Pedagogos não docentes nos Institutos Federais de Educação, tensionando os processos de identificação

Palavras-chave: Processos de identificação. Pedagogo. Instituto Federal de Educação. Identidades.

Resumo

A atuação do Pedagogo nos Institutos Federais de Educação (IFs) concorre na produção de processos de identificação atravessados por narrativas que tentam definir o que é ser Pedagogo nos IFs. Portanto, almejou-se compreender como as pesquisas discutem esses processos, seus impactos e desafios. Metodologicamente, escolheu-se a orientação pela abordagem qualitativa e pela pesquisa do tipo bibliográfica. Para tal, foram realizados levantamentos de teses e de dissertações na Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações (BDTD). Considerou-se que as investigações tentaram regular processos de identificação pela compreensão de identidades fixas, como algo a ser encontrado com vistas aos anseios do que se espera do Pedagogo. Foi proposto que processos de identificação sejam entendidos como parte do desenvolvimento profissional do Pedagogo, superando assim entendimentos compartimentados que dissociam experiências pessoais e profissionais do ser Pedagogo nos IFs permeado por culturas institucionais e políticas oficiais de governo situadas em determinado tempo e lugar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Silvana de Alencar Silva, Universidade Federal de Mato Grosso UFMT e Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso IFMT

Doutoranda do Programa de Pós Graduação em Educação (PPGE/UFMT), membra do Grupo de Estudos e Pesquisas em Política e Formação Docente (GEPForDoc). Mestre em Educação- UFMT (2015). Especialista em Gestão Escolar (2009). Graduada em Pedagogia (2007). Técnica Administrativa em Educação-Pedagoga do Instituto Federal de Educação de Mato Grosso (IFMT) campus Reitoria. Temas de interesse: Identidades- Processos de Identificação; Pedagog@, Desenvolvimento Profissional Docente e, políticas curriculares.

Filomena Maria de Arruda Monteiro, Universidade Federal de Mato Grosso Campus Cuiabá

Professora Associada-Universidade Federal de Mato Grosso-UFMT. Instituto de Educação/DEOE- Programa de Pós-Graduação em Educação - Mestrado e Doutorado/ PPGE/UFMT-Brasil-Cuiabá.  Líder do Grupo de Estudos e Pesquisas em Política e Formação Docente - GEPForDoc/CNPq

Referências

AGUIAR, Márcia Ângela da Silva; MELO, Márcia Maria de Oliveira. Pedagogia e as diretrizes Curriculares do curso de Pedagogia: polêmicas e controvérsias. Revista Linhas Críticas, Brasília, DF, v. 11, jan./jun. 2005.

AGUIAR, Márcia Ângela da Silva; BRZEZINSKI Iria; FREITAS Lopes, Costa Helena; SILVA, Pereira Soares Marcelo; PINO, Rodrigues Ivany. Diretrizes Curriculares do Curso de Pedagogia no Brasil: disputas de projetos no campo da formação do profissional da educação. Educ. Soc., Campinas, vol. 27, n. 96 - Especial, out. 2006

ANDRE, Marli Eliza Dalmazo Afonso de. Pesquisa em educação: desafios contemporâneos. Revista Pesquisa em Educação Ambiental, v. 1, n. 1, jul. dez. 2006.

ANDRÉ, Marli Eliza Dalmazo Afonso de (org.). O papel da pesquisa na formação e na prática dos professores. Campinas: Papirus, 2001.

BAUMAN, Zygmunt. Identidade: entrevista a Benedetto Vecchi. Tradução de Carlos Alberto Medeiros. Rio de Janeiro: Zahar, 2005.

BOGDAN, Robert; BIKLEN, Sari. Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Portugal: Porto, 1994.

BUARQUE, Maria do Socorro Lima. A coordenação pedagógica no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba: identidades e práticas. Dissertação. Universidade Federal da Paraíba- UFPB. 2017. 124f. (Mestrado em Educação) - Programa de Pós-graduação em Gestão nas Organizações aprendentes, Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2017.

BRASIL. Decreto nº 7.566, de 23 de setembro de 1909. Crêa nas capitaes dos Estados da Republica Escolas de Aprendizes Artífices, para o ensino profissional primario e gratuito. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/setec/arquivos/pdf3/decreto_7566_1909.pdf. Acesso em: 04 de jul. 2019.

BRZEZINSKI, Iria. Pedagogia, pedagogos e formação de professores: busca e movimento. Campinas, SP: Papirus, 1996.

BRZEZINSKI, Iria. Pedagogo: Delineando identidades. In: Revista UFG, julho 2011/ Ano XIII n. 10 julho. 2011.

COUTINHO, Ticiana Patrícia da Silveira Cunha. A ação mediadora de pedagogas no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte: sentidos de sua ação na educação profissional. (Universidade Federal do Rio Grande do Norte) 2016. 127f. Dissertação. (Mestrado em Educação) - Programa de Pós-graduação em Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2016.

CORNÉLIO, Ferraz Iara. Pedagogos e Técnicos em Assuntos Educacionais: um estudo de caso sobre as identidades profissionais no IF Sertão-PE. (Universidade Federal da Bahia) 2018. 99f. Dissertação. (Mestrado Profissional em Educação) -Programa de Pós-graduação Currículo, Linguagens e Inovações Pedagógicas, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2018.

