Interpretação educacional e as políticas inclusivas e bilíngues

contra-ações educativas de/com surdos

Palavras-chave: Intérprete educacional, Educação bilíngue de surdos, Libras, Contra-ação

Resumo

Esse artigo compartilha alguns resultados sobre a educação bilíngue de surdos e a atuação do intérprete educacional (IE) nos anos iniciais, apontados em uma pesquisa de mestrado realizada em um programa de pós-graduação em educação especial (PPGEEs). Analisamos a transposição alguns discursos de verdade sobre a educação de surdos e suas implicações nas práticas cotidianas efetivas por profissionais IE. Tratou-se de uma pesquisa-descritiva, estudo de caso, de abordagem qualitativa. Os dados foram balizados pelos Estudos Surdos e pelas filosofias da diferença em Michel Foucault. Verificamos que as práticas cotidianas dos IE ainda refletem um paradoxo educacional inclusivo muito complexo: avistam-se práticas que apontam na direção de uma educação de/com surdos, portanto, alinhadas à resistência surda e em outros momentos veem-se práticas voltadas para uma educação para surdos, pautada na lógica do sujeito ouvinte, vinculando-se ao caráter normativo-corretivo-patológico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tatiane Cristina Bonfim, Universidade Federal de São Carlos

Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Educação Especial da Universidade Federal de São Carlos. É integrante do Grupo de Pesquisa em Educação de Surdos, Subjetividades e Diferenças – GPESDi (UFSCar/São Carlos).

Vanessa Regina de Oliveira Martins, Universidade Federal de São Carlos

Prof.ª da Universidade Federal de São Carlos  e do Programa de Pós-Graduação em Educação Especial (UFSCar/São Carlos). É integrante do Grupo de Pesquisa em Educação de Surdos, Subjetividades e Diferenças – GPESDi (UFSCar/São Carlos).

Referências

ALMEIDA, Júlia Caroline de Araújo; MARTINS, Vanessa Regina de Oliveira. Heterotopia pedagógica como lugar de aparição das singularidades na educação. Educação Temática Digital, Campinas, v. 2, n. 3, p. 695-717, jul./set. 2019.

ANDREIS-WITKOSKI, Silvia. A problemática das políticas públicas educacionais na área da educação bilíngue de surdos. Nuances: Estudos sobre Educação, Presidente Prudente, v. 24, n. 2, p. 86-100, maio/ago. 2013.

BRASIL. Declaração de Salamanca e linha de ação: sobre necessidades educativas especiais. Brasília: CORDE, 1994.

BRASIL. Resolução CNE/CEB nº 2, de 11 de setembro de 2001. Institui Diretrizes Nacionais para a Educação Especial na Educação Básica.

BRASIL. Lei nº 10.436, de 24 de abril de 2002. Dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais – Libras e dá outra providencias. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2002/l10436.htm. Acesso em: 9 set. 2021.

BRASIL. Decreto nº 5626, de 22 de dezembro de 2005. Regulamenta a Lei nº 10.436, de 24 de abril de 2002, que dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais – Libras, e o art. 18 da Lei nº 10.098, de 19 de dezembro de 2.000. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2005/decreto/d5626.htm. Acesso em: 10 set. 2021.

BRASIL. Política Nacional de Educação Especial na perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília: MEC/CNE, 2008.

BRASIL. Plano Nacional de Educação 2014-2024. Lei nº 13.005, de 25 de junho de 2014, que aprova o Plano Nacional de Educação (PNE) e dá outras providências. Disponível em: http://pne.mec.gov.br/. Acesso em: 10 set. 2021.

BRASIL. Estatuto da Pessoa com Deficiência: Lei Brasileira de Inclusão nº 13.146, de 6 de julho de 2015. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13146.htm. Acesso em: 10 set. 2021.

CAMPELLO, Ana Regina. Aspectos da visualidade na educação de surdos. 2008. Tese (Doutorado em Educação) − Programa de Pós-Graduação de Educação, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2008.

CAMPELLO, Ana Regina; REZENDE, Patrícia Luiza Ferreira. Em defesa da escola bilíngue para surdos:a história de lutas do movimento surdo brasileiro. Educar em Revista, Curitiba, n. 2, p. 71-92, 2014. (Edição Especial).

CAROLINA. Entrevista. Rio Claro (São Paulo), 13 ago. 2019.

CARVALHO, Alexandre Filordi de; MARTINS, Vanessa Regina de Oliveira. Anunciação e insurreição da diferença surda: contra-ações na biopolítica da educação bilíngue, Childhood & Philosophy, v. 12, n. 24, p. 391-415, maio-ago. 2016.

CONCEIÇÃO, Bianca Salles. Produções discursivas sobre a surdez e a educação infantil: diálogo com familiares. 2019. Dissertação (Mestrado em Educação) − Programa de Pós-Graduação em Educação Especial, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2019.

DELIBERAÇÃO COMERC nº 01de 25 de agosto de 2015. Dispõe sobre o atendimento dos alunos Público-alvo da Educação Especial (PAEE) nas Unidades Educacionais da Rede Municipal de Ensino de Rio Claro.

