Políticas educacionais na América Latina

uma reflexão sobre as suas diretrizes

Palavras-chave: Democracia. América Latina. Desigualdade. Politicos educacionais.

Resumo

Este artigo reflete sobre as definições das políticas educacionais no contexto da América Latina e suas imbricações nos processos de superação de projetos de poder no continente. Quanto aos procedimentos metodológicos, foram utilizadas a revisão bibliográfica sobre o tema e análise documental. Os principais resultados deste trabalho são decorrentes da proposição de que as políticas educacionais na América Latina estão imbricadas aos ideais de Estado, do grupo político investido do poder que comumente encontra-se em favor das forças para as quais operam. Estabelecer uma condensação de forças a partir do seio do Estado, sem políticas de conciliação de classes, é um desafio para sínteses em uma integrada América Latina, sob o foco de consolidação contínua da democracia e de projetos de desenvolvimento humano, políticos, culturais e econômicos

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BALL, Stephen John; MAINARDES, Jeferson. Políticas educacionais: questões e dilemas. São Paulo: Cortez, 2011.

BEHRING, Elaine Rossetti. Rotação do capital e crise: fundamentos para compreender o fundo público e a política social. In: GRANEMANN, Sara; SALVADOR, Evilásio; BOSCHETTI, Ivanete. (Org.). Financeirização, Fundo público e política social. São Paulo: Cortez, 2012.

BORON, Atílio. Estado, capitalismo y democracia en America Latina. Coleccion Secretaria Ejecutiva, Clacso, Consejo Latinoamericano de Ciencias Sociales, Ciudad de Buenos Aires, Argentina. Agosto 2003.

BRAYNER, André Vitorino Alencar. Direito à Integração democrática na América do Sul: Considerações Políticas e Jurídicas sobre a Unasul. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2018.

CABRAL NETO, Antônio; CASTRO, Alda Maria Duarte Araújo. Gestão escolar em instituições de ensino médio: entre a gestão democrática e a gerencial. Educação & Sociedade, Campinas, v. 32, n. 116, p. 745-770, Set. 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/es/v32n116/ a08v32n116.pdf. Acesso em: 06 jul. 2019.

CABRAL NETO, Antônio. Mudanças contextuais e as novas regulações: repercussões no campo da política educacional. Revista Educação em Questão, v. 42, p. 7-40, 2012.

CABRAL NETO, Antônio. Gerencialismo e gestão educacional: cenários, princípios e estratégias. In: FRANÇA, Magna; BEZERRA, Maria Costa. (Org.). Política educacional: gestão e qualidade do ensino. Brasília: Liber livro, 2009. p. 169-204.

CASTELLS, Manuel. O poder da identidade. Paz e Terra: São Paulo, 2000.

COMISIÓN ECONÓMICA PARA AMÉRICA LATINA Y EL CARIBE (CEPAL). Panorama social de América Latina. ONU: Seção Santiago - Chile, 2019. Disponível em: https://repositorio.cepal.org/bitstream/handle/11362/44969/5/S1901133_es.pdf. Acesso em: 22 dez 2019.

COMISIÓN ECONÓMICA PARA AMÉRICA LATINA Y EL CARIBE (CEPAL). Panorama social de América Latina. ONU: Seção Santiago - Chile, 2018. Disponível em: https://repositorio.cepal.org/bitstream/handle/11362/44412/1/S1801085_pt.pdf. Acesso em: 22 dez. 2019.

DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS. Assembleia Geral das Nações Unidas em Paris. 10 dez. 1948. Disponível em: https://nacoesunidas.org/wp-content/uploads/ 2018/10/DUDH.pdf. Acesso em: 26 jun. 2019.

DESTREMAU, Blandine; SALAMA, Pierre. O tamanho da pobreza: economia política da distribuição de renda. Rio de Janeiro: Garamond, 1999.

GARDI, Ciro; ANGELINI, Marco Esteban; BARCELÓ, Sara, et al. Atlas de solos de América Latina e do Caribe, Comissão Europeia – Serviço das Publicações da União Europeia, L-2995. Luxembourg, 2015.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

FREITAS, Luiz Carlos de. Apresentação: Políticas públicas de responsabilização na educação. Educação & Sociedade, Campinas, v. 33, n. 119, p. 345-351, abr.-jun. 2012. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ep/v41nspe/1517-9702-ep-41-spe-1275.pdf. Acesso em: 3 ago. 2018.

