Cinema e língua inglesa no ensino médio: um olhar à teoria

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21680/1517-7874.2022v24n2ID28475

Resumo

Este estudo objetiva identificar em documentos oficiais e em discussões de autores menções sobre o uso de cinema nas aulas de língua inglesa no ensino médio, sendo o cinema entendido como qualquer produção cinematográfica. A metodologia utilizada abrange uma pesquisa bibliográfica. O material de análise são trechos selecionados da Base Nacional Comum Curricular, dos Parâmetros Curriculares Nacionais e das Orientações Educacionais Complementares aos Parâmetros Curriculares Nacionais, além de produções de autores que discutem o tema – como Duarte, Napolitano e Rajagopalan. As análises indicaram que os documentos oficiais consideram o cinema como recurso moderno e inovador e que contribui para um ensino mais crítico e tecnológico. Entretanto, há indícios do entendimento de que o cinema é um recurso fácil e simples se comparado com outros, como a literatura. Já os autores consultados enfatizam o cinema como ótima ferramenta no ensino crítico, no trabalho interdisciplinar e na cativação do estudante, e como um material autêntico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maruana Kássia Tischer Seraglio, Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) e Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC)

Doutoranda e mestra em Estudos Linguísticos pela UFFS. Desenvolve pesquisas na área da Análise de Discurso, com ênfase no discurso político e educacional. 

Fernando Rossetto Gallego Campos, Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC) e Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS)

Professor de Geografia do IFSC e do Programa de Pós-Graduação em Geografia da UFFS. Doutor e mestre em Geografia pela UFPR. Pesquisa temáticas sobre cinema, cultura, discurso, espaço, futebol e representações.

Downloads

Publicado

28-12-2022

Como Citar

SERAGLIO, M. K. T.; GALLEGO CAMPOS, F. R. Cinema e língua inglesa no ensino médio: um olhar à teoria. Revista do GELNE, [S. l.], v. 24, n. 2, p. 72–83, 2022. DOI: 10.21680/1517-7874.2022v24n2ID28475. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/gelne/article/view/28475. Acesso em: 27 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigos