Concepções e práticas docentes

o que dizem as publicações sobre os cursos de Pedagogia a distância

Palavras-chave: Pedagogia a distância. Projeto pedagógico. Teoria e prática.

Resumo

Este artigo analisa concepções e práticas pedagógicas de dois cursos de Pedagogia, realizados na modalidade a distância. A pesquisa fundamenta-se na discussão teórica sobre currículo na formação de professores, considerando as perspectivas de Sacristán (2000), Mckernan (2009) e Nóvoa (2017).  Os dados deste estudo qualitativo são as produções escritas e publicadas sobre os cursos na forma de artigos, capítulos de livros e dissertações de mestrado, disponíveis em repositórios digitais com acesso on-line. Uma análise de conteúdo foi realizada com base em categorias que permitiram mapear e compreender os modelos de formação “em ação”, destacando-se como as especificidades dos currículos sustentaram as aprendizagens dos estudantes. Os resultados evidenciam que a articulação teoria e prática, elemento central nos projetos pedagógicos dos cursos, foi efetivada (currículo real) mediante uma estratégia de formação baseada em análises e reflexões sobre as experiências dos alunos em seus espaços de docência, favorecendo os processos de aprendizagem.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rosane Aragón, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Doutora em Informática na Educação (2001), mestre em Educação (1988) e graduada em Psicologia (1983) pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Pós-doutorado pela Universidade Federal do Espírito Santo. Professora Titular da Faculdade de Educação da UFRGS e docente no Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGEDU/UFRGS), orientando alunos de mestrado e doutorado, Coordenadora do Curso de Graduação em Pedagogia - Licenciatura na modalidade a distância (PEAD/FACED/UFRGS), líder do Núcleo de Estudos em Tecnologias Digitais na Educação. Editora associada da Revista Professare. Coordenadora Adjunta do Centro de Professores da UFRGS (FORPROF/UFRGS). Desenvolve pesquisas na área de Educação, com ênfase em Aprendizagem em Ambientes Digitais, atuando principalmente nos seguintes temas: educação a distância, formação de professores, informática na educação, aprendizagem e projetos de aprendizagem.

Analisa Zorzi, Universidade Federal de Pelotas

Possui Bacharelado e Licenciatura em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Mestrado em Sociologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul e Doutorado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Atualmente é professora do Departamento de Ensino da Faculdade de Educação (FaE) da Universidade Federal de Pelotas. Tem experiência na área de Educação e Sociologia, atuando principalmente nos seguintes temas: autonomia intelectual, educação a distância, prática docente e estágios curriculares.

Luciana Boff Turchielo, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

Doutora em Educação pela UFRGS (2017), Especialista em Coordenação Pedagógica pela UFRRJ (2006) e Licenciada em Pedagogia pela UFSM (1999). Tese de doutorado desenvolvida na linha de pesquisa Tecnologias digitais na Educação. É pedagoga da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Tem experiência como gestora na assessoria técnica e pedagógica para novas propostas de cursos a distância; foi coordenadora das capacitações para EAD no Sistema Universidade Aberta do Brasil (UAB) e professora de cursos de extensão em EAD na Fundação Cecierj. Atuando principalmente nos seguintes temas: tendências pedagógicas na EAD; formação de professores e tutores em contextos digitais; qualidade na EAD e metodologias ativas. Coautora do material didático digital Elucidário de Piaget: o possível e o necessário e do curso online aberto (MOOC) Moodle para Aluno

Referências

ALMEIDA, Maria Elizabeth Bianconcini. Inclusão digital do professor: formação e prática pedagógica. São Paulo: Editora Articulação, 2004.

ALMEIDA, Maria Elizabeth Bianconcini de; SILVA, Maria da Graça Moreira. Currículo, Tecnologia e Cultura Digital: espaços e tempos de web currículo. Revista e-Curriculum (PUCSP), v. 7, p. 1-19, 2011. Disponível em: http://revistas.pucsp.br/index.php/curriculum/article/viewFile/5676/4002. Acesso em: 21 fev. 2020.

