Engajamento coletivo na primavera secundarista

a ocupação da escola estadual José Lins do Rego

Palavras-chave: Ocupação de escolas, Engajamento coletivo, Práxis Educativa, Ensino médio público

Resumo

Este artigo analisa uma práxis educativa vivenciada na ocupação da escola José Lins do Rego por estudantes, professores e movimentos sociais contrários à Medida de Reorganização da rede de ensino de São Paulo em 2015. Analisa a literatura, documentos oficiais e fotografias, por meio do método documentário, voltados para a problemática no ensino médio em face de uma gestão de educação autoritária. As análises sugerem uma concepção de escola como espaço educativo, no qual os sujeitos coletivos engajados no movimento de ocupação, horizontalmente, consubstanciam a práxis educativa como estratégia favorável à consciência para além do institucional. Ou seja, a identificação entre quem ocupava as escolas e se apropriava do espaço educativo suscitava novos significados ao ensino médio público em um importante momento histórico de formação da consciência de classe entre esses sujeitos que vislumbraram a transformação da realidade por meio de um agir coletivo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BASSALO, Lucélia de Moraes; WELLER, Wivian. Imagens: documentos de visões de mundo. Sociologias, Porto Alegre, ano 13, nº 28, p. 284-314, set./dez. 2011.

BOHNSACK, Ralf. A interpretação de imagens e o método documentário. (tradução livre de Wivian Weller). Sociologias, Porto Alegre, ano 9, nº 18, p. 286-311, jun./dez. 2007.

CHIZZOTTI, Antônio. As finalidades dos sistemas de educação brasileiros. Revista Educação em Questão. Revista Educação em Questão, Natal, v. 58, n. 55, p. 1-19, jan./mar. 2020. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/educacaoemquestao/article/view/19288. Acesso em: 14 mai. 2020.

DASSOLER, Elisa Rodrigues. Do triângulo da morte ao círculo das artes: um olhar sobre a movimentação cultural da periferia Sul de São Paulo. In: Colóquio Internacional Culturas Jovens Afro-Brasil América: Encontros e Desencontros, 1, 2012, São Paulo. Anais [...] Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, 2012. Disponível em: http://www.proceedings.scielo.br/pdf/cjaba/n1/12.pdf. Acesso: 29 de ago. 2019.

GUEDES, Gilmar Barbosa. A escola de ensino médio público noturno: uma conjuntura favorável ao protagonismo estudantil coletivo em contraposição ao protagonismo juvenil via empoderamento. 2007. 157 f. (Tese de Doutorado) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, 2007.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da esperança: um reencontro com a Pedagogia do oprimido. São Paulo: Paz e Terra, 2006.

FRIGOTTO, Gaudêncio. A produtividade da escola improdutiva 30 anos depois: regressão social e hegemonia ás avessas. Revista Trabalho Necessário, [S. l.], n. 20, p. 206-233, 2015. Disponível em: . Acesso em: 02 mai. 2019.

HOBSBAWM, Eric John. A era das revoluções. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

HOBSBAWM, Eric John. Pessoas Extraordinárias. São Paulo: Paz e Terra, 1998.

THOMPSON, Edward Herbert. Costumes em comum – Estudos sobre a cultura popular tradicional. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

NASCIMENTO, Roseli Machado Lopes do. Arte-educação nos contextos de periferias urbanas: um desafio social. 2010. 316 f. (Dissertação de Mestrado em Ciências Sociais) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2010.

POULANTZAS, Nicos. O Estado, o poder e o socialismo. Tradução Rita Lima. Rio de Janeiro: Graal, 1980.

SANFELICE, José Luís. A política educacional do Estado de São Paulo: apontamentos. Revista Nuances (UNESP Presidente Prudente), v. 18, p. 145-160, jan./dez. 2010.

SCHÖN, Donald Alan. Educando o profissional reflexivo: um novo design para o ensino e a aprendizagem. Porto Alegre: Artmed, 2000.

SECUNDAS, José Lins. Primeira assembleia, atividades e reunião deliberativa na ocupação. Distribuição: Página no Facebook, 2015. Disponível em: https://www.facebook.com/pg/SecundasJoseLins. Acesso em: 06 de dez. 2019.


SEVERO, Ricardo Gonçalves. Sociologia do conhecimento e o método documentário: instrumento qualitativo para análise sociológica. Revista de Ciências Sociais. Fortaleza, v. 48, n. 1, p. 304-317, jan. /jul., 2017.

SPOSITO, Marília Pontes. Juventude e Educação: interações entre educação escolar e a educação não-formal. Educação e Realidade, v. 33, p. 83-97, 2008.

SUJEITOS COLETIVOS ENGAJADOS. Entrevista. São Paulo (SP), 01 jul. 2019.
Publicado
16-10-2020
Como Citar
Alves Martins, J., & Aparecida de Queiroz, M. (2020). Engajamento coletivo na primavera secundarista. Revista Educação Em Questão, 58(58). https://doi.org/10.21680/1981-1802.2020v58n58ID21354
Seção
Artigos