Os territórios do hospício e o domínio da loucura na imaginação literária de Guillermo Rosales

  • Isaque de Moura Gonçalves Neto Universidade Federal do Piauí (UFPI)

Resumo

A trajetória biográfica do escritor cubano Guillermo Rosales é atravessada por um extenso histórico de violência, desajustes e frustrações. Perseguido por vozes e visões que o atormentavam, Rosales foi diagnosticado com esquizofrenia ainda durante a adolescência, tendo passado por diversas instituições psiquiátricas ao longo da vida. Parte dessas experiências estão expostas em sua obra de maior destaque, o romance Boarding Home, publicado originalmente em 1987. No livro, Rosales dá voz a seu alter ego, o protagonista William Figueras, escritor exilado da ilha de Cuba que narra sua rotina na condição de interno em um sanatório particular nos Estados Unidos. O personagem expõe os abusos, as situações precárias do hospício e as constantes agressões físicas e psicológicas às quais ele e outros pacientes são submetidos, descrevendo um cenário no qual os sujeitos tornam-se progressivamente despojados de individualidade. Assim, tomando como referência o espaço asilar do manicômio e seu contexto de aniquilação de subjetividades, este artigo busca refletir sobre as dinâmicas de deterioração identitária no mundo do internado e os processos de desfiguração pessoal aplicados ao regime de confinamento na home. Nessa perspectiva, mobilizam-se os pressupostos teóricos do sociólogo canadense Erving Goffman (1987), nas discussões acerca das instituições totais, e os principais mecanismos de mortificação associados a tais estabelecimentos. As análises foram realizadas com base na edição original do romance, publicada pela editora espanhola Siruela, em 2003. Argumenta-se que a Boarding Home, enquanto suposta casa de saúde mental, desvia-se gravemente de sua finalidade terapêutica, na medida em que os personagens incorporam e reproduzem a violência da estrutura institucional que os suplicia. Nessas circunstâncias, compreende-se que o espaço manicomial não opera como local de acolhimento ou cuidado, mas como engrenagem de opressão, abandono e extermínio de vidas humanas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Isaque de Moura Gonçalves Neto, Universidade Federal do Piauí (UFPI)

Escritor. Mestrando em Estudos Literários pelo Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Federal do Piauí (UFPI). Autor do livro de contos No meio do tiroteio (Ed. Kazuá, 2017). E-mail: mouradeisaque@hotmail.com

Publicado
11-02-2021
Como Citar
DE MOURA, I. Os territórios do hospício e o domínio da loucura na imaginação literária de Guillermo Rosales. Revista do GELNE, v. 23, n. 1, p. 83-98, 11 fev. 2021.
Seção
Artigos