A oralidade na sala de aula: uma proposta didática com notícia de rádio

  • Marlúcia Maria Alves Universidade Federal de Uberlândia
  • Maria de Fátima de Mello Universidade Federal de Uberlândia
  • Maria Aparecida Resende Ottoni Universidade Federal de Uberlândia
  • Talita de Cássia Marine Universidade Federal de Uberlândia
Palavras-chave: Práticas de oralidade, Notícia de rádio, Desempenho comunicativo

Resumo

O objetivo deste artigo é apresentar uma proposta didática que traz como foco práticas de oralidade implementadas em uma turma de sétimo ano em uma escola municipal em Valparaíso de Goiás. A metodologia utilizada foi a pesquisa-ação. Partimos de estudos sobre a relação oralidade e escrita, Marcuschi (2001) Fávero (2000) e Fávero et al (2014), que mostram a necessidade de trabalhos voltados para a modalidade oral da língua. Assim, foi elaborada uma sequência didática, baseada no modelo de Dolz, Noverraz e Schneuwly (2013), com o gênero notícia de rádio, Baltar (2012) e Ferraretto (2008), com a finalidade de contribuir para a ampliação do desempenho comunicativo e linguístico dos alunos, bem como promover um maior envolvimento deles com a disciplina de Língua Portuguesa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marlúcia Maria Alves, Universidade Federal de Uberlândia
Possui graduação em Letras - Língua Portuguesa pela Universidade Federal de Minas Gerais (1992), graduação em Letras - Língua Francesa pela Universidade Federal de Minas Gerais (1995), mestrado em Estudos Linguísticos pela Universidade Federal de Minas Gerais (1999) e doutorado em Linguística pela Universidade Federal de Minas Gerais (2008). Atualmente atua como Professor Adjunto 4 no curso de Letras (licenciatura) no Instituto de Letras e Linguística da Universidade Federal de Uberlândia. Atua também no PROFLETRAS na categoria de professor permanente. É sócia da Associação Brasileira de Lingüística, membro do Grupo de Estudos Lingüísticos do Estado de SP, sócia da Associação dos Professores de Francês de Minas Gerais e membro da Sociedade Brasileira de Fonética. Tem experiência na área de Linguística, com ênfase em Teoria e Análise Linguística e Fonologia, atuando principalmente nos seguintes temas: vogais médias, variação linguística, ensino de Língua Portuguesa e teoria da otimalidade.
Maria de Fátima de Mello, Universidade Federal de Uberlândia
Mestre em Linguística - Programa de Pós-graduação -PROFLETRAS-Mestrado Profissional em Letras na Universidade Federal de Uberlândia(2016) Graduação em letras-Literatura pela Universidade Veiga de Almeida (2002) e graduação em jornalismo e relações públicas - Faculdades Integradas Hélio Alonso (1994). Atualmente é professora de Língua Portuguesa no Ensino Fundamental e locutora -operadora de áudio da Empresa Brasil de Comunicação.
Maria Aparecida Resende Ottoni, Universidade Federal de Uberlândia
MARIA APARECIDA RESENDE OTTONI possui graduação em LETRAS - PORTUGUÊS/INGLËS pela Universidade Federal de Uberlândia (1988), mestrado em Linguística pela Universidade Federal de Uberlândia (1999) e doutorado, também em Linguística, área de concentração Linguagem e Sociedade, pela Universidade de Brasília (2007). Fez um estágio de doutoramento na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, sob a orientação do prof. Dr. Carlos Gouveia. Ministrou aulas de Lingua Portuguesa e Literatura Infanto-Juventil para turmas de 5o. ao 8o. ano, na Escola de Educação Básica da UFU, onde também atuou como coordenadora da CARO Aluno e Professor - Coordenação Acadêmica para a Relação e Orientação ao Aluno e Professor. Ministrou ainda aulas em diferentes cursos em faculdade particular. Atualmente, é docente dos cursos de Letras e de Comunicação Social com habilitação em Jornalismo, da Universidade Federal de Uberlândia, e dos Programas de Pós-Graduação em Estudos Linguísticos e Mestrado Profissional em Letras (PROFLETRAS). É coordenadora local do PROFLETRAS. Tem experiência na área de Lingüística, com ênfase em Análise de Discurso Crítica e Linguística Textua. Seu trabalho é voltado para o ensino de Língua Portuguesa, o humor, a análise crítica do discurso, os gêneros discursivos e para a análise da constituição/representação das identidades.
Talita de Cássia Marine, Universidade Federal de Uberlândia
Possui graduação em Letras (Licenciatura e Bacharelado) com habilitação em Português e Alemão pela UNESP/Araraquara (2001). Desenvolveu pesquisa de Iniciação Científica fomentada pela Capes, como bolsista PET. Realizou Mestrado (2004) - fomentado pela Capes - e Doutorado (2009) - fomentado pelo CNPq - em Linguística e Língua Portuguesa na UNESP/Araraquara, com estágio PDEE(2006) - financiado pela Capes - na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (FLUL) e no Centro de Linguística da mesma universidade (CLUL). Atualmente é professora adjunta nível III do Instituto de Letras e Linguística da Universidade Federal de Uberlândia (ILEEL-UFU) e coordena o Programa de Pós-graduação Mestrado Profissional em Letras (PROFLETRAS-UFU). Possui experiência na área de Linguística, com ênfase em Linguística Histórica, Sociolinguística Variacionista e Sociolinguística Educacional, desenvolvendo, atualmente, pesquisas voltadas para a área de ensino de língua portuguesa, embasadas pela perspectiva da Pedagogia da Variação Linguística. É líder do Grupo de Estudos Variacionistas (GEVAR) - cadastrado na plataforma CNPq - e desde julho de 2016, atua como membro permanente do GT de Sociolinguística da Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Letras e Linguística (ANPOLL).

