Os paradoxos da tradição: ordem e desordem no seio do conhecimento

Autores

  • Luciana Carlos Celestino UFRN
  • Ana Laudelina Ferreira Gomes UFRN

Resumo

O conceito de tradição em Balandier toma formas paradoxais quando aceita em
seu seio a presença tanto da ordem quanto da desordem como elementos
mantenedores da tradição viva e ativa. Nesse sentido, as chamadas
sociedades tradicionais para esse autor, em oposição ao conceito dos
antropólogos clássicos, são como que um repositório de experiências, mitos,
ritos e símbolos adquiridos e mantidos não apenas À custa de um sistema
fechado e rígido, mas de uma sociedade que absorve as mudanças e as
incorpora à tradição.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

03-12-2013

Como Citar

CELESTINO, L. C.; GOMES, A. L. F. Os paradoxos da tradição: ordem e desordem no seio do conhecimento. Revista Inter-Legere, [S. l.], n. 6, 2013. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/interlegere/article/view/4571. Acesso em: 6 dez. 2022.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>