mestrado e de doutorado. É pesquisador em educação, atuando principalmente em Políticas Educacionais e Trabalho e Educação, com ênfase no campo da educação profissional e em sua integração com a educação básica e com a educação de jovens e adultos. É um dos fundadores do Núcleo de Pesquisa em Educação (NUPED) do IFRN, sendo atualmente seu coordenador. Coordenou o FORPRED Nordeste de outubro de 2015 a agosto de 2017. Integrou o Comitê Científico da ANPEd, representando o GT09 (Trabalho e Educação), de outubro de 2015 a outubro de 2017. A partir de outubro de 2017 assumiu a coordenação do GT09 da ANPEd.

Referências

ARAÚJO FILHO, Heleno Manoel Gomes. [Entrevista cedida a] Adriana e Silva Sousa, maio 2017.
BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União: seção1, Brasília, DF, p. 27833, 23 dez. 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9394.htm. Acesso em: 23 fev. 2016.
BRASIL. Câmara da Educação Básica. Conselho Nacional de Educação. Resolução n. 3, de 8 de outubro de 1997. Fixa diretrizes para os novos planos de carreira e de remuneração para o magistério dos estados, do distrito federal e dos municípios. Diário Oficial da União, seção 1, Brasília, DF, p. 22987, 13 out. 1997. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/CEB0397.pdf. Acesso em: 15 maio 2017.
BRASIL. Lei nº 10.172, de 9 de janeiro de 2001. Aprova o Plano Nacional de Educação e dá outras providências. Diário Oficial da União, seção 1, Brasília, DF, p. 1, 10 jan. 2001. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/leis_2001/l10172.htm. Acesso em: 23 fev. 2015.
BRASIL. Lei nº 11.738, de 16 de julho de 2008. Institui o Piso Salarial Profissional Nacional para os profissionais do magistério público da educação básica. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 17 jul. 2008. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2008/lei/l11738.htm. Acesso em: 23 fev. 2016.
BRASIL. Lei nº 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 26 jun. 2014a. Edição extra. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2014/lei/l13005.htm. Acesso em: 6 jan. 2016.
BRASIL. Ministério da Educação. CONAE 2014: documento final. Brasília: FNE, 2014b. Disponível em: http://fne.mec.gov.br/images/doc/DocumentoFina240415.pdf. Acesso em: 9 set. 2016.
INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA (Brasil). Panorama da educação: destaques do Education at a Glance 2016. Brasília: INEP, 2016. Disponível: http://download.inep.gov.br/acoes_internacionais/eag/documentos/2016/destaques_do_panorama_da_educacao_2016_eag.pdf. Acesso em: 27 jun. 2017.
CONFEDERAÇÃO NACIONAL DOS TRABALHADORES EM EDUCAÇÃO. Piso e carreira andam juntos para valorizar os profissionais da educação básica pública. Brasília, 2015. Disponível em: http://www.cnte.org.br/images/stories/2015/cartilha_piso_e_carreira_final_web.pdf. Acesso em: 9 mar. 2017.
FERNANDES, Danielle Cireno; SILVA, Carlos Alexandre. Perfil do docente da educação básica no Brasil: uma análise a partir dos dados do PNAD. In: OLIVEIRA, Dalila Andrade; VIEIRA, Lívia Fraga (org.). Trabalho na educação básica: a condição docente em sete estados brasileiros. Belo Horizonte: Fino Traço, 2012. p. 43-62.
GERENTE 1. Entrevista. Teresina (Piauí), 07 dezembro 2016.
GERENTE 2. Entrevista. Teresina (Piauí), 07 dezembro 2016.
PESQUISA trabalho docente na educação básica no Brasil: sinopse do survey nacional. Belo Horizonte: Grupo de Estudo sobre Política Educacional e Trabalho Docente, 2010. Disponível em: https://www.gestrado.net.br/images/pesquisas/5/SinopseSurveyNacional_TDEBB_Gestrado.pdf. Acesso em: 16 abr. 2012.