Referências

BAKHTIN, M. Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes, 2010.

BAKHTIN, M. e VOLOCHÍNOV. Palavra própria e palavra outra na sintaxe da enunciação. São Paulo: Pedro & João Editores, 2011.

BALTAR, M. Competência discursiva e gêneros textuais: uma experiência com o jornal em sala de aula, 2. Ed. Caxias do Sul: EDUCS, 2006.

BALTAR, M. Rádio escolar: uma experiência de letramento midiático. São Paulo: Cortez, 2012.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Parâmetros Curriculares Nacionais. Brasília, 1998.

CAGLIARI, L. C. Da importância prosódica de fatos gramaticais. In: ILARI, R. (Org). Gramática do português falado. Vol II: Níveis de análise linguística. Campinas: Editora da Unicamp,1992.

DOLZ, J.; NOVERRAZ, M.; SCHNEUWLY, B. Sequências didáticas para o oral e a escrita: apresentação de um procedimento. In: SCHNEUWLY, B.; DOLZ, J. Gêneros orais e escritos na escola. São Paulo: Mercado das Letras, 2013, p. 81-108.

DOLZ, J.; SCHNEUWLY, B. Gêneros e progressão em expressão oral e escrita – elementos para reflexões sobre uma experiência suíça (francófona). In: SCHNEUWLY, B.; DOLZ, J. Gêneros orais e escritos na escola. São Paulo: Mercado das Letras, 2013, p. 35-60.

DOLZ, J.; SCHNEUWLY, B; HALLER, S. O oral como texto: como construir um objeto de ensino. In: SCHNEUWLY, B.; DOLZ, J. Gêneros orais e escritos na escola. São Paulo: Mercado das Letras, 2013, p. 125-155.

FÁVERO, L. L. A entrevista na fala e na escrita. In: PRETTI, D. (Org.). Fala e escrita em questão. São Paulo: Humanitas, 2000.

FÁVERO, L. L.; ANDRADE, M. L. C. V. O; AQUINO, Z. In: reflexões sobre oralidade e escrita no ensino de Língua Portuguesa. ELIAS, V. (Org.). São Paulo: Contexto, 2014.

FERRARETO, L. A. Rádio: o veículo, a história e a técnica. São Paulo: Sagra Luzzatto, 2001.

GOLIM, Cida. Teorias do rádio: Paul Zumthor e a poética da voz. In: Intercom – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação XXVIII Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação – UERJ – 5 a 9 de setembro de 2005.

LAGE, N. Estrutura da notícia. São Paulo: Ática, 2006.

MARCUSCHI, Luis Antônio. A oralidade e o ensino de língua: uma questão pouco falada. In: DIONÍSIO, Ângela, Paiva e BEZERRA, Maria Auxiliadora. (Org). O livro didático de português: múltiplos olhares. Rio de Janeiro: Lucerna, 2001.

______. Produção textual: Análise de gêneros e compreensão. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

PORCHAT, Maria Elisa. Manual de Radiojornalismo: Jovem Pan. 2ª edição. São Paulo: Ática, 1989.

SCHNEUWLY, B. Gêneros e tipos de discurso: considerações psicológicas e ontogenéticas. In: SCHNEUWLY, B.; DOLZ, J. Gêneros orais e escritos na escola. São Paulo: Mercado das Letras, 2013, p. 19-34.

SCHNEUWLY, B; DOLZ, J. Os gêneros escolares – das práticas de linguagem aos objetos de ensino. In: SCHNEUWLY, B.; DOLZ, J. Gêneros orais e escritos na escola. São Paulo: Mercado das Letras, 2013, p. 61-78.

THIOLLENT, M. Metodologia da pesquisa-ação. São Paulo: Cortez, 2011.

Publicado
23-08-2017
Como Citar
ALVES, M. M.; DE MELLO, M. DE F.; OTTONI, M. A. R.; MARINE, T. DE C. A oralidade na sala de aula: uma proposta didática com notícia de rádio. Revista do GELNE, v. 19, p. 16-27, 23 ago. 2017.
Seção
Artigos