FERNANDES, Elaine Andrade Peres. Políticas públicas da educação de surdos no século XXI: análise de documentos federais, estaduais e municipais. 2019. Dissertação (Mestrado em Educação) − Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Estadual de Campinas, 2019.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir. Tradução Raquel Ramalhete. 27. ed. Petrópolis: Vozes, 1987.

FOUCAULT, Michel. Outros espaços. In: Ditos e escritos III − Estética: Literatura e pintura, música e cinema. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2003.

FOUCAULT, Michel. O governo de si e dos outros: curso no Collége de France (1982 -1984). Tradução Eduardo Brandão. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes. 2010.

GALLO, Silvio Donizetti de Oliveira. Em torno de uma educação menor: variáveis e variações. In: REUNIÃO NACIONAL DA ANPEd, 36, 2013. [...] Anais. Goiânia: Associação Nacional de Pós-Graduação em Educação, 2013.

GALLO, Silvio Donizetti de Oliveira. Políticas da diferença e políticas públicas em educação no Brasil. Educação e Filosofia, Uberlândia, v. 31, n. 63, p. 1497-1523, set./dez. 2017.

GIL, Antonio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

IBGE − Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo demográfico. Rio Claro (São Paulo). Rio de Janeiro: IBGE, 2017.

LACERDA, Cristina Broglia Feitosa de; SANTOS, Lara Ferreira dos; CAETANO, Juliana Fonseca. Estratégias metodológicas para o ensino de alunos surdos. In: LACERDA, Cristina Broglia Feitosa; SANTOS, Lara Ferreira. Língua brasileira de sinais – Libras: Uma introdução. São Carlos: Edufscar/SEaD, 2011.

LACERDA, Cristina Broglia Feitosa de; SANTOS, Lara Ferreira dos; MARTINS, Vanessa Regina de Oliveira (org.). Escola e diferença: caminhos para a educação bilíngue de surdos. São Carlos: Edufscar, 2016.

LODI, Ana Claudia Balieiro. Educação bilíngue para surdos e inclusão segundo a Política Nacional de Educação Especial e o Decreto nº 5.626/2005. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 39, p. 49-63, 2013.

LOPES, Maura Corcini. Surdez e educação. Belo Horizonte: Autêntica, 2007.

MARTINS, Vanessa Regina de Oliveira. Educação de surdos no paradoxo da inclusão com intérprete de língua de sinais: relações de poder e (re)criações do sujeito. 2008. Dissertação (Mestrado em Educação) − Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Estadual de Campinas, 2008.

MARTINS, Vanessa Regina de Oliveira. Posição-mestre: desdobramentos foucaultianos sobre a relação de ensino do intérprete de língua de sinais educacional. 2013. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2013.

MARTINS, Vanessa Regina de Oliveira; LACERDA, Cristina Broglia Feitosa de. Educação inclusiva bilíngue para surdos: problematizações acerca das políticas educacionais e linguísticas. Revista de Educação, Campinas, v. 21, n. 2, p.163-178, maio/ago. 2016.

MORAIS, Mariana Peres de. Trajetórias de resistência em escolas municipais com propostas de educação bilíngue inclusiva para surdos. 2018. Dissertação (Mestrado em Educação Especial) − Programa de Pós-Graduação em Educação Especial, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2018.

MORICONI, Lucimara Valdambrini. Interações das crianças surdas no contexto escolar: panorama de diferentes perspectivas na educação. 2020. Dissertação (Mestrado em Educação) − Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2020.

PAGNI, Pedro Angelo.; MARTINS, Vanessa Regina de Oliveira. Corpo e expressividade como marcas constitutivas da diferença ou do ethos surdo. Revista Educação Especial, Santa Maria, v. 32, 2019.

PAOLA. Entrevista. Rio Claro (São Paulo), 30 set. 2019.

PELUSO, Leonardo; LODI, Ana Claudia Balieiro. La experiencia visual de los sordos. Consideranciones políticas, linguísticas y epistemológicas. Pro-Posições, Campinas, v. 26, n. 78, p. 59-81, set./dez. 2015.

RIO CLARO. Projeto Político Pedagógico. Escola Municipal Armando Grisi. Rio Claro 2015/2018. (Arquivo Particular da Unidade Educacional).

SOFIATO, Cássia Geciauskas; CARVALHO, Paulo Vaz de; COELHO, Orquídea. A educação de surdos no Brasil no século XIX e o legado dos países europeus. Revista Educação em Questão, v. 59, n. 59, jan./mar. 2021.

VEIGA-NETO, Alfredo; LOPES, Maura Corcini. Inclusão e governamentalidade. Revista Educação & Sociedade, Campinas, v. 28, n. 100, p. 947-963, out. 2007. (Edição Especial).

WITCHS, Pedro Henrique; LOPES, Maura Corcini. Surdez como matriz de experiência. Revista Espaço, Rio de Janeiro, n. 43. jan./jun. 2015.

Publicado
23-09-2021
Como Citar
Bonfim, T. C., & de Oliveira Martins, V. R. (2021). Interpretação educacional e as políticas inclusivas e bilíngues. Revista Educação Em Questão, 59(61). https://doi.org/10.21680/1981-1802.2021v59n61ID25905
Seção
Artigos