A variação entre nós e a gente: uma comparação entre o português europeu e o português brasileiro

  • Juliana Barbosa de Segadas Vianna
Palavras-chave: mudança linguística, pronomes, variação linguística.

Resumo

A substituição de nós por a gente tem sido amplamente estudada no português
do Brasil (doravante PB), por diversos autores (OMENA, 1986, 1996, 2003;
LOPES, 1993; SEARA, 2000; FERNANDES, 1997, 2004; LAUREANO,
2003; ZILLES, 2005, 2007; TAMANINE, 2010; entre outros), que indicam o
estágio avançado desse processo de mudança, sobretudo na língua oral. Todavia,
com relação ao português europeu (daqui por diante PE), a pesquisa científica
tem sido pouco produtiva e pouco se podia afirmar sobre tal variação em
terras lusas. Adotando-se orientação teórico-metodológica da Sociolinguística
laboviana (LABOV, 1994), em Vianna (2011), foram utilizadas amostras de
fala espontânea referentes às duas variedades do português. Os resultados de
tal investigação indicam que a variação entre as formas de primeira pessoa do
plural no PE, embora apresente semelhanças com o que se observa para o
fenômeno no PB, é fundamentalmente determinada por fatores sociais e não caracteriza um processo de mudança em curso.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
15-03-2016
Como Citar
VIANNA, J. B. DE S. A variação entre nós e a gente: uma comparação entre o português europeu e o português brasileiro. Revista do GELNE, v. 14, n. 1/2, p. 95-116, 15 mar. 2016.
Seção
Artigos