Amor, sexo e distância física

Pedagogias do Webnamoro na pandemia da Covid-19

Palavras-chave: Pedagogias do Webnamoro, Covid-19, Tinder, Pedagogias culturais

Resumo

A pandemia da Covid-19 colocou milhares de pessoas em isolamento físico como principal estratégia para conter a contaminação e disseminação do vírus. Essa condição provocou mudanças nos modos de procurar e viver relações amorosas e sexuais, privilegiando os encontros virtuais em sites e aplicativos de paquera. Nesse contexto, o objetivo do artigo é analisar performances de amor e sexo de um grupo formado por homens gays usuários do Tinder, com a finalidade de identificar pedagogias sexuais resultantes do webnamoro. O argumento central é que as performances de amor e sexo desenvolvidas por esse grupo promovem pedagogias sexuais que nos orientam a festejar a vida, cuidar do corpo, explorar outras possibilidades para a paquera e a sexualidade online. O método usado para a pesquisa foi o qualitativo, de cunho descritivo e analítico. Com a pesquisa, concluímos que o webnamoro, em tempo de pandemia, reativa certos ideais do amor romântico como estratégias dos sujeitos para manterem a saúde física e mental.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jeane Felix da Silva, Universidade Federal da Paraíba

Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Federal da Paraíba (2002), mestrado em Educação pela Universidade Federal da Paraíba (2005), doutorado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2012) e pós-doutorado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2013-2015). Professora Adjunta vinculada ao Departamento de Habilitações Pedagógicas e ao Programa de Pós-graduação em Educação do Centro de Educação da Universidade Federal da Paraíba. Fui vice-coordenadora do Curso de Pedagogia presencial, Campus I, da UFPB (2016-2019). Tem experiência nas áreas de Educação e Educação em Saúde, atuando principalmente nos seguintes temas: HIV/aids, juventudes, sexualidades, gênero, currículo, políticas públicas intersetoriais e formação de profissionais de educação e de saúde, educação animalista e vegana.

Alcidesio Oliveira da Silva Junior, Universidade Federal da Paraíba

Mestre em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal da Paraíba (Linha de Pesquisa: Estudos Culturais da Educação), sendo orientado pela Profª. Drª Jeane Félix da Silva. Tenho graduação em Turismo pela Universidade Federal de Pernambuco e pós-graduação em Marketing e Propaganda pela Escola Superior de Marketing. Atualmente, sou graduando de Pedagogia na Universidade Federal de Pernambuco e pós-graduado em Educação Infantil pelo Centro Universitário SENAC/SP (Lato sensu). Coordeno o Grupo de Estudos e Análises Culturais em Educação (GEACE), vinculado ao Núcleo de Ensino, Pesquisa e Extensão em EJA e Educação Popular (NUPEP/UFPE), sou integrante do LEVE (Laboratório de Experiência, Visualidade e Educação) coordenado pela Profª Drª Maria Thereza Didier de Moraes (NEPHEPE/UFPE) e do Grupo de Pesquisa em Estudos Culturais e Arte/Educação (GPCAE/UFRPE) coordenado pela Profª Drª Ana Paula Abrahamian de Souza e pela Profª Drª Fabiana Vidal. Minhas pesquisas voltam-se ao campo dos Estudos Culturais da Educação, Currículo e Estudos de gênero e de sexualidade em diálogo com as chamadas Pedagogias Culturais (cinema, música, redes sociais, etc).

Edvaldo Souza Couto, Universidade Federal da Bahia

Possui pós-doutoramento em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Doutorado em Educação (UNICAMP), Mestrado em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) e graduação em Licenciatura Plena em Filosofia pela Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC). É professor Titular na Universidade Federal da Bahia (UFBA), no Departamento de Educação II. É professor permanente no programa de pós-graduação em Educação. É líder do Grupo de Pesquisa Educação, Redes Sociotécnicas e Culturas Digitais e um dos coordenadores do Grupo de Pesquisa Educação, Comunicação e Tecnologias. É bolsista do CNPq (PQ 2). Coordenou o GT 16 - Educação e Comunicação, do EPEN - Encontro de Pesquisa Educacional do Nordeste (ANPED-Nordeste) 2017-2018. É membro e parecerista ad doc do GT 16 - Educação e Comunicação, da ANPED - Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação, Comunicação e Tecnologias e também na área de Filosofia, com ênfase em Estética e Filosofia da Técnica: Benjamin, Adorno e Simondon. Estuda principalmente os seguintes temas: estética e técnica; corpo e tecnologia; sexualidade e tecnologias digitais; educação, comunicação e tecnologias digitais; cibercultura e novas educações; leitura e escrita na era digital; currículo e formação de professores; redes sociais na internet.