ALMOULOUD, Saddo Ag. Análise e mapeamento de fenômenos didáticos com CHIC. In: OKADA, Alexandra (org.). Cartografia cognitiva – Mapas do conhecimento para pesquisa, aprendizagem e formação docente. Cuiabá: KCM editora, p. 303-324, 2008.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. RESOLUÇÃO CNE/CP Nº 2. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior (cursos de licenciatura, cursos de formação pedagógica para graduados e cursos de segunda licenciatura) e para a formação continuada. Resolução CNE/CP n. 02, de 01/07/2015.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Censo da educação superior 2017: notas estatísticas. Brasília: Inep, 2017. Disponível em:
BORDAS, Mérion; NEVADO, Rosane Aragón; CARVALHO, Marie Jane. Formação de Professores: pressupostos pedagógicos do curso de Licenciatura em Pedagogia/EA. In: Informática na Educação, Porto Alegre, v.8, n.1, p. 143-167, 2005.

CARVALHO, Marie Jane Soares; NEVADO, Rosane Aragón; MENEZES, Crediné Silva de. Arquiteturas pedagógicas para educação a distância. In: NEVADO. Rosane Aragón; CARVALHO, Marie Jane Soares; MENEZES, Crediné Silva (Org.). Aprendizagem em rede na educação a distância: estudos e recursos para formação de professores. Porto Alegre: Ricardo Lenz, 2007.

C.H.I.C. Classification Hierárquique, Implicative et Cohérsive. Version Windows, september 1999.

CLPD. O aprimoramento do Projeto de Pedagogia em EAD e seu núcleo metodológico. In: KIELING, José Fernando, et al. (ORG.). A subjetividade do lugar e dos professores na formação: O curso de Licenciatura em Pedagogia a Distância UFPel. Pelotas: Editora e Gráfica Universitária, p. 78-94, 2010.

FLICK, Uwe. Desenho da pesquisa qualitativa. Coleção Pesquisa Qualitativa. Artmed, Porto Alegre, 2009.

GATTI, Bernadete Angelina; BARRETTO, Elba Siqueira de Sá; ANDRÉ, Marli Eliza Dalmazo Afonso. Políticas docentes no Brasil: um estado da arte. BRASÍLIA: UNESCO, 2011.

GRÁS, Régis. L’analyses des donnés: une méthodologie de traitement de questions de didactique. Recherches en Didactiques Mathématiques, vol 12-1, 1992.

LIBÂNEO, José Carlos. Formação de Professores e Didática para Desenvolvimento Humano. In: Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 40, n. 2, p. 629-650, abr./jun. 2015. http://dx.doi.org/10.1590/2175-623646132. Acesso em: 21 fev. 2020.

MCKERNAN, James. Currículo e Imaginação: Teoria do processo, pedagogia e pesquisa-ação. Porto Alegre: Artmed, 2009.

NÓVOA, António. Firmar a posição como Professor, afirmar a profissão Docente. In: Cadernos de Pesquisa v.47 n.166, p.1106-1133, out/dez, 2017.

PEREIRA, Lucia Helena. A análise de conteúdo: um aprproach do social. In: BAETA NEVES, Clarissa; CORRÊA, M. B. Cadernos de Sociologia: Pesquisa Social Empírica: Métodos e Técnicas, v. 9, p.87-114,1998.

PIAGET, Jean. Fazer e compreender. Trad. Cristina L. de Paula Leite. São Paulo: Melhoramentos; EDUSP, 1978.

SACRISTÁN, José Gimeno. O currículo: uma reflexão sobre a prática. Porto Alegre: Artmed, 2000.

SILVA, Tomaz Tadeu da. Documentos de identidades: uma introdução às teorias do currículo. Belo Horizonte, 2010.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Pedagogia a distância. FACED-UFRGS, 2006.
Publicado
16-10-2020
Como Citar
Aragón, R., Zorzi, A., & Boff Turchielo, L. (2020). Concepções e práticas docentes. Revista Educação Em Questão, 58(58). https://doi.org/10.21680/1981-1802.2020v58n58ID21404
Seção
Artigos