GALEANO, Eduardo. As veias abertas da América Latina. Trad. de Galeano de Freitas, Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1994. (estudos latino-americano, v. 12).

GOZZI, Gustavo. Estado contemporâneo. In: BOBBIO, Norberto; MATTEUCCI, Nicola; PASQUINO, Gianfranco. (Coord.). Dicionário de Política. 5. ed. Brasília: Universidade de Brasília, 2013.

IANNI, Octavio. A questão nacional na América Latina. Estudos em avaliação, São Paulo, v. 2, n. 1, p. 5-40, mar. 1988. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ea/v2n1/v2n1a03.pdf. Acesso em: 17 jun. 2019.

LAUGLO, Jon. Crítica às prioridades e estratégias do Banco Mundial para a educação. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 100, p. 11-36, mar. 1997. Disponível em: http://publicacoes.fcc.org.br/ojs/index.php/cp/article/view/765. Acesso em: 17 jun. 2017.

MAINARDES, J. A abordagem do ciclo de políticas: explorando alguns desafios da sua utilização no campo da Política Educacional. Jornal de Políticas Educacionais. v. 12, n. 16. Agosto de 2019.

MARX, Karl. Crítica da Filosofia do Direito de Hegel. São Paulo: Boitempo, 2005.

MARX, Karl. O Capital: crítica da economia política. Trad. Rubens Enderle. São Paulo: Boitempo, 2013.

OLIVEIRA, Dalila Andrade. Política educacional - Verbete. In: OLIVEIRA, Dalila Andrade; DUARTE, Adriana Maria Cancela; VIEIRA, Lívia Maria Fraga. Dicionário: trabalho, profissão e condição docente. Belo Horizonte: UFMG/Faculdade de Educação, 2010. Disponível em: https://www.gestrado.net.br/pdf/420.pdf. Acesso em: 19 jun 2019.

OXFAM Internacional. Relatório “Tempo de Cuidar”: o trabalho de cuidado não remunerado e mal pago e a crise global da desigualdade. vol. único. Jan 20. Brasília-DF, 2020. Disponível em: https://rdstation-static.s3.amazonaws.com/cms/files/115321/ 1579272776200120_Tempo_de_Cuidar_PT-BR_sumario_executivo.pdf. Acesso em: 04 jan. 2020.

POULANTZAS, Nicos. O Estado, o poder, o socialismo. Trad. Rita Lima. 5. ed. São Paulo: Graal, 2000.

SOUZA FILHO, Rodrigo de. Fundo público e políticas sociais no capitalismo: considerações teóricas. Serviço Social & Sociedade [online]. 2016a, n. 126 [cited 2020-04-28], p. 318-339. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/sssoc/n126/0101-6628-sssoc-126-0318.pdf. Acesso em: 03 dez. 2019.

SOUZA FILHO, Rodrigo de. Fundo público e políticas sociais nos Estados dependentes: considerações teóricas. Em Pauta, Rio de Janeiro. 1º Semestre de 2016b. n. 37, v. 14, p. 174-198. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/revistaempauta/ article/view/25401/1836. Acesso em: 03 dez. 2019.

VAN ZANTEN, Agnès. Politiques éducatives. In: VAN ZANTEN, Agnès. (Dir.). Dictionnaire de l’éducation. Paris: Quadrige/PUF, 2008.

WOLKMER, Antonio Carlos; FAGUNDES, Lucas Machado. Tendências contemporâneas do constitucionalismo latino-americano: Estado plurinacional e pluralismo jurídico. Pensar, Fortaleza, v. 16, n. 2, p. 371-408, jul/dez 2011. Disponível em: https://periodicos.unifor.br/ rpen/article/view/2158. Acesso em: 08 jun. 2020.

Publicado
25-08-2020
Como Citar
Cabral Neto, A., & Freitas Lopes, W. de J. (2020). Políticas educacionais na América Latina. Revista Educação Em Questão, 58(56). https://doi.org/10.21680/1981-1802.2020v58n56ID21017
Seção
Artigos