Referências

ARROYO, Miguel. Outros sujeitos, outras pedagogias. Petrópolis: Vozes, 2012.

BADIOU, Alain; TRUONG, Nicolas. Elogio ao amor. Tradução de Dorothée de Bruchard. São Paulo: Martins Fontes, 2013.

BAUMAN, Zygmunt. Amor líquido: sobre a fragilidade dos laços humanos. Tradução de Carlos Alberto Medeiros. Rio de Janeiro: Zahar, 2004.

BAUMAN, Zygmunt; LEONCINI, Thomas. Nascidos em tempos líquidos: transformações no terceiro milênio. Tradução de Joana Angélica D’Ávila Melo. 1 ed. Rio de Janeiro: Zahar, 2018.

BRUNO, Fernanda. ROSA, Pedro. Entre aparecer e ser: tecnologia, espetáculo e subjetividade contemporânea. Intexto, Porto Alegre: UFRGS, v. 2, n. 11, p. 1-16, jul./dez. 2004.

CAMOZZATO, Viviane Castro. Sociedade pedagógica e as transformações nos espaços-tempos do ensinar e do aprender. Em aberto, Brasília, v. 31, n. 101, p. 107-119, jan./abr. 2018.

CAMOZZATO, Viviane Castro.; CARVALHO, Rodrigo Saballa de; ANDRADE, Paula Deporte de (Orgs.). Pedagogias culturais: a arte de produzir modos de ser e viver na contemporaneidade. Curitiba: Appris, 2016.

CARVALHO, Felipe da Silva Ponte; POCAHY, Fernando. #UERJRESISTE: a politização de si através das selfies. Revista Teias, v. 21, n. 60, p. 143-152, jan./mar. 2020.

COSTA, Jurandir Freire. Razões Públicas, Emoções Privadas. São Paulo: Rocco Editora, 1999.

COUTO, Edvaldo. Souza. Pedagogia das conexões: compartilhar conhecimentos e construir subjetividades nas redes sociais digitais. In: PORTO, Cristiane; SANTOS, Edméa Oliveira dos (Org.). Facebook e ety educação: publicar, curtir e compartilhar. Campina Grande: EDUEPB, 2014.

COUTO, Edvaldo Souza. Cibersexo no contexto da educação. In: MILL, Daniel (org.) Dicionário crítico de educação e tecnologias e de educação a distância. Campinas: Papirus, 2018.

COUTO, Edvaldo Souza; COUTO, Edilece Souza; CRUZ, Ingrid de Magalhães Porto. #Fiqueemcasa: Educação na pandemia da covid-19. Interfaces Científicas, Aracaju, v. 8, n. 3, p. 200-2017, 2020.

CRESWELL, John W. Educational research: planning, conducting, and evaluating quantitative and qualitative research. 4th ed. Fourth Edition, 2011.

FARO, André; BAHIANO, Milena de Andrade; NAKANO, Tatiana de Cassia; REIS, Catiele; SILVA, Brenda Fernanda Pereira da; VITTI, Laís Santos. COVID-19 e saúde mental: a emergência do cuidado. Estudos de Psicologia (Campinas) [online]. 2020, vol. 37. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-166X2020000100507. Acesso em 04 jul.2020.

FOUCAULT, Michel. Ditos e escritos V – Ética, sexualidade e política. Tradução de Elisa Monteiro e Inês Autran Dourado Barbosa. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2004.

FOUCAULT, Michel. A hermenêutica do sujeito. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2010.

GALINDO, María. Desobediencia, por tu culpa voy a sobrevivir. In: AMADEO, Pablo. (Org.) Sopa de Wuhan. Madrid: ASPO (Aislamiento Social Preventivo y Obligatorio), 2020.

GIROUX, Henry. Education in unsettling times: public intellectual and promise of cultural studies. In: GIROUX, Henry. Power/knowledge/pedagogy: the meaning of democratic education in unselttling times. Taylor e Francys Group Online, 2018.

