Gênero textual na interface variação-gramaticalização: o caso da perífrase V (E) V2

Resumo

Com base em uma perspectiva de interface variação-gramaticalização, trato do uso variável dos verbos IR e PEGAR na perífrase V1 (E) V2. Faço uso de dados de fala extraídos dos corpora Discurso & Gramática referentes a Natal e ao Rio de Janeiro, e ao corpus VARSUL referente a Florianópolis. Tenho por objetivo analisar o gênero textual como fator condicionador da escolha entre IR e PEGAR para desempenhar o papel de V1 na perífrase V1 (E) V2. Os resultados mostram que IR é favorecido em relatos de procedimentos e relatos de opinião e PEGAR em narrativas de experiência pessoal e narrativas vicárias. É provável que IR e PEGAR tenham iniciado seu processo de mudança em gêneros narrativos, em que a perífrase V1 (E) V2 é mais frequente em várias línguas. Sendo assim, o fato de IR ser favorecido em gêneros textuais diferentes dos narrativos pode ser interpretado como um indício de que está mais avançando no processo de gramaticalização do que PEGAR.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Alice Tavares, UFRN

Departamento de Letras da UFRN

Pós-graduação em Estudos da Linguagem

Publicado
14-02-2020
Como Citar
TAVARES, M. A. Gênero textual na interface variação-gramaticalização: o caso da perífrase V (E) V2. Revista do GELNE, v. 22, n. 2, p. 1-13, 14 fev. 2020.
Seção
Artigos