Cenografia, ethos e argumentação de “Unholy”, de Sam Smith e Kim Petras

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21680/2674-6131.2023v5n2ID34490

Resumo

Este artigo tem como corpus o videoclipe da música 'Unholy', lançado em 2023 pelos artistas Sam Smith e Kim Petras. O objetivo é compreender como a cenografia e o ethos discursivo são manifestados e como os argumentos são construídos para persuadir o auditório/público. Como recurso metodológico, elegemos a pesquisa documental de abordagem qualitativa. Para responder às questões, apoiamo-nos nos estudos de Dominique Maingueneau (2008) sobre ethos e na Teoria da Argumentação de Perelman e Olbrechts Tyteca (2014). Os resultados apontam que o discurso colonizador é cristalizado por práticas sociais e históricas que legitimam posicionamentos que subjugam pessoas do público LGBTQIAPN+, em específico no corpus do texto, e demais grupos sociais marginalizados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos Eduardo do Vale Ortiz, Universidade Federal de Rondônia - UNIR

Possuo graduação em Letras - Português pela Universidade Norte do Paraná. Tenho experiência na área de Letras, com foco em Língua Portuguesa. Atualmente, estou cursando uma segunda graduação em Pedagogia no Instituto Cotemar, desde 2017. Sou pesquisador do GEAL (Grupo de Estudos Integrados sobre Linguagem, Educação e Cultura) e do Grupo de Leitura, Ensino e Discurso LED na Pontifícia Universidade Católica - PUC/SP. Além disso, sou Mestre em Letras pela Universidade Federal de Rondônia - UNIR. Atuei como Professor de Língua Portuguesa na Maple Bear Canadian School - Porto Velho, lecionando nos anos iniciais, anos finais e High School. Também fui Professor de Leitura, Interpretação e Elaboração de Texto (LIET) na FIMCA (Faculdades Integradas Aparício Carvalho).

Downloads

Publicado

01-02-2024 — Atualizado em 02-02-2024

Versões

Como Citar

CHEDIAK, S. .; CARLOS EDUARDO DO VALE ORTIZ. Cenografia, ethos e argumentação de “Unholy”, de Sam Smith e Kim Petras. Revista Saridh – Linguagem e Discurso, [S. l.], v. 5, n. 2, 2024. DOI: 10.21680/2674-6131.2023v5n2ID34490. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/RevSaridh/article/view/34490. Acesso em: 16 jul. 2024.