GROS, Frédéric. O cuidado de si em Michel Foucault. In: RAGO, Margareth; VEIGA-NETO, Alfredo. Figuras de Foucault. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2008 (Coleção Estudos Foucaultianos).

HAN, Byung-Chul. Agonia do Eros. Tradução de Enio Paulo Giachini. Petrópolis, RJ: Vozes, 2017a.

HAN, Byung-Chul. Sociedade da transparência. Tradução de Enio Paulo Giachini. Petrópolis, RJ: Vozes, 2017b.

HAN, Byung-Chul. La emergencia viral y el mundo de mañana. In: AMADEO, Pablo. (Org.) Sopa de Wuhan. Madrid: ASPO (Aislamiento Social Preventivo y Obligatorio), 2020.

HARAWAY, Donna. Manifesto ciborgue: ciência, tecnologia e feminismo-socialista no final do século XX. In: TADEU, Tomaz (Org.). Antropologia do ciborgue: as vertigens do pós-humano. 2 ed. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2009.

LIMA, Danillo Mota; COUTO, Edvaldo Souza; SILVA, Patrícia. Manda nudes: Pedagogias sexuais no Grindr. Artefactum - Revista de estudos em Linguagens e Tecnologias, v. 19, n. 1, p. 01-13, 2020.

MATTOS, Caio. Na quarentena, aplicativos como o Tinder ganharam nova função. Revista Veja, 29/05/2020. Disponível em: https://veja.abril.com.br/tecnologia/na-quarentena-aplicativos-como-o-tinder-ganharam-nova-funcao/ Acesso em: 08 jun. 2020.

MENEZES, Maria Célia de. O mito do amor romântico. Fragmentos de Cultura, Goiânia, v. 17 n. 5/6, p. 539-572, maio/jun. 2007.

MEYER, Dagmar E. Estermann; MELLO, Débora Falleiros de; VALADÃO, Marina Marcos; AYRES, José Ricardo de Carvalho Mesquita. "Você aprende. A gente ensina?": interrogando relações entre educação e saúde desde a perspectiva da vulnerabilidade. Cad. Saúde Pública, v. 22, n. 6, jan./jun. 2006.

OKSALA, Johana. Como ler Foucault. Tradução de Maria Luiza X. de A. Borges. Rio de Janeiro: Zahar, 2011.

PRECIADO, Paul B. Aprendiendo del virus. In: AMADEO, Pablo. (Org.) Sopa de Wuhan. Madrid: ASPO (Aislamiento Social Preventivo y Obligatorio), 2020, p. 163-185.

SIBILIA, Paula. Mal de amores: afectos y vínculos eróticos en tempos hiperconectados. Psicoanálisis de las configuraciones vinculares, Tomo XXXVIII, 2015, p. 83-90.

SILVA, Allyson; NASCIMENTO, Kelvis. Visibilidade pornográfica e consumo: intimidade, desejo e sexo virtual pagoem site de webcan. INTER-LEGERE, Vol 3, n. 27, 2020. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/interlegere/article/view/16487. Acesso em: 07 jul. 2020.

STRAUSS, Anselm; CORBIN, Juliete. Pesquisa qualitativa: técnicas e procedimentos para o desenvolvimento de teoria fundamentada. Tradução de Luciene de Oliveira da Rocha. Porto Alegre: ArtMed, 2008.

TADEU, Tomaz. Nós, ciborgues: o corpo elétrico e a dissolução do humano. In: TADEU, Tomaz (Org). Antropologia do ciborgue: as vertigens do pós-humano. 2 ed. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2009.

TECCHIO, Manuela. Quarentena movimentada: apps como Tinder e Happn têm aumento de acessos. CNN Brasil Business, 13/05/2020. Disponível em: https://www.cnnbrasil.com.br/business/2020/05/13/durante-isolamento-apps-como-tinder-e-happn-registram-aumento-nas-interacoes. Acesso em 08 jun. 2020.
Publicado
16-10-2020
Como Citar
Felix da Silva, J., Oliveira da Silva Junior, A., & Souza Couto, E. (2020). Amor, sexo e distância física. Revista Educação Em Questão, 58(58). https://doi.org/10.21680/1981-1802.2020v58n58ID21741
Seção
Artigos