CONTRERAS, José. A autonomia de professores. São Paulo: Cortez, 2002.

GARCIA, Maria Manuela Alves; HYPOLITO, Álvaro Moreira; VIEIRA, Jarbas Santos. As identidades docentes como fabricação da docência. Educação e Pesquisa, São Paulo, v.31, n. 1, p.45-56, jan./abr. 2005.

GATTI, Bernadete Angelina; ANDRÉ, Marli Eliza Dalmazo Afonso de. A relevância dos métodos de pesquisa qualitativa em educação no Brasil. In: WELLER, W.; PFAFF, N. (Orgs.). Metodologias da pesquisa qualitativa em Educação: teoria e prática. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 2011. p. 29-38.

FRANÇA, Elicia Thanes Silva Sodré de. A atuação do pedagogo na educação profissional: um estudo de caso sobre as ações pedagógicas desenvolvidas no Instituto Federal do Amapá. Dissertação. (Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro). 2016. 123f. Dissertação. (Mestrado em Educação) Programa de Pós-graduação em Educação Agrícola, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Seropédica, 2016.

FONSECA, Amilde Martins da. O que podem as pedagogas? hierarquia de saberes e gênero numa instituição de ensino tecnológico. 2017, 229f. (Tese de Doutorado) - Programa de Pós-graduação em Estudos Interdisciplinares Sobre Mulheres, Gênero E Feminismos – PPGNEIM, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2017.

HALL. Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Tradução: Tomaz Tadeu da Silva & Guaciara Lopes Louro. 11. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2006.

HOUSSAYE, Jean; SOËTARD, Michel; HAMELI, Daniel; FABRE, Michel. Manifesto a favor dos pedagogos. Porto Alegre: Artmed, 2004.

LIMA, Claudia Medeiros de. "Quem somos eu?" uma análise sobre a (re)construção das identidades profissionais das pedagogas no IFS/Aracaju. (Dissertação). (Universidade Federal de Sergipe). 2015. 234f. Dissertação. (Mestrado em Educação) - Programa de Pós-graduação, Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, 2015.

MAFFESOLI, Michel. No fundo das aparências. Rio de Janeiro, Vozes,1996.

MENEZES, Vitor. Identidade e processos de identificação: um apanhado teórico In: Revista Intratextos, Rio de Janeiro, v. 6, n o1, p. 68-81, 2014.

MARQUES, Débora Mota. A configuração das identidades profissionais dos (as) pedagogos (as) de Institutos Federais Mineiros: da formação à atuação profissional. (Universidade Federal de Viçosa) 2018. 217 f. Dissertação. (Mestrado em educação) Programa de Pós-graduação em Educação, Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2018.

MARCELO, Carlos, Garcia. Formação de professores para uma mudança educativa. Porto-Portugal: Porto Editora, 1999.

MONTEIRO, Filomena Maria de Arruda (Org.) Pesquisa, formação e docência: processos de aprendizagem e Desenvolvimento Profissional docente em diálogo. Cuiabá: Editora Sustentável, 2017.

NÓVOA, António. Pedagogia: A Terceira Margem do Rio. 2011.

NÓVOA António (Org.). Vidas de Professores. 2 ed. Porto, Portugal: Porto Editora, 1992.

PINHO, Leila Acosta. Contribuições do setor de assessoria pedagógica para a integração curricular na educação profissional do Instituto Federal Farroupilha Campus Alegrete. (Universidade Federal de Santa Maria) 2019. 116f. Dissertação. (Mestrado em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Políticas Públicas e Gestão Educacional, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2019.

ROLDÃO, Maria do Céu Neves. Profissionalidade Docente em análise: especificidades dos ensinos superior e não superior. Revista Nuances: estudos sobre educação. ano XI, v. 12, n. 13, jan./dez. 2005.

SCHEIBE, Leda; AGUIAR, Márcia Ângela. Formação de profissionais da educação no Brasil: o curso de Pedagogia em questão. Educação e Sociedade, Campinas, cedes, n. 69, p.80-108, dez. 1999.

SAVIANI, Dermerval. O legado educacional do “longo século XX” brasileiro. In: SAVIANI, Dermerval; ALMEIDA, Soares Jane, SOUZA, Rosa Fátima; TERESA, Vera. O legado educacional do Século XX. Campinas, SP: Autores Associados, 2004. (Coleção Educação Contemporânea) (p.9-58).

SILVA, Tadeu Tomaz. A produção social da identidade e da diferença. In: SILVA, Tomaz Tadeu da. (Org.). Identidade e diferença: a perspectiva dos Estudos Culturais. 14ª ed. Petrópolis/RJ: Vozes, 2014.

SOARES, Manoel de Jesus Araújo. As Escolas de Aprendizes Artífices - estrutura e evolução. Fórum Educacional, [S.l.], v. 6, n. 3, p. 58-92, jul. 1982. ISSN 0100-9591.

Publicado
27-10-2020
Como Citar
de Alencar Silva, S., & Maria de Arruda Monteiro, F. (2020). Pedagogos não docentes nos Institutos Federais de Educação, tensionando os processos de identificação. Revista Educação Em Questão, 58(58). https://doi.org/10.21680/1981-1802.2020v58n58ID22726
Seção
Artigos