AVALIAÇÃO DA ASSISTÊNCIA À PESSOA IDOSA NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE: PERSPECTIVA DE USUÁRIOS

  • Ana Mayara Gomes de Souza Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Tainara Lôrena dos Santos Ferreira Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Katarina Marcia Rodrigues dos Santos Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Débora Joyce Duarte de Oliveira Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Fábia Barbosa de Andrade Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Palavras-chave: Saúde do Idoso, Atenção Primária à Saúde, Pesquisa sobre Serviços de Saúde.

Resumo


Introdução: O aumento da expectativa de vida é de suma importância no contexto social e também um dos nossos grandes desafios; De modo que se tornam fundamentais estudos que priorizem a avaliação da atenção à população idosa. Objetivo: Avaliar, a partir da percepção dos usuários idosos, a qualidade da assistência da equipe profissional na Atenção Primária à Saúde a pessoa idosa. Metodologia: Trata-se de um estudo exploratório descritivo com abordagem quantitativa realizada na cidade de Santa Cruz, estado Rio Grande do Norte, Brasil, utilizando-se uma amostra de 130 idosos. Resultados: No que se refere à qualidade do atendimento na APS, podemos observar que 48,5% dos usuários afirmou ser bom, uma vez que 26,2% verbalizaram que raramente havia rotatividade profissional. Em relação à educação em saúde, observou-se que 82,3% nunca receberam orientações sobre prevenção do câncer e controle de quedas e 41,5% algumas vezes recebiam sobre importância de realização de atividade física. No que diz respeito à necessidade de encaminhamento dos pacientes a outros serviços observou-se que 50,0% algumas vezes foram encaminhados e 29,2% dizem algumas vezes terem sido contra referenciado. Conclusão: A atuação dos profissionais da APS foi adequada oque confere boa qualidade aos serviços, as fragilidades ainda existentes oferecem subsídios para que estes possam ser estimulados a elaborar novas estratégias para melhorias à saúde do idoso.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Mayara Gomes de Souza, Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Enfermeira. Mestranda em Saúde Coletiva pelo Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva (PPGSCol) da UFRN.
Tainara Lôrena dos Santos Ferreira, Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Enfermeira. Mestranda em Saúde Coletiva pelo Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva (PPGSCol) da UFRN.
Katarina Marcia Rodrigues dos Santos, Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Acadêmica do Curso de Enfermagem da Faculdade de Ciências da Saúde do Trairi (FACISA)/UFRN. Bolsista de Iniciação Científica PIBIC CNPq-UFRN.
Débora Joyce Duarte de Oliveira, Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Acadêmica do Curso de Enfermagem da Faculdade de Ciências da Saúde do Trairi (FACISA)/UFRN. Bolsista de Iniciação Científica PIBIC CNPq-UFRN.
Fábia Barbosa de Andrade, Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Enfermeira. Doutora em Ciências da Saúde. Professora Adjunto III da UFRN

Referências

  • World Health Organization. Envelhecimento ativo: uma política de saúde. Brasília: Organização Pan-Americana da Saúde; 2005. 60 p.

  • Andrade FB, Ferreira Filha MO, Dias MD, Silva AO, Costa ICC, Lima EAR, et al. Promoção da saúde mental do idoso na atenção básica: as contribuições da terapia comunitária. Texto Contexto Enferm, 2010 Jan-Mar; 19(1): 129-36.

  • Martins MS, Massarollo MCKB. Mudanças na assistência ao idoso após promulgação do Estatuto do Idoso segundo profissionais de hospital geriátrico. Rev Esc Enferm USP, 2008; 42(1): 26-33.

  • Alvarez AM, Gonçalves LHT. Enfermagem e o cuidado ao idoso no domicilio. Rev. bras. enferm. Brasília, set-out. 2012; 65(5): 715-6.

  • Ministério da Saúde (Brasil). Portaria 2528/GM, de 19 de outubro de 2006. Aprova a Política Nacional de Saúde da Pessoa Idosa. Brasília: Ministério da Saúde; 2006.

  • Garcia VA, Vendruscolo C, Tesser CD, Argenta CE. Concepções de promoção da saúde que permeiam o ideário de equipes da estratégia saúde da família da Grande Florianópolis. Rev. saúde pública. Santa Catarina, 2010; 3(1): 42-56.

  • Ministério da Saúde (Brasil). Resolução nº 466, de 12 de dezembro de 2012. Diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Ministério da Saúde/Conselho Nacional de Saúde, Brasília; 2012.

  • Leão CDA, Caldeira AP, Oliveira MMC. Atributos da atenção primária na assistência à saúde da criança: avaliação dos cuidadores. Rev. Bras. Saude Mater Infant. Recife, July-Sept. 2011; 11(3): 14-20.

  • Brandão ALRBS, Giovanella L, Campos CEA. Avaliação da atenção básica pela perspectiva dos usuários: adaptação do instrumento EUROPEP para grandes centros urbanos brasileiros. Ciênc. saúde coletiva. 2013; 18(1): 103-114.

  • Santos I, Alves ACS, Silva AFL, Caldas CP, Berardinelli LMM, Santana RF. O grupo pesquisador construindo ações de autocuidado para o envelhecimento saudável: pesquisa sociopoética. Esc. Anna Nery. Rio de Janeiro, Oct.-Dec. 2011; 15(4): 746-754.

  • Tavares DMS, Dias FA. Capacidade funcional, morbidades e qualidade de vida de idosos. Texto & contexto enferm. Florianópolis, Jan.-Mar. 2012; 21(1): 112-20.

  • Mazini Filho ML, Zanella AL, Aidar FJS, Silva AMS, Matos DG. Atividade física e envelhecimento humano: a busca pelo envelhecimento saudável. Revista Brasileira de Ciências do Envelhecimento Humano. Passo Fundo, jan-abr. 2010; 7(1): 97-106.

  • Toscano JJO, Oliveira ACC. Qualidade de vida em idosos com distintos níveis de atividade física. Rev. bras. ciênc.esporte. Niterói, May-Jun. 2009; 15(3): 169-173.

  • Silva SF. Organização de redes regionalizadas e integradas de atenção à saúde: desafios do Sistema Único de Saúde. Ciênc. saúde coletiva. Brasil, 2011; 16(6): 2753-62.

  • Escorel S, Giovanella L, Mendonça MHM, Senna MCM. O Programa de Saúde da Família e a construção de um novo modelo para a atenção básica no Brasil. Rev. panam. salud pública. Washington, Feb-Mar. 2007; 21(2-3):164-176.

Publicado
11-12-2017
Como Citar
SOUZA, A. M. G. DE; FERREIRA, T. L. DOS S.; SANTOS, K. M. R. DOS; OLIVEIRA, D. J. D. DE; ANDRADE, F. B. DE. AVALIAÇÃO DA ASSISTÊNCIA À PESSOA IDOSA NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE: PERSPECTIVA DE USUÁRIOS. Revista Ciência Plural, v. 3, n. 2, p. 42-52, 11 dez. 2017.
Seção
Artigos