HYPOLITO, Álvaro Luiz M. Novas configurações do trabalho docente. In: CABRAL NETO, Antônio; OLIVEIRA, Dalila Andrade; VIEIRA, Lívia Fraga (org.). Trabalho docente: desafios no cotidiano da educação básica. Campinas: Mercado das Letras, 2013. p. 253-269.
LEAL, Álida Angélica Alves. Hora atividade. In: OLIVEIRA, D. A.; DUARTE, A. M. C.; VIEIRA, L. M. F. Dicionário: trabalho, profissão e condição docente. Belo Horizonte: UFMG, 2010. Disponível em: http://www.gestrado.net.br/?pg=dicionario-verbetes&id=41. Acesso em: 9 maio 2017.
LIBÂNEO, José Carlos. Didática. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2013.
MACÊDO, Valcinete Pepino; CABRAL NETO, Antônio. Condições de trabalho docente: ângulos da situação em escolas da rede municipal de Natal. In: CABRAL NETO, Antônio; OLIVEIRA, Dalila Andrade; VIEIRA, Lívia Fraga (org.). Trabalho docente: desafios no cotidiano da educação básica. Campinas: Mercado das Letras, 2013. p. 97-116.
MARX, Karl. O capital: crítica da economia política: livro I. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2006.
OLIVEIRA, Dalila Andrade. A reestruturação do trabalho docente: precarização e flexibilização. Educação e Sociedade, v. 25, n. 89, p. 1127-1144, set./dez. 2004. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/es/v25n89/22614. Acesso em: 20 set. 2015.
OLIVEIRA, Dalila Andrade; VIEIRA, Lívia Fraga. (orgs.). Trabalho na educação básica: a condição docente em sete estados brasileiros. Belo Horizonte – MG: Fino Traço, 2012.
PIAUÍ. Lei Complementar nº 71, de 26 de julho de 2006. Dispõe sobre o Estatuto e o Plano de Cargos, Carreira e Vencimento dos Trabalhadores em Educação Básica do Estado do Piauí e dá outras providências. Diário Oficial do Estado do Piauí, Teresina, 27 jul. 2006. Disponível em: http://www.diariooficial.pi.gov.br/diario.php?dia=20060727. Acesso em: 25 mar. 2017.
PINTO, José Marcelino. Remuneração adequada dos professores: desafios à educação brasileira. Revista Retratos na Escola, v. 3, n. 4, p. 51-67, jan./jun. 2009. Disponível em: http://www.esforce.org.br/index.php/semestral/article/viewFile/101/290. Acesso em: 11 nov. 2016.
PROFESSOR 6. Entrevista. Teresina (Piauí), 15 fevereiro 2017.
PROFESSOR 7. Entrevista. Teresina (Piauí), 15 fevereiro 2017.
PROFESSOR 8. Entrevista. Teresina (Piauí), 10 abril 2017.
SAVIANI, Dermeval. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. São Paulo: Cortez, 1991.
SAVIANI, Dermeval. A nova lei da educação: trajetória, limites e perspectivas. 2. ed. Campinas: Autores Associados, 1997.
SAVIANI, Dermeval. História das ideias pedagógicas no Brasil. Campinas: Autores Associados, 2007.
SINDICALISTA 1. Entrevista. Teresina (Piauí), 06 dezembro 2016.
VANELLI, Marta. [Entrevista cedida a] Adriana e Silva Sousa, abr. 2017.
VIEIRA, Juçara Dutra. Identidade expropriada: retrato do educador brasileiro. Brasília: CNTE, 2003.
Publicado
07-02-2020
Como Citar
e Silva Sousa, A., & Henrique Moura, D. (2020). Jornada de trabalho e docência. Revista Educação Em Questão, 58(55). https://doi.org/10.21680/1981-1802.2020v58n55ID19125
Seção
Artigos