O filósofo analfabeto contra a “alma vestida” da alienação acadêmica

Palavras-chave: Curso de filosofia, Alienação, Universidade, Crítica, Trabalho pedagógico

Resumo

Na articulação alegórica entre o “filósofo analfabeto” de Álvaro Vieira Pinto e a “alma vestida” de Fernando Pessoa, como expressão da alienação, sistematiza-se o estudo sobre a matriz curricular de 8 cursos de Filosofia das Universidades Federais da Região Sul do Brasil. O estudo orientou-se pela análise dialética materialista, implicando na aproximação com o fenômeno, produção da análise dos dados e síntese. Os documentos representam o condicionante que expressa a Filosofia como produto hegemônico do continente europeu, sendo uma espécie de demonstração da “alma vestida” que forma os estudantes brasileiros avessos a conhecer sua realidade. Ao longo do texto é apresentada argumentação em favor da crítica, tendo por base a totalidade em que o país está inserido. Neste sentido se potencializa a Filosofia contra a alienação acadêmica, fundamentada, portanto, na intenção de conhecer e produzir a resolução de problemas concretos do povo do qual o estudante de Filosofia é parte.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcos Britto Corrêa, Universidade Federal de Santa Maria

Professor Substituto no Instituto Federal do Rio Grande do Sul (Osório/RS). Doutorando no Programa de Pós-graduação em Educação (UFSM). É integrante do Kairós – Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Trabalho, Educação e Políticas Públicas.

Liliana Soares Ferreira, Universidade Federal de Santa Maria

Professora do Programa de Pós-graduação em Educação (UFSM). É líder do Kairós – Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Trabalho, Educação e Políticas Públicas.

 

Referências

ASSIS, Machado. Obra completa, em quatro volumes: volume 2. Organiza-ção de Aluizio Leite Neto, Ana Lima Cecilio e Heloisa Jahn. 2. ed. Rio de Janei-ro: Nova Aguilar, 2008.

BAVARESCO, Agemir. Os cursos de filosofia no RS: memória e aprendizagem. Razão e fé. Pelotas: v, 3. n, 2. p. 51-97. 2001. Disponível em: https://revistas.ucpel.edu.br/rrf/article/view/2443/1408. Acesso em 8 de mar-ço, 2021.

DESCARTES, René. Discurso do método. In. Coleção os Pensadores. São Paulo: Nova Cultural, 1999b.

DESCARTES, René. Meditações. In. Coleção os Pensadores. São Paulo: Nova Cultural, 1999a.

FERREIRA, Liliana Soares. Trabalho Pedagógico na Escola: do que se fala? Educação e Realidade. Porto Alegre: 2018, vol.43, n.2, pp. 591-608.

GATTI, Bernardete Angelina; BARRETO, Elba Siqueira de Sá; AFONSO, Marli Eliza Dalmazo; ALMEIDA, Patrícia Cristina Albieri de. Professores do Brasil: novos ce-nários de formação. Brasília: UNESCO, 2019.

GELAMO, Rodrigo Pelloso. O Ensino de Filosofia no Brasil: um breve olhar sobre alguma das principais tendências no debate entre os anos 1934 a 2008. Re-vista Educação e Filosofia. Uberlândia, SP: v. 24, n. 48, p. 331-350. Jun/Dez, 2010. Disponível em: https://repositorio.unesp.br/bitstream/handle/11449/115189/ISSN01026801-2010-24-48-331-350.pdf?sequence=1. Acesso em 8 de março de 2021.

GOMES, Roberto. Crítica da razão tupiniquim. 11ª ed. São Paulo: FTD, 1994.

KANT, Immanuel. Crítica da razão pura. Trad. Fernando Costa Mattos. Petró-polis, RJ: Vozes, 2015.

KOSIK, Karel. Dialética do concreto. 2. ed. Trad. Célia Neves e Alderico Toríbio. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1976.

MARINI, Ruy Mauro. Dialética da Dependência. In: Ruy Mauro Marini: vida e obra. Roberta Traspadini, João Pedro Stedile (Orgs). 2ª ed. São Paulo: Expres-são Popular, 2011

MARX, Karl. Manuscrito econômicos-filosóficos. Trad. Jesus Ranieri. São Paulo: Boitempo, 2010.

MARX, Karl. O Capital: crítica da economia política: livro I: o processo de pro-dução do capital. Trad. Rubens Enderle. São Paulo: Ed. Boitempo, 2013.

PINTO, Álvaro Vieira. A sociologia dos países subdesenvolvidos: introdução metodológica ou prática metodicamente desenvolvida da ocultação dos fundamentos sociais do “vale de lágrimas”. Rio de Janeiro: Contraponto, 2008.

PINTO, Álvaro Vieira. O conceito de tecnologia. Vol, I. Rio de Janeiro: Contra-ponto, 2005.

PINTO, Álvaro Vieira. Por que os ricos não fazem greve? In. Coleção Cader-nos do Povo Brasileiro. Vol. 4. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1962.

RAMOS, Alberto Guerreiro. A redução sociológica. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1965.

SANTOS, Theotonio dos Santos. Teoria da Dependência: balanço e perspecti-vas. Florianópolis, SC: Insular, 2018.

VÁSQUEZ, A. Filosofia da Práxis. Trad. Maria Encarnación Moya. Buenos Aires: Clacso: São Paulo: Expressão Popular, Brasil, 2011.

Publicado
18-08-2021
Como Citar
Britto Corrêa, M., & Soares Ferreira, L. (2021). O filósofo analfabeto contra a “alma vestida” da alienação acadêmica. Revista Educação Em Questão, 59(60). https://doi.org/10.21680/1981-1802.2021v59n60ID25121
Seção
Artigos