A canção “vozes da seca” de Luiz Gonzaga: vozes de protesto sob uma perspectiva da análise do discurso

Autores

  • Sandro Luis de Sousa Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte

DOI:

https://doi.org/10.21680/1517-7874.2017v19n1ID11279

Resumo

RESUMO: O trabalho propõe estudar a canção Vozes da Seca dos autores nordestinos, Luiz Gonzaga e Zedantas, tendo como pressupostos teóricos norteadores a Análise de Discurso (AD) de linha francesa. Para tanto, faz um breve percurso sobre alguns conceitos básicos dessa disciplina, bem como sobre a caracterização do sujeito-intérprete da referida canção e das condições de produção do ambiente sócio-histórico onde a mesma foi concebida. Pretende-se demonstrar que a materialidade linguística objeto de estudo apresenta, de forma incomum, características de contraponto ao disseminado estereótipo de sujeito nordestino pobre, pedinte de esmola, ignorante, conformado, alienado político e eterno dependente dos favores dos povos “do sul”. Neste artigo, a análise não tem como propósito metodológico precípuo a organização linguística do texto, mas compreender como este é tecido, criando nós, laços e relações entre a língua e aspectos sócio-históricos que imprimem ao discurso características próprias de dizeres expressos e implícitos na canção ora analisada.

Palavras-chave: Análise do Discurso. Luiz Gonzaga. Aspectos sócio-históricos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

17-05-2017

Como Citar

DE SOUSA, S. L. A canção “vozes da seca” de Luiz Gonzaga: vozes de protesto sob uma perspectiva da análise do discurso. Revista do GELNE, [S. l.], v. 19, n. 1, p. 79–88, 2017. DOI: 10.21680/1517-7874.2017v19n1ID11279. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/gelne/article/view/11279. Acesso em